Pró-reitora analisa melhora de desempenho da Unicamp no Enade

Houve uma acentuada melhora no desempenho da Unicamp no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade 2017), de acordo com os Indicadores de Qualidade da Educação Superior – do qual derivam o Conceito Enade e o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD). Os resultados foram apresentados pelo Ministério da Educação e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) em 9 de outubro; agora em novembro, o Inep divulgará outros dois indicadores: o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC), também derivados dos resultados do Enade e de outros insumos.

A professora Eliana Amaral, pró-reitora de Graduação da Unicamp, faz uma análise dos resultados e atribui a melhora de desempenho da Universidade às ações de esclarecimento junto a todos os cursos que realizaram o Enade 2017, em visitas com a presença dos coordenadores e estudantes inscritos, buscando garantir uma participação consciente e minimizando o boicote – “que se manifesta comparecendo, mas não respondendo adequadamente às questões”. Em meio a uma longa viagem de trabalho, Eliana Amaral concedeu, por e-mail, a entrevista que segue.

Foto: Perri
Eliana Amaral: ações para uma participação consciente, amenizando o boicote

Portal da Unicamp – Houve uma melhora acentuada no desempenho da Unicamp em cursos como de arquitetura e urbanismo, ciência da computação, ciências biológicas e mesmo em ciências sociais. A que atribui essa melhora?

Eliana Amaral – A conscientização sobre a importância do Enade na avaliação do ensino superior permite a realização da prova de forma comprometida. A PRG reforçou ações de esclarecimento junto a todos os cursos que realizaram o Enade 2017, buscando garantir uma participação consciente, que representasse os conhecimentos adquiridos nos cursos de Graduação da Unicamp, minimizando o boicote que se manifesta comparecendo, mas não respondendo adequadamente às questões. Foram feitas visitas a todas as unidades pela assessora da PRG, professora Mara Patrícia Mikahil, com a presença dos coordenadores e estudantes inscritos de acordo com critérios encaminhados pelo Enade (concluintes 2017). Nestas reuniões, o foco foi esclarecer a todos sobre o Sistema de Avaliação do Ensino Superior (Sinaes) e seus componentes, incluindo Enade, e sobre a importância de uma participação consciente e qualificada.

Foi esclarecido que a participação é um componente curricular obrigatório com registro no diploma, requerido para todos os alunos do ensino superior selecionados no ano a que corresponde, em ciclos trienais. Também informamos que seus resultados são utilizados no processo de reconhecimento e renovação de reconhecimentos dos cursos de graduação pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) e também como critério de seleção em editais do Governo Federal. Ainda foi explicada a relevância do preenchimento de alguns instrumentos eletrônicos complementares que compõem a avaliação completa do Sinaes, que são o cadastro socioeconômico e questionário do estudante.

Na edição de 2017, tivemos 39 de 52 cursos com conceito Enade 4 e 5 e apenas um curso com conceito abaixo de 3. Além dessa situação específica, sabemos que pode ainda ter havido algum “boicote”. Muitos cursos tiveram acentuada melhora no conceito, o que entendemos ser reflexo da maior compreensão e adesão ao exame, gerando um resultado que reflete melhor o verdadeiro desempenho do nosso estudante, e consequentemente, do curso e da instituição. Mesmo que seja reconhecida a qualidade dos cursos da Unicamp, ter esses resultados permite oferecer à sociedade um retrato mais fiel deste nosso processo formativo de qualidade. Entendemos que a melhoria nestes conceitos reflete a participação comprometida dos nossos estudantes, com apoio das coordenações. 

Portal da Unicamp – Mas também houve piora, como em análise e desenvolvimento de sistemas, química tecnológica e educação física. Quais seriam os motivos?

Eliana Amaral – Temos que lembrar que conceito 3 significa curso adequado, na média dos demais. Esses três casos, que foram exceção entre os 52 cursos da Unicamp cujos estudantes realizaram a prova de 2017, precisam ser analisados, junto com a direção da unidade, coordenação e Núcleo Docente Estruturante. Não podemos saber se foi consequência de aumento de percentual de estudantes que optou por “boicotar a prova”. Não há razão para acreditar que outros motivos explicariam essa pequena variação. Os resultados da versão 2017 do Enade serão debatidos com os interessados assim que for divulgada, pelo Inep, a distribuição de respostas por questão para o conjunto de estudantes de cada um dos nossos cursos.

Para o curso de Educação Física Licenciatura, temos uma situação particular. Os alunos, em sua maioria, fazem duas habilitações que são bacharelado e licenciatura, e realizaram o Enade 2016 ao concluírem o Bacharelado em 2016. Mas alguns destes alunos que realizaram a prova foram convocados a fazer o Enade 2017, ano em que concluíram a sua 2ª habilitação (licenciatura). Podem ter comparecido, o que é a exigência, mas não respondido às questões da prova. Dos 37 inscritos no curso noturno, 23 fizeram a prova em 2016; no curso integral, 50 concluintes, sendo que 24 fizeram 2016 e 2017.

Portal da Unicamp – Houve um aumento no comparecimento dos alunos? Acha que há por parte deles maior conscientização sobre a importância do Enade? Por que considera essa participação importante?

Eliana Amaral – Acredito que é resultado do trabalho de conscientização que se tem feito ao longo dos anos, com importante envolvimento e dedicação das coordenações. O Conceito Preliminar de Curso (CPC), um indicador de qualidade que avalia os cursos de graduação. Seu cálculo e divulgação ocorrem no ano seguinte ao da realização do Enade, com base na avaliação de desempenho de estudantes, no valor agregado pelo processo formativo e em insumos referentes às condições de oferta – corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos –, conforme orientação técnica aprovada pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes). Ter uma avaliação suficiente no CPC e no Enade facilita o processo de Reconhecimento do Curso junto ao CEE. Esse fato contribui para um compromisso da comunidade da Unicamp com esses resultados. 

Portal da Unicamp – O boicote, como na pedagogia, ainda é uma questão a ser superada? Qual a argumentação para o boicote?

Eliana Amaral – Como para os outros cursos, foi realizada reunião na Faculdade de Educação com presença de um grande número de alunos, que questionaram a realização do exame e apresentaram seus argumentos. Os aspectos apontados, na discussão, referem-se a críticas ao processo de avaliação do ensino superior e sua pouca permeabilidade às características das diversas instituições, além de insatisfação com políticas oficiais que afetam a formação de professores, por exemplo. Após, mantiveram-se reunidos para discutir, deliberar e votar sobre sua participação no Enade 2017.

Portal da Unicamp – Quais as ações que a PRG vem colocando em prática em relação ao Enade?

Eliana Amaral – Além do processo de conscientização nas unidades, temos divulgado os resultados e explicado os componentes que compõem o Sinaes em visitas da Pró-Reitora às congregações das unidades de ensino e pesquisa e reuniões das instâncias acadêmicas, como Câmara Central de Graduação (CCG), Câmara de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) e Conselho Universitário (Consu). Também temos acompanhado as visitas para renovação de reconhecimento dos cursos realizadas pelas equipes de avaliadores designados pelo CEE e salientado o desempenho dos nossos estudantes e nossa participação no Sinaes. Nessas visitas sempre se discutem os resultados do Enade anterior e como orientar a comunidade acadêmica sobre a importância de termos uma avaliação de desempenho que faça justiça ao curso e à instituição. Lembramos ainda que um bom desempenho simplifica o processo de renovação de reconhecimento. A essas ações, somam-se as visitas anuais aos cursos selecionados no ano para realizar Enade, com presença das coordenações e estudantes. Este ano, serão os cursos de Ciências Econômicas, Administração, Administração Pública e os antigos cursos de Gestão da FCA que constam com alguns concluintes em 2018.

 

Imagem de capa

Eliana Amaral: ações para uma participação consciente, amenizando o boicote | Foto: Antoninho Perri
Eliana Amaral: ações para uma participação consciente, amenizando o boicote | Foto: Antoninho Perri