Jardim do Instituto de Artes ganha escultura de Akiko Fujita

escultura

A escultura "Castelo de Pássaros", da artista plástica japonesa Akiko Fujita, agora pode ser apreciada no jardim do Instituto de Artes (IA) da Unicamp. Inaugurada na última quinta-feira (17), a obra é a primeira do projeto Jardim de Esculturas, coordenado pela professora Sylvia Furegatti, que deverá alterar consideravelmente a paisagem do Instituto no próximo ano, quando completa 50 anos. A mesa de abertura da inauguração contou com a presença do reitor Marcelo Knobel; do pró-reitor de extensão e cultura, Fernando Hashimoto, e do diretor do IA, Paulo Adriano Ronqui.

Akiko Fujita, no breve período em que viveu no Brasil, teve forte vínculo com a Unicamp, sendo uma das fundadoras do IA, conforme contou Sylvia Furegatti. Há quatro anos, o "Castelo de Pássaros" fora localizado no ateliê da artista, que ainda existe em Barão Geraldo, juntamente com outras obras. Ao lado de Cristina Rocha, ceramista campineira e uma das responsáveis legais pela obra da artista japonesa no Brasil, Sylvia articulou a doação das peças para o Museu de Artes Visuais (MAV) da Unicamp, o Museu de Arte Contemporânea de Campinas (MACC) e para o IA. “Consolidamos assim a presença de Akiko nos acervos locais”, comenta a professora.

Silvia Furegatti
Sylvia Furegatti em mesa do Seminário Escultura Paisagem

A remontagem da peça foi realizada com a participação de alunos, funcionários, Cristina e artistas da cidade convidados. O evento contou ainda com trilha sonora especial de Egberto Gismonti, composta em homenagem a Akiko Fujita.

O Seminário Escultura Paisagem deu sequência ao evento, no auditório do IA. Professores convidados e especialistas em escultura pública contemporânea, formas de acervamento e arte na universidade pública debateram diversos aspectos da presença artística.

Foi lançado também o e-book do II Seminários Nacional do Grupo de Estudos sobre Arte Pública (Geap) Brasil, realizado no ano passado da Unicamp. “É um grupo dedicado a estudar exatamente essa configuração das esculturas públicas, das formas de ação artística que ocupam o espaço da cidade, o espaço aberto Urbano público e as Universidades são um desses lugares”, explicou Segundo Sylvia Furegatti, que também coordena o grupo nacionalmente.

História das Andorinhas
A obra de Akiko Fujita já fez parte da vida da Universidade. O “Monumento das Andorinhas”, inaugurado em 1985, testemunhava o entre e sai do campus no balão que dá acesso à Universidade, próximo ao Restaurante Universitário (RU).

Escultura que já esteve próxima ao mRU. Hoje não existe mais no local. Foto: J.J. Lunazzi | outubro 1986
Obra de Akiko Fujita “Monumento das Andorinhas” de 1985. Foto: J.J. Lunazzi | outubro 1986

O vídeo abaixo, resgatado pela Secretaria de Comunicação da Unicamp,  acompanhou o processo de construção da obra, registrando todas as fases da confecção da escultura de Akiko Fujita. O material, que hoje faz parte do acervo da RTV Unicamp, foi entregue a Akiko Fujita pelo Centro de Comunicação da Unicamp em 28 de julho de 1986, conforme nota na página 11 da primeira edição do Jornal da Unicamp.

Em entrevista recente ao Jornal da Unicamp, o compositor Egberto Gismonti conta um pouco da história da obra e da artista: “Também em Campinas, uma grande escultora japonesa chamada Akiko Fujita, fez um belíssimo projeto, na Unicamp, chamado Casa das Andorinhas – aliás, projeto este que, por razões possivelmente políticas, foi retirado do campus. Era uma casa feita de barro. Akiko, que já tem mais de 90 anos, sempre é convidada por países para ir a uma determinada cidade, passar um ou dois meses no local para descobrir a razão e o porquê de ceder uma obra à cidade.

Depois de passar uma temporada nos arredores de Campinas, ela concluiu que o melhor a fazer era uma grande escultura, a Casa de Andorinhas, que representasse o entra e sai de estudantes, assim como as andorinhas fazem os seus ninhos. Eu tive a possibilidade de passar um tempo em Campinas com ela e de musicar a escultura. Faço essas referências para dizer que sempre tive muitas experiências em Campinas, todas elas muito boas.”

Mesa de abertura da inauguração da escultura "Castelo de Pássaros", que integra projeto Jardim de Esculturas
Mesa de abertura contou com a presença do reitor Marcelo Knobel; do pró-reitor de extensão e cultura, Fernando Hashimoto, e do diretor do IA, Paulo Adriano Ronqui.
José Augusto Mannis e Cristina Rocha na inauguração da escultura
José Augusto Mannis e Cristina Rocha na inauguração da escultura
Escultura no Jardim do IA
"Castelo de Pássaros" no jardim do IA
Folder de 1985, que detalhava o trabalho de Akiko Fujita (Arquivo Siarq)
Folder de 1985(Arquivo Siarq)
Maquetes de Akiko Fujita  (Arquivo Siarq)
Maquetes de Akiko Fujita (Arquivo Siarq)
Maquetes de Akiko Fujita (Arquivo Siarq)
Maquetes de Akiko Fujita (Arquivo Siarq)

Imagem de capa

Escultura no jardim do IA
Escultura no jardim do IA