Smart Campus passa a contar com plataforma para Internet das Coisas

A Unicamp está cada vez mais perto de ter um “campus inteligente”. As soluções para Internet das Coisas (IoT, da sigla em inglês Internet of Things), desenvolvidas pelo projeto Smart Campus, estão sendo acopladas a uma plataforma que irá concentrar dados das diferentes frentes de atuação, estabelecendo conexões e facilitando o trabalho de toda a equipe. A plataforma Konker leva o nome da empresa que firmou a parceria com a Unicamp e que, por sua vez, é formada por alunos e ex-alunos da Universidade.

“A plataforma é um acelerador que permite que você consiga construir soluções em um tempo menor cruzando elementos que estariam segregados”, explicou o CEO da empresa, Alexandre Junqueira. A princípio a plataforma será usada apenas pelos envolvidos nos projetos do programa Smart Campus, desenvolvido pela Prefeitura do Campus. A ideia é disponibilizar a tecnologia para além da universidade assim que os projetos forem aprimorados.

Três pessoas estão sentadas na mesa de reuniões em destaque. A primeira delas é Alexandre Junqueita, de óculos, barba serrada, camiseta escura, ele sorri. Ao lado dele está Luis Gomez prestando atenção. De camisa polo clara ele tem cabelos mais compridos. Ao lado a professora Juliana avança com um dos braços pela mesa. Ela veste uma blusa escura com mangas médias. É loira dos cabelos lisos e compridos.
Alexandre Junqueira, da empresa Konker (em primeiro plano). Ao lado dele está Luis Gomez e a professora Juliana Borin

Dois exemplos de projetos pilotos que estão sendo desenvolvidos são a coleta inteligente de pilhas e baterias e o “smart parking” que será o estacionamento inteligente do campus de Barão Geraldo. No caso do estacionamento, câmeras irão indicar onde há vagas disponíveis. O sistema está operando de forma experimental no estacionamento do Instituto de Computação (IC). Os dados poderão ser disponibilizados em sites e aplicativos. "Uma observação importante é que as imagens feitas não trafegam pela rede, por questão de privacidade, sendo processadas do próprio dispositivo usando uma rede neural profunda. O dispositivo envia pela plataforma apenas quais vagas estão disponíveis e quais não estão, evitando qualquer problema de privacidade", ressaltou o cientista de dados da empresa e aluno de doutorado da Unicamp, Luis Gomez.

Já na coleta inteligente sensores foram colocados nas caixas de coletas de baterias para indicar quando será necessário fazer a coleta de pilhas e em quais locais. A plataforma também irá ajudar a escolher um melhor trajeto a ser feito quando as caixas precisarem ser esvaziadas.

Segundo a professora Juliana Freitag Borin, executora do convênio, todas as soluções envolvem dados coletados de diversos sensores. “Se concentramos os dados podemos cruzá-los e derivar um conhecimento que nem imaginávamos descobrir”, ressaltou. Dados de transporte podem ser cruzados com informações de clima para determinar a relação com fluxo de passageiros e atrasos, por exemplo.

Foto mostra como sistema enxerga os carros no estacionamento, fazendo a detecção das vagas. Os carros aparecem atrás de uma tela azul.
Projeto piloto no estacionamento do Instituto de Computação (IC): detecção dos carros para determinação de vagas
Foto mostra caixa de coleta de pilhas e baterias instalada na parede do prédio da Prefeitura.
Coleta inteligente de pilhas e baterias: sensores já estão conectados 

“Já temos nossos projetos dentro do Smart Campus como se pode verificar na página do Smart Campus ou no aplicativo Unicamp Serviços. Agora vamos começar a cruzar informações”, afirmou o líder do Smart Campus, Rafael Pereira de Sousa. As análises servirão para a melhor gestão da Unicamp e para a economia de recursos públicos.

A parceria do programa com a empresa Konker também envolve a Agência de Inovação – Inova Unicamp. O modelo de negócios precisou ser bastante estudado porque envolve a transferência de conhecimento a terceiros, conforme explicou a diretora de parcerias da Inova, Iara Ferreira. “Trata-se de uma parceria em que os resultados serão usados aqui mesmo na Unicamp. No modelo de negócios precisa estar previsto que os resultados possam também ser absorvidos por terceiros ou por startups ou pela própria empresa”. A empresa Konker, além de fornecer a plataforma, oferece investimento em pesquisa com o fornecimento de duas bolsas de iniciação científica e uma bolsa de mestrado para os alunos envolvidos no projeto.

Imagem da mesa de reunião com vários sete pessoas em volta da professora Teresa Atvars
Reunião entre a equipe envolvida no projeto e a coordenadora geral da Unicamp Teresa Atvars

A coordenadora geral da Unicamp, Teresa Atvars, lembrou que a Universidade está adotando nova governança de TI (Tecnologia da Informação) e salientou a importância da parceria com alunos e ex-alunos. “As empresas que surgiram de pessoas da Unicamp continuam ajudando a Universidade. É um ciclo virtuoso de cooperação criando inovação dentro do campus”, afirmou. Atvars destacou que a Unicamp está aberta a inovação que melhore o campus, mas que também gere produtos que possam ser absorvidos pela sociedade “qualificando nossos alunos da melhor maneira possível e abrindo oportunidades para todos”.

Leia mais sobre o programa Smart Campus:

Prefeitura da Unicamp utiliza tecnologia de dispositivos inteligentes para melhorar gestão

 

Imagem área do campus
Imagem área do campus

Imagem de capa

Imagem do sistema da empresa Konker
Imagem do sistema da empresa Konker