Unicamp recebe estudantes do Vestibular Indígena 2021

Autoria
Edição de imagem
audiodescrição: montagem com fotografias coloridas onde estudantes aparecem em pé segurando as caixas com os tablets
Entrega de tablets e chips faz parte das ações de recepção

Acolhimento, orientação e entrega de equipamentos aos novos estudantes indígenas da Unicamp fazem parte das ações de recepção aos ingressantes do Vestibular Indígena 2021. Na Calourada, os alunos contam com apresentação da Universidade e orientação. Já através do Programa de Inclusão Digital para os Ingressantes da Unicamp (PIDIU), os estudantes recebem tablets e chips para acesso à internet, a fim de possibilitar condições mínimas para o estudo remoto. Na cidade com o maior número de ingressantes, São Gabriel da Cachoeira, no estado do Amazonas, a entrega dos equipamentos e a orientação acerca da matrícula foram realizadas presencialmente.

O Vestibular Indígena 2021 ofereceu 88 vagas, para ingresso no segundo semestre do ano. Foi a terceira edição desta modalidade de ingresso voltada às populações indígenas, política de inclusão que foi aprovada na Unicamp em 2017. Com os novos estudantes, a Unicamp tem mais de 200 alunos indígenas, de 40 etnias. As ações de recepção, de orientação e de entrega de equipamentos visam propiciar aos alunos as condições necessárias para as atividades acadêmicas, que seguem no formato remoto em virtude da pandemia.

audiodescrição: fotografia colorida mostra duas estudantes sentadas em uma mesa, onde há computadores; elas estao auxiliando outra estudante, que está em pé, a realizar sua matrícula
Estudantes indígenas que ingressam na Unicamp em anos anteriores auxiliaram os ingressantes no processo de matrícula, em São Gabriel da Cachoeira

Na mesa de boas-vindas da Calourada, o reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles, pontuou a disposição da Universidade em auxiliar e ser parceira dos estudantes indígenas durante sua jornada acadêmica. “Colocar a nossa instituição como uma instituição que seja capaz de auxiliá-los o máximo possível e realizar o êxito dessa política, que começa com o Vestibular Indígena”, afirmou. O reitor também destacou que o ingresso dos estudantes indígenas na Unicamp traz um aprendizado mútuo. “É uma jornada que compartilharemos juntos”.

Também presente na mesa, a professora Alik Wunder, presidente da Comissão Assessora da Inclusão Acadêmica e Participação dos Povos Indígenas (CAIAPI), órgão ligado à Diretoria Executiva de Direitos Humanos (DEDH) da Unicamp, destacou que o ingresso dos estudantes indígenas faz da Universidade uma instituição mais coletiva, diversa e participativa, ampliando diálogos com os saberes dos mais de 300 povos que compõem o país. “É motivo de celebrarmos e é uma alegria fazer parte da construção de uma Unicamp comprometida com os direitos humanos, com os povos indígenas, que honra e reconhece as ancestralidades do país”. 

Também participaram das boas-vindas o professor Sávio Cavalcante, coordenador da comissão de recepção dos estudantes; a diretora da DEDH, Silvia Santiago; o pró-reitor de Graduação, Ivan Toro; o professor Luis Geraldo Beloni, representando o pró-reitor de Extensão e Cultura; a coordenadora adjunta da Comvest, Ana Maria Fonseca de Almeida; a coordenadora do SAE, Mariana Nery e o aluno Arlindo Baré, representando os estudantes indígenas da Unicamp. A recepção foi organizada pela Pró-reitoria de Graduação; Serviço de Apoio ao Estudante (SAE); Comvest e CAIAPI. Ainda haverá mais atividades, que podem ser conferidas no site da Calourada: calourada.prg.unicamp.br/indigenas. No site, também há orientações e informações aos estudantes.

Inclusão Digital

Através do PIDIU, programa que atende a alunos de graduação e pós-graduação com dificuldades de acesso a equipamentos necessários ao ensino remoto, a Unicamp também organiza o empréstimo de tablets e chips para acesso à internet aos estudantes. Uma das ações que ocorreu no âmbito do programa foi a entrega presencial em São Gabriel da Cachoeira (AM), de onde são a maior parte dos novos alunos indígenas. O coordenador de Pesquisa da Comissão permanente para os vestibulares da Unicamp, professor Rafael Maia, foi responsável por ir até a cidade e realizar a destinação dos tablets e chips a 52 alunos.

“A entrega de um equipamento e de um chip de internet também é de extrema importância para que tenham as mínimas condições de assistir às aulas e fazer as atividades. Apesar de já estarmos há um ano e meio em pandemia, nós temos novos ingressantes e que começam o semestre em ensino remoto, então é muito importante que haja um programa que proporcione condições de estarem estudando. Tanto para alunos indígenas quanto para alunos socialmente mais vulneráveis, que muitas vezes não têm em casa um computador”, avalia o docente.

Além do recebimento dos equipamentos, os ingressantes da região também puderam contar com uma orientação presencial acerca da matrícula. Três estudantes indígenas da Unicamp foram responsáveis por essa ação. Os ingressantes de outras localidades do país também contam com o atendimento online para sanar as dúvidas. Já na questão da entrega de equipamentos, a CAIAPI segue trabalhando junto ao Núcleo de Voluntariado da Unicamp para localizar os estudantes e proceder os envios aos que assim desejarem.

audiodescrição: fotografia colorida mostra  voluntários do programa PIDIU
Voluntários atuam no programa de inclusão digital da Unicamp

O PIDIU é um programa idealizado pelas professoras Dora Grassi e Lizandra Coimbra, criado no início deste ano para contemplar prioritariamente os alunos atendidos pelos programas sociais da Unicamp (bolsistas SAE e ingressantes do Programa de Formação Interdisciplinar Superior). A Universidade também conta com a campanha Equipamento Solidário. Todos os equipamentos são patrimoniados pela Unicamp, através da Diretoria Geral da Administração, e emprestados aos alunos, mediante um termo de responsabilidade. 

O PIDIU, avalia a professora Josianne Cerasoli, coordenadora do Observatório de Direitos Humanos da Unicamp, órgão ao qual o Voluntariado é ligado, é criado para fortalecer e institucionalizar a política de inclusão digital. "O Voluntariado se instala imediatamente no momento em que a Universidade adota as atividades remotas, em março de 2020. No início, ele estava baseado em doações e depois ele foi ganhando uma estrutura mais robusta e institucional", aponta. A escolha dos equipamentos adquiridos pelo programa segue orientação do Grupo Gestor de Tecnologias Educacionais e do Centro de Computação (CCUEC).

A campanha de doações também segue. O canal, tanto para solicitar o empréstimo de equipamentos como para realizar doações, é o site: inclusaodigital.ic.unicamp.br

Além do PIDIU, também foi criada a campanha CompSocial, que arrecada equipamentos e direciona aos estudantes. Acesse o site para realizar doações.

Imagem de capa
audiodescrição: fotografia colorida mostra um estudante indígena conferindo uma lista que está colada em uma parede

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

Ampliação dos intercâmbios e colaborações em atividades de pesquisa foram possibilidades levantadas

Critérios de utilização e ampliação dos horários aumentam possibilidades de uso do Ginásio Multidisciplinar da Unicamp

Atualidades

Evento vai destacar a arte produzida no asfalto, nos semáforos e nas calçadas das cidades brasileiras

Houve crescimento do percentual de mulheres inscritas, que chegou a 40,6% do total de candidatos

Interessados poderão se inscrever até dia 12 de fevereiro

Cultura & Sociedade

Programa recebeu 91 estudantes de ensino médio de 30 escolas públicas durante 25 dias de atividades

Projeto ‘OSU para todos’ abre a temporada 2023; programação inclui também apresentações em instituições para crianças com deficiência e lar para idosos