Unicamp lança apoio psicológico e psiquiátrico para docentes

Com a preocupação de preservar a saúde mental da comunidade acadêmica no período de pandemia do novo coronavírus, a Unicamp está lançando nesta semana mais um serviço de apoio, desta vez voltado aos docentes. O apoio Psicológico e Psiquiátrico aos Docentes, oferecido em parceria entre Serviço de apoio Psicológico e Psiquiátrico (Sappe) e Centro de Saúde da Comunidades (Cecom), começará a atender professores na próxima terça-feira, dia 14 de julho, e já está recebendo demandas via e-mail: sappeass@unicamp.br. Os atendimentos são exclusivamente para docentes da Unicamp.

Inicialmente, o atendimento será em grupo. A partir das demandas, conforme explica a médica psiquiátrica e coordenadora do Sappe, Tânia Mello, poderão ser encaminhados atendimentos individuais. “A partir do primeiro atendimento, vamos ver o que que eles precisam. Algumas conversas vão ser em grupo porque tem situações a respeito das dificuldades que são enfretadas de uma maneira geral. Se houver necessidade individual a gente também vai com encaminhar de acordo com a demanda”.

Tânia pontua que o momento de pandemia traz dificuldades para todos, que podem ser agravantes na saúde mental. Para os docentes, ela salienta que a mudança na rotina de trabalho de forma abrupta traz também agravantes, que se somam às incertezas em relação aos desdobramentos no cenário da doença.  Ela cita, como exemplo, as mudanças do formato presencial de aulas para o formato online e a necessidade de lidar com perdas de colegas, além de fatores que já se prolongam há alguns anos, como os ataques às universidades.

“Estamos no cenário de muitas incertezas em relação à condução da pandemia. Junto com tudo isso a gente sabe que as comunidades científicas e universitárias também vêm sofrendo um desgaste muito grande próprio, então se coloca tudo isso ao mesmo tempo e a gente tem aí muitos fatores estressores que podem estar acentuando bastante a ansiedade das pessoas isso tem acontecido com todo mundo. Os docentes não são exceção. Há mudanças de rotina que acarretam em mudanças em padrão de sono e de alimentação e tudo isso tem uma repercussão”, avalia.

Além disso, segundo analisa a coordenadora do Sappe, docentes idosos têm de lidar com o fato de serem um dos grupos de risco para a Covid-19. Já os mais novos, em muitos casos, precisam adaptar a rotina com filhos. “ Os que estão mais velhos estão no grupo de risco e têm suas angústias. Os mais novos têm familiares e filhos pequenos e têm que lidar com o trabalho com filhos que não estão indo para escola. Muitas mulheres estão com todas jornadas ocupadas, sem ter ajuda. Então há esse sofrimento: muitas tarefas ao mesmo tempo sem ter todos os recursos disponíveis, o que gera muito estresse está numa situação de indefinição estendida”. 

Como acessar o atendimento?
Para participar do primeiro atendimento, que começa na terça-feira, dia 14 de julho, das 12h às 13h30, é necessário enviar um e-mail para sappeass@unicamp.br. A partir do contato, será enviado um link para acessar a sala. 

A Unicamp também possui um serviço de atendimento psicológico e psiquiátrico voltado a estudantes, via Sappe. Além disso, há uma rede de apoio em saúde mental para profissionais de saúde e para pacientes e familiares de pacientes internados nos hospitais da Universidade em virtude da Covid-19. Todos os atendimentos são virtuais, em virtude das medidas de distanciamento social. 

audiodescrição: flyer colorido de divulgação do serviço de atendimento aos docentes

Imagem de capa

audiodescrição: ilustração de cérebro, um lado está branco e outro lado colorido
Atendimento psicológico e psiquiátrico para docentes inicia no dia 14 de julho