Exposição na FE resgata como eram os processos de trabalho na unidade

Luciana idealizou a exposição Um evento já tradicional na Faculdade de Educação (FE) que homenageia os funcionários que se aposentam no ano, ao mesmo tempo em que dá as boas-vindas aos ingressantes, inspirou a assistente técnico de Unidade (ATU), Luciana Rodrigues, a resgatar a memória dos processos de trabalho da faculdade a partir de uma exposição de documentos, fotos, depoimentos e objetos antigos. “A ideia surgiu como forma de valorizar os funcionários que tanto contribuíram e aqueles que ainda contribuem para o desenvolvimento da faculdade que é referência dentro e fora da Unicamp”, explica Luciana.

A exposição está montada próxima ao Salão Nobre da FE e poderá ser vista até o dia 1º de novembro e coincide com a semana do dia 28 de outubro, quando se comemora o Dia do Funcionário Público.  Segundo a ATU, a iniciativa foi bem aceita na unidade e motivou a equipe envolvida no projeto a produzir, futuramente, um e-book de memória da FE. “Nós temos muita história para contar”, comemora.

Como eram os processos de trabalho na FE
No início deste ano, Luciana se inscreveu em um edital do Grupo Gestor de Benefícios Sociais (GGBS) para conseguir auxílio financeiro e, assim, desenvolver atividades que valorizassem o trabalho dos servidores que já passaram pela faculdade. A FE tem três funcionárias que trabalham há muito tempo na unidade e que poderiam oferecer informações valiosas para o projeto de resgate da memória. São elas Vera Gonçalves,, com 41 anos de casa; Nadir Camacho, com 36 na pós-graduação  e Vera Louzada, que está completando 32 anos este mês.

Na opinião da ATU, a iniciativa também possibilitou que acontecesse uma integração entre os funcionários antigos e os mais novos. “Foi importante a troca de ideias e experiências e diminuiu aquele sentimento dos mais antigos se sentirem deslocados com a chegada de funcionários mais novos”, analisa.

Registro de teses e dssertações
A mostra
– Do tempo em que a Faculdade de Educação funcionava no prédio do Ciclo Básico I muita coisa mudou. Quarenta e cinco anos já se passaram. Um exemplo eram os registros de alunos ingressantes feito em fichas. Cada aluno tinha seus dados coletados e devidamente arquivados, e claro, naqueles grandes fichários de aço. Hoje o Sistema de Gestão Acadêmica (SIGA), mantido pela Diretoria Acadêmica, torna tudo muito mais fácil e os registros podem ser recuperados em alguns cliques de computador.

E quanto às reuniões de Congregação da FE? Eram anotações em livros de atas, com páginas e mais páginas transcritas. Atualmente, é possível ter acesso ao áudio completo da reunião e saber de forma detalhada como determinado assunto foi tratado. Na Biblioteca, anos atrás havia um caderno de registro das defesas de teses e apresentação das dissertações, assim como fichas datilografas da produção científica dos professores e alunos. Atualmente, a Unicamp possui um Repositório e uma Base da Dados, com milhares de documentos disponibilizados on line. São estes e outros vários documentos que podem ser conferidos na exposição.

Como eram os processos de trabalho na FE