Mulheres são as maiores vítimas da violência contra os idosos em Campinas

A negligência e o abandono são as principais formas de violência sofridas pelos idosos que vivem em Campinas. As maiores vítimas dessa violência são mulheres, em grande parte das vezes com pouca escolaridade. Outros tipos de violência que afetam a vida da população idosa são as agressões psicológica, física e financeira. Além dessas características, há nesses casos uma triste realidade: o lar e a família podem não ser ambientes seguros para essas pessoas. Mais de 90% dos casos de violência contra idosos ocorrem em casa e, em cerca de 56% dos episódios, os autores das agressões são os filhos.  

Os dados dos últimos 11 anos foram reunidos em uma pesquisa de doutorado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Gerontologia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp. Eles foram coletados do Sistema de Notificação de Violência em Campinas (SISNOV), da Prefeitura Municipal. O trabalho mostra ainda que a situação da cidade reflete uma realidade maior vivenciada pela população idosa no país. 

Confira na reportagem os detalhes da pesquisa:

Ouça também no Repórter Unicamp em Podcast a entrevista completa com Emmanuel Lopes, autor da pesquisa, e com a professora Maria José D'Elboux, orientadora: 

 

Imagem de capa

foto mostra idosos em uma fila em frente a unidade de saúde
Estudo na área de Gerontologia analisou dados de violência em Campinas registrados ao longo de 11 anos. Pesquisadores analisam que índices da cidade refletem realidade do país (foto: Jorge Araújo/Fotos Públicas)