A perda de Joaquim Brasil Fontes Jr., filósofo, tradutor e professor da FE

A Unicamp lamenta o falecimento do professor Joaquim Brasil Fontes Júnior, filósofo, pesquisador, tradutor e docente aposentado da Faculdade de Educação, ocorrido nesta quinta-feira. O corpo está sendo velado no Cemitério Flamboyant, onde será sepultado às 16 horas. Ele nasceu na cidade mineira de Formiga, em 14 de outubro de 1939 e faria, portanto, 80 anos de idade.

Com graduação e licenciatura em Letras pela PUC de Campinas, mestrado em Letras Modernas pela Université de Besançon e doutorado no Collège de France e École des Hautes Études, em Paris, Fontes Júnior defendeu tese de livre-docência na Unicamp sobre a lírica de Safo de Lesbos e atuou como professor colaborador no Grupo de Estudo Interdisciplinar em Sexualidade Humana (GEISH).

Em maio de 2017, o Jornal da Unicamp publicou entrevista com o professor Joaquim Fontes, quando traduziu Os Cantos de Maldoror e em abril do ano passado, um comentário do professor Roberto Goto sobre o último livro dele, Nigredo: estudos de morte e dulia.

O ensaio Eros, tecelão de mitos conquistou o 3º lugar do prêmio Jabuti de 1992 na categoria Ensaios; na categoria Tradução, figurou entre os dez escolhidos de 2004 com Safo de Lesbos – Poemas e Fragmentos; também recebeu o Jabuti de 2008 com a tradução de Hipólito e Fedra. Entre as obras próprias estão O livro dos simulacros (Clavicórdio, 2000), As obrigatórias metáforas (Iluminuras, 1999) e A musa adolescente (Iluminuras, 1998).

Imagem de capa

Joaquim Brasil Fontes
Joaquim Brasil Fontes