Instituto de Física comemora 50 anos

Grupo de professores em frente ao instituto de Física da Unicamp
Gerações de professores homenageiam IFGW

Responsável por algumas das inovações de maior destaque produzidas pela Universidade, como o desenvolvimento da primeira fibra ótica brasileira, o Instituto de Física “Gleb Wataghin” (IFGW) comemorou seus 50 anos, nessa terça-feira (25). Estiveram presentes na sessão solene, realizada no auditório do Instituto, o reitor Marcelo Knobel; a coordenadora geral da Unicamp, Teresa Dib Zambom Atvars; o diretor do IFGW, Newton Frateschi; e o diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Carlos Henrique Brito da Cruz.

Graduado pelo IFGW em 1989, Marcelo Knobel exaltou a importância do Instituto para sua trajetória e para o avanço tecnológico e científico do país. “Aqui construí minha vida e minha carreira. É muito emocionante meu primeiro evento como reitor ser aqui, na minha casa”, afirmou.

homens tiram pano vermelho de inauguração de placa de homenagem ao professor
Placa em homenagem ao professor José Ellis Ripper Filho

O professor José Ellis Ripper Filho foi o principal homenageado do evento por sua contribuição como idealizador e fundador do Departamento de Física Aplicada e por sua constante dedicação ao Instituto e à Unicamp. O diretor científico da Fapesp destacou, por sua vez, o caráter sempre propositivo de Ripper na Unicamp. Brito Cruz lembrou, à época em que foi reitor da Unicamp, da atuação do homenageado no Conselho Universitário. “Ripper sempre tem um caminho positivo para enfrentar as dificuldades.”

Os professores Júlio Cesar Hadler Neto e Richard Landers, que fizeram parte da primeira turma formada pelo IFGW, em 1971 e, hoje, são seus mais antigos professores na ativa, também foram homenageados e contaram histórias sobre os primórdios do Instituto. Landers lembrou sua primeira aula laboratorial, em que o professor o ensinara a utilizar a régua de cálculo. “Um instrumento interessantíssimo”, contou em tom de brincadeira à audiência repleta de jovens acostumados às calculadoras científicas e computadores.

Newton Frateschi ressaltou a relação intrínseca entre a história do Institutoi e da Unicamp. “O IFGW é a força motriz que impulsiona a Universidade para frente”, concluiu.

Além da placa em homenagem ao professor Ripper, foi descerrado um memorial em homenagem aos ex-alunos, contendo mais de 1.800 nomes formados entre 1971 e 2016. Uma exposição com fotos do período também pode ser apreciada.

Grupo de funcionários em frente ao instituto de física
Funcionários em frente ao IFGW
Grupo de jovens em frente ao instituto de física
Estudantes participam das comemorações
Homem calvo de bigode fala ao microfone
Professor Júlio Cesar Hadler Neto
Homem de óculos fala ao microfone
Professor Richard Landers
auditório lotado de professores, estudantes e funcionários
Professores, funcionários e estudantes acompanham as comemorações
Homem em primeiro plano fala ao microfone de perfil. ao fundo mesa com autoridades
Professor José Ellis Ripper Filho conta sua trajetória
Mulher em primeiro plano tira foto de mural de fotos. Outras pessoas ao redor acompanham e observam o mural
Mural de fotos conta história do IFGW
Jovens apontam para placa em homenagem aos alunos do instituto de física
Memorial em homenagem aos ex-alunos