Carlos Vogt: "ataque à universidade é ideológico no pior sentido da expressão”

Assembleia geral no dia 15 de outubro pretende unificar e mobilizar comunidade acadêmica em defesa da universidade pública frente ao obscurantismo. Segundo Carlos Vogt, reitor da Unicamp entre 1990 e 1994, ataque à universidade “é ideológico no pior sentido da expressão”, porque baseado “nesse bobajol perigoso de marxismo cultural, que reproduz algo que está no livro Minha luta do Adolf Hitler, evocado para tentar caracterizar as ações das universidades como atividades articuladas em um manto universal de conspiração da Esquerda contra os pobres defensores da tradição, da família e da propriedade. É tudo balela, mas é perigoso porque a população compra, funciona. Nós estamos diante de um momento extremamente crítico. As soluções apontadas pelos governos, seja estadual seja federal, é de terra arrasada, para sitiar e exaurir as forças da universidade”. Leia matéria completa.

Mais sobre o tema:
Entidades convidadas veem na assembleia um exemplo para o país
Comunidade acadêmica manifesta-se pelo fortalecimento da universidade pública
Assembleia da Unicamp reúne 8 mil e convoca sociedade para defender as universidades públicas
Em ato histórico, Unicamp aprova moção em defesa da ciência e da educação
Primeira assembleia extraordinária em 53 anos reúne comunidade em defesa da Ciência e da Educação
Reitor Marcelo Knobel dá início ao ato histórico em defesa da Ciência e da Educação
Com universidade sob ataque, presidente da Andifes defende esforço mais efetivo de comunicação
Carlos Vogt: "ataque à universidade é ideológico no pior sentido da expressão”
IdEA recebe presidente da Andifes para conferência sobre “A Crise da Universidade”
Unicamp convoca assembleia extraordinária em defesa da Ciência e Educação