Unicamp assina acordo de cooperação para o megaprojeto internacional DUNE

Edição de imagem

No mês de novembro, a Unicamp e instituições científicas de mais quatro países assinaram um acordo de cooperação comprometendo-se com o fornecimento de tecnologias para o DUNE, experimento internacional que empregará enormes detectores de partículas para o estudo do comportamento de neutrinos. O projeto, que agrega milhares de cientistas de 200 instituições de pesquisa do globo, é hospedado pelo Fermilab, laboratório de física de partículas dos Estados Unidos, e visa determinar se os neutrinos – diminutas partículas que permeiam o cosmo, mas que raramente interagem com algo – podem ser a razão de o universo ser composto por matéria.

Para alcançar esse objetivo, o projeto conjunto está desenvolvendo e instalando detectores de neutrinos em pontos diferentes dos Estados Unidos: o primeiro deles no próprio Fermilab, localizado na cidade de Batavia, no Estado de Illinois, e o segundo no Laboratório de Pesquisas Subterrâneas de Sanford (Surf, na sigla em inglês), localizado em Dakota do Sul. Este último, de maiores proporções, será construído a 1.500 metros de profundidade, distribuído em três cavernas que antigamente faziam parte de uma das maiores minas de exploração de ouro do país.

A pesquisadora Ana Amélia Machado, o engenheiro do IFGW Eliabe Queiroz e o X-Arapuca: 1,5 mil módulos serão instalados nos detectores do DUNE
A pesquisadora Ana Amélia Machado, o engenheiro do Instituto de Física Gleb Wataghin Eliabe Queiroz e o X-Arapuca: 1,5 mil módulos serão instalados nos detectores do DUNE

Além da Unicamp, representada pela sua coordenadora-geral, Maria Luiza Moretti, estiveram no Fermilab para a assinatura do acordo representantes da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN, na sigla em francês), sediado na Suíça, do Instituto Nacional de Física Nuclear e Física de Partículas da França, do Instituto Nacional de Física Nuclear da Itália e do Conselho de Instalações de Ciência e Tecnologia/Pesquisa e Inovação do Reino Unido. Juntos, os cinco países se comprometeram a fornecer componentes para os dois detectores do DUNE.  

Segundo o acordo, o Brasil, que tem na Unicamp a líder dos trabalhos científicos e tecnológicos realizados no país, contribuirá com tecnologias para o sistema de detecção de fótons, partículas que compõem a luz e que são um dos sinais utilizados para encontrar os neutrinos. “Nunca imaginei, na minha vida, que um dia eu estaria representando a minha Universidade e meu país em um projeto tão maravilhoso, incomum e notável. Muito embora sejamos de lugares diferentes do mundo, nós somos um time neste momento. Embora falemos idiomas distintos, nós todos falamos a língua da ciência, da educação e do progresso”, comemora a professora Moretti.

Imagem de capa
Da esquerda para a direita, Maria Luiza Moretti, coordenadora-geral da Unicamp; Reynald Pain, diretor do IN2P3, da França;  Lia Merminga, diretora do Fermilab; Marco Pallavicini, vice-presidente do INFN, da Itália;  Michele Weber, diretor do Laboratório de Física de Alta Energia da Universidade de Berna, na Suíça; Mark Thomson, presidente-executivo do Science and Technology Facilities Council (STFC)

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

O grupo é composto por 65 intercambistas de graduação, que farão disciplinas isoladas em diferentes cursos, e 70 alunos regulares de pós-graduação

No espaço, o cliente escolhe o produto, faz o pagamento e prepara sua refeição nos equipamentos de apoio disponíveis no local;  a loja funciona 24 horas por dia, ininterruptamente

Atualidades

Professor do Instituto de Geociências e autor do livro “Africano: uma introdução ao continente”, Kauê Lopes dos Santos comenta aproximação com países como Egito e Etiópia

Estudos anteriores já apontavam a proteína MKK3 como um fator importante na sobrevivência e proliferação de células tumorais

Diversas iniciativas são realizadas nos meses de janeiro e fevereiro com o intuito de fomentar a formação continuada dos estudantes universitários

Cultura & Sociedade

O evento acontecerá entre os dias 29 de fevereiro e 10 de março; a obra ESTAFA ou sobre os sonhos não dormidos foi selecionada na categoria de peças internacionais

Estudo pioneiro foi realizado no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás; o papel da biodiversidade é fundamental no aumento da resistência à invasão biológica