Embaixador conhece iniciativas de inovação na Unicamp

Autoria
Edição de imagem

O novo secretário de Promoção Comercial, Ciência, Tecnologia, Inovação e Cultura do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Laudemar Aguiar, foi recebido nesta quarta-feira (31) pelo reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles. No encontro, eles discutiram iniciativas de inovação em desenvolvimento na Universidade e possibilidades de ampliação de mecanismos de intercâmbio de estudantes, pesquisadores e docentes.

O embaixador lembrou que as universidades brasileiras possuem sistemas consolidados de intercâmbio, mas usam pouco o mecanismo da concessão de bolsas para que estudantes estrangeiros venham para o Brasil. “A Sérvia concede bolsas a estudantes do Suriname, por exemplo. Por que o Brasil não faz isso?”, questiona ele. “Precisamos entender que isso pode ser estratégico para nosso país”, acrescenta.

O embaixador disse que o governo tem interesse em ampliar colaborações com as universidades públicas em todas as áreas do conhecimento. Segundo ele, as embaixadas brasileiras estão à disposição da Universidade para eventuais contatos com instituições de ensino superior estrangeiras. “É claro que a Unicamp tem seus contatos com universidades internacionais, mas queremos colocar as estruturas do governo para ajudar nesse processo, quando vocês precisarem”, disse Aguiar ao reitor.

Meirelles mostrou ao embaixador algumas das pesquisas que a Unicamp realiza. Revelou detalhes, por exemplo, da participação da Universidade no projeto DUNE (Deep Underground Neutrino Experiment) – um programa internacional que se propõe a fazer a identificação de neutrinos, num trabalho que pode ajudar na compreensão da origem do mundo. O DUNE conta com mais de mil colaboradores de 30 países. A Unicamp coordena a equipe brasileira e é a principal representante nacional no projeto.

##
O diplomata Laudemar Aguiar também visitou o projeto Sirius, no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais

O reitor chamou a atenção, ainda, para projetos em energia limpa, hidrogênio verde e bioenergia, além do projeto do HIDS (Hub Internacional de Desenvolvimento Sustentável). O plano prevê a implantação de um distrito inteligente em áreas da Unicamp e regiões vizinhas em que serão reunidas instituições públicas e privadas voltadas para a produção de ciência, tecnologia e inovação.

Antes da Unicamp, o embaixador esteve no CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais), responsável pelo projeto Sirius, uma das três fontes de luz síncrotron de quarta geração em operação no mundo. Localizado próximo ao campus de Barão Geraldo, da Unicamp, o Sirius é a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no Brasil. 

O embaixador conversou ainda com a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Adriana Flosi. Laudemar Aguiar é diplomata desde 1982. Serviu nas embaixadas do Brasil na então União Soviética, na Espanha, na França (em duas ocasiões), no Uruguai, no Reino Unido e em Gana. De novembro de 2017 a fevereiro de 2021, foi embaixador no Suriname. Entre os anos de 2021 e 202, foi embaixador em Teerã.

Também participaram da audiência a coordenadora-geral da Unicamp, professora Maria Luiza Moretti, e o diretor executivo da Diretoria Executiva de Relações Internacionais (DERI), Osvaldir Taranto.

Imagem de capa
O embaixador Laudemar Aguiar disse que o governo tem interesse em ampliar colaborações com as universidades públicas em todas as áreas do conhecimento

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

A publicação apresenta um panorama das pesquisas desenvolvidas por estudantes e pesquisadores indígenas nas diferentes regiões do país, em todas as áreas do conhecimento

O grupo é composto por 65 intercambistas de graduação, que farão disciplinas isoladas em diferentes cursos, e 70 alunos regulares de pós-graduação

No espaço, o cliente escolhe o produto, faz o pagamento e prepara sua refeição nos equipamentos de apoio disponíveis no local;  a loja funciona 24 horas por dia, ininterruptamente

Atualidades

O projeto “Reator sustentável: constituído por eletrodos de óxidos metálicos e células solares, para aplicações na descontaminação de água ou conversão de CO2 utilizando energia solar” é desenvolvido no âmbito do Centro de Inovação em Novas Energias 

Professor do Instituto de Geociências e autor do livro “Africano: uma introdução ao continente”, Kauê Lopes dos Santos comenta aproximação com países como Egito e Etiópia

Estudos anteriores já apontavam a proteína MKK3 como um fator importante na sobrevivência e proliferação de células tumorais

Cultura & Sociedade

Escritor e articulista, o sociólogo foi presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais no biênio 2003-2004

O evento acontecerá entre os dias 29 de fevereiro e 10 de março; a obra ESTAFA ou sobre os sonhos não dormidos foi selecionada na categoria de peças internacionais