Yaro Burian, mais um contemplado com o título de Professor Emérito

Yaro adentra a sala do Consu, seguido pelos seus filhos
Yaro adentra a sala do Consu, seguido pelos seus filhos

Um dos maiores expoentes da Unicamp, o professor Yaro Burian Júnior, colocou “toda” a sua vida em prol de “todas” as escolas de engenharia do país. Foi assim que iniciou o seu discurso o professor da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) José Cláudio Geromel, um dos proponentes do nome de Yaro para receber, na tarde desta segunda-feira (10), o título de Professor Emérito da Unicamp. Yaro é professor aposentado da FEEC, mas continua atuando como colaborador  e, portanto, são 45 anos de atividade ininterrupta nesta Universidade.

A cerimônia de outorga do título, na sala do Conselho Universitário (Consu), contou com a presença do professor Osires Silva, ex-ministro da Infraestrutura e ex-ministro das Comunicações do Brasil, que foi colega de turma de Yaro no Instituto de Aeronáutica (ITA) e fundador da Embraer. “Ele fez engenharia eletrônica e eu engenharia aeronáutica. Yaro, em 1962, foi o primeiro colocado do ITA e é uma pessoa de quem devemos ter orgulho”, disse Osires ao lembrar do companheiro de turma.

Participaram ainda da solenidade o reitor da Unicamp José Tadeu Jorge, o coordenador geral da Universidade Alvaro Crósta, o pró-reitor de Desenvolvimento Universitário Leandro Palermo, o pró-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários João Frederico Meyer, o diretor da FEEC João Marcos Travassos Romano e o professor associado do Departamento de Semicondutores, Instrumentos e Fotônica Fabiano Fruett. Yaro foi introduzido ao recinto do Consu pelos filhos Paulo e Natália Procópio Burian. Sua esposa, Ana Cristina Cavalcante Burian, sentou-se na primeira fileira da tribuna.

O ex-ministro Osires Silva prestigia o homenageado
O ex-ministro Osires Silva prestigia o homenageado

Geromel contou que foi aluno de pós-graduação de Yaro na Unicamp a quem qualificou como um "verdadeiro mestre". Lembrou de algumas facetas do homenageado. Disse que ele se graduou no ITA, um ícone da engenharia; sempre esteve entre os melhores alunos da instituição; foi convidado a trabalhar no CNRS (em português, 'Centro Nacional da Pesquisa Científica'), o maior órgão público de pesquisa científica da França e uma das mais importantes instituições de pesquisa do mundo. Na França,  tornou-se um dos primeiros engenheiros brasileiros a obter o título de Doutor de Estado.

Além de sua atuação na engenharia, Yaro também transitou com grande facilidade na área cultural, tocando com desenvoltura violino e viola. Foi diretor do Instituto de Artes (IA) na década de 1980. Criou uma disciplina eletiva de graduação em acústica aplicada à música e iniciou, com outros colegas, um certificado de estudos nessa área. “Generoso com os alunos, desvendou para eles, em contraposição à aparente aridez da engenharia elétrica, as doçuras do violino, da fotografia como hobby e das orquídeas”, registrou o texto do cerimonial da outorga. “Seu brilho e excelência sempre pairou sobre os seus orientandos”, realçou Geromel.

Sua tese de mestrado foi a sexta do ITA inteiro e uma das primeiras do país em Engenharia Elétrica. Foi autor de livros técnicos, entre eles Osciladores Eletrônicos e Circuitos Elétricos, adotados como referência em todas as escolas de engenharia do país. “Mesmo aposentado, não deixou a Unicamp. E vem se mantendo na linha de frente, dedicado e presente, muito mais que se possa esperar de um professor. Por tudo isso, já se consolidou como exemplo de valor e de competência”, exaltou Geromel.

Público na sala do Consu
Público na sala do Consu

Com a palavra, João Marcos Romano ressaltou na solenidade o prazer de participar dessa prestigiosa e justa homenagem a um professor da envergadura de Yaro. Citou Rainer Maria Rilke, em Cartas a um Jovem Poeta, nas quais o autor coloca sua opinião sobre diversos aspectos da vida e da arte. Diz que o amor é difícil... e que por isso os jovens são imperfeitos. "O amor não é somente o amor romântico. Existe o amor a uma causa, ao ensino e a quem a se ensina", apontou, fazendo alusão a Yaro. Ainda afirmou que "felizmente a FEEC tem um exemplo acabado de dedicação que anda pelos corredores e pelas salas de aula, da onde saem tantas conversas interessantes e produtivas”.

O pró-reitor João Frederico Meyer frisou que Yaro marcou a sua passagem pela Unicamp. Assinalou outras importantes participações dele em algumas ações na Adunicamp e na época da sua exoneração, por ato arbitrário, dentro do processo de intervenção, quando foi diretor do IA (1980-1981). “Yaro sempre demonstrou bom-humor em todas as circunstâncias e sempre procurou colocar a ciência a serviço da comunidade. O senhor é um grande exemplo da extensão que se faz em nosso meio.”

Em seu discurso, Yaro Burian comentou a emoção pela honraria. Contou pequenas histórias, entre elas a sua chegada a Campinas e sua atuação no IA, tocando ao lado do compositor Almeira Prado, de um professor da Física (que fabricava cravos) e do médico Joel Giglio. “Com Joel, fizemos vários duetos. Tocamos inclusive num banquete na casa do Plínio de Moraes”, revelou. Uma particularidade: Yaro criou o Conjunto de Câmara da FEEC, o qual integra desde a primeira formação.

Assinatura do termo de outorga do título
Assinatura do termo de outorga do título

Yaro foi um dos introdutores da multidisciplinaridade na FEEC. Ele também lembra que, ao ministrar uma palestra sobre controle de máquinas, passou a ser chamado para diversas bancas de mestrado e doutorado. "Tornei-me um maquineiro”, brincou. Teve a oportunidade ainda de participar de uma excursão organizada por Hermógenes Leitão para coleta de plantas, de quem ganhou um elogio: "ele me disse que eu era um bom taxonomista".

O homenageado falou da sua preocupação com a questão da excessiva cobrança de produtividade dos professores, uma obrigatoriedade nas universidades. Classificou como um avanço o debate sobre outras formas de avaliação a partir de 2009. “Isso deve ser levado em conta, pois os professores têm múltiplas tarefas."

Yaro também expôs que muitos professores encaram como sua única motivação a publicação para enriquecimento do currículo. Eles deveriam, em sua opinião, se dedicar ao aprofundamento do tema, não visando apenas benefícios pessoais em detrimento do conhecimento. “O tempo dedicado à produção de paper deveria ser empregado para o ensino”, defendeu. Aproveitou para lançar uma reflexão sobre os atuais rankings universitários e sobre os editais de concursos para admitir docentes. “O examinador é proibido de examinar a qualidade”, lamentou. Terminando as suas considerações, Yaro foi seguidamente aplaudido pelo público que compareceu à sala do Consu.

Professor Geromel, ex-aluno de Yaro, discursa na cerimônia
Professor Geromel, ex-aluno de Yaro, discursa na cerimônia

Alvaro Crósta reconheceu a enorme contribuição de Yaro à Unicamp em várias atividades como mestre e formador de uma geração de engenheiros. “Além de cientista, é um artista do violino”, recordou. Agradeceu particularmente a participação de Yaro na Comissão da Verdade, a convite de Crósta. “Você fez um trabalho brilhante. É muito merecedor dessa homenagem e seu nome engrandece a FEEC e a Unicamp”, destacou.

O reitor da Unicamp manifestou sua satisfação pessoal e institucional de homenagear Yaro, principalmente pelo fato de poder lhe entregar a maior honraria que se pode oferecer aos docentes da Universidade. “A sua trajetória espelha orgulho e dignifica a Unicamp”, disse. Enfatizou que a preocupação com a formação adequada dos alunos é o traço mais marcante da personalidade de Yaro e o que mais reflete a sua longa contribuição nesses 45 anos dedicados à Unicamp. "Os resultados aparecem e mostram essa trajetória ímpar", finalizou.

Yaro Burian graduou-se em Engenharia Eletrônica pelo ITA em 1962, fez mestrado em Ciências também pelo ITA (1964) e Doutorado de Estado (Docteur D'etat) pela Université Toulouse (1968), França. Sua experiência principal é na área de Engenharia Elétrica, atuando nas especialidades de circuitos elétricos, eletrônica e máquinas elétricas. Pertence ao Departamento de Máquinas, Componentes e Sistemas Inteligentes.

Assista vídeo produzido pela TV Unicamp

Mesa diretiva da solenidade de outorga de título
Mesa diretiva da solenidade de outorga de título
João Romano: homenagem prestigiosa e justa a Yaro
João Romano: homenagem prestigiosa e justa a Yaro
João Frederico Meyer discursa ao lado de Fabiano Fruett
João Frederico Meyer discursa ao lado de Fabiano Fruett
Yaro se mostra comovido pela homenagem
Yaro se mostra comovido pela homenagem
Crósta agradeceu Yaro pela participação na Comissão da Verdade
Crósta agradeceu Yaro pela participação na Comissão da Verdade
O reitor da Unicamp ressalta as características de Yaro
O reitor da Unicamp ressalta as características de Yaro
Yaro Burian Júnior é homenageado por colegas
Yaro Burian Júnior é homenageado por colegas