Unicamp terá Cátedra dos Refugiados. GT começa a trabalhar

A Unicamp instituiu um grupo de trabalho para implementação da Cátedra Sérgio Vieira de Melo, que irá estimular o debate e a produção de conhecimento sobre o tema dos refugiados. A iniciativa também tem o objetivo de tornar a universidade um ponto de apoio para essas populações. A Cátedra foi criada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) e homenageia o brasileiro que se dedicou ao trabalho com refugiados na ONU, vitima de um atentado no Iraque. “A migração de refugiados é um dos temas gritantes da atualidade e ganha destaque no Brasil, por sua posição geopolítica. A Unicamp, com essa iniciativa, assume protagonismo na interlocução com diversos atores sociais para minimizar as dificuldades enfrentadas por essa população”, afirmou a presidente do GT-Cátedra, Rosana Baeninger.

montagem
Presidente do GT-Cátedra, Rosana Baeninger

O grupo, criado pelo reitor Marcelo Knobel em consonância com seu programa de gestão, realizará um plano de trabalho de dois anos para a Cátedra, a ser aprovado pelo Alto Comissariado das Nações Unidas. Segundo Baeninger, o GT montado por Knobel tem duas características inovadoras. A primeira é juntar membros de diferentes unidades, o que garante a multidisciplinaridade e a continuidade futura da Cátedra. A segunda é incluir representantes de outras instituições parceiras da Universidade, como a Secretaria Municipal dos Direitos da pessoa com deficiência e cidadania, da Prefeitura de Campinas. “Essa composição possibilita que a Unicamp cumpra o papel de subsidiar ações que possam se converter em políticas públicas”, explicou.

A revalidação de diplomas para refugiados pela Unicamp é uma das ações a serem implementadas pela Cátedra. “A internacionalização da Universidade passa também pela questão do refúgio. Não apenas com estudantes refugiados que possam chegar, mas com o diálogo com outras instituições que possam acolhê-los”, enfatizou Baeninger. No âmbito interno, o objetivo é que os estudantes possam contar com uma rede de apoio receptiva e acolhedora. Além disso, o GT pretende promover seminários e oficinas que reúnam os refugiados da cidade para, por exemplo, desenvolver o domínio da língua portuguesa ou trocar de experiências.

A Cátedra Sérgio Vieira de Melo é uma iniciativa da agência da ONU para refugiados que visa, em parceria com universidades brasileiras, promover educação, pesquisa e extensão acadêmicas sobre a temática. Entre as 16 instituições que já possuem a Cátedra estão a Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e a Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp). Confira a lista completa.

O GT-Cátedra será lançado na próxima terça-feira (20), Dia Mundial do Refugiado, às 9h30, no Museu da Imigração, em São Paulo. O evento, organizado em parceria com o Observatório das Migrações, a Missão paz, os Observatórios de Políticas Públicas da USP e da PUC-SP e da Cátedra Sérgio Vieira de Melo da Universidade Federal do ABC, é aberto ao público (veja a programação).

exposição de fotos

Já como parte dos trabalhos do grupo, a mostra fotográfica Somos Todos Imigrantes, com imagens de refugiados e refugiadas da Missão Paz, será exibida na Biblioteca Central, a partir de 3 de julho. A exposição gratuita e aberta o público e poderá ser visitada de 2ª a 6ª,  das 7h30 às 22h30, até 31 de julho.