Unicamp dá boas-vindas a ingressantes de 2023

Autoria
Edição de imagem
##
Calourada 2023: estudantes podem conhecer a estrutura da Unicamp e se familiarizar com a vida acadêmica.

O brilho nos olhos e o sorriso de uma nova geração de estudantes deram o tom do início de mais um ano letivo da Unicamp. Com o tema “Autonomia em defesa da ciência, ciência em defesa da vida”, a Calourada 2023 marca as boas-vindas às alunas e aos alunos de graduação que chegam à universidade. A programação é composta por atividades culturais e de recepção, em que os estudantes podem conhecer a estrutura da Unicamp e começar a se familiarizar com a vida acadêmica. Os eventos ocorrem no campus de Barão Geraldo, em Campinas, e nas Faculdades de Ciências Aplicadas (FCA) e de Tecnologia (FT), em Limeira. Os ingressantes da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP) participam da recepção em Campinas.

O dia de recepção teve início às 9h, no Ginásio Multidisciplinar (GMU), com a distribuição do Kit Ingresso, composto por uma camiseta, uma caneca e uma sacola ecológica. Além de receberem as orientações sobre a programação, a ocasião serviu para quebrar o gelo entre os ingressantes, que conheceram colegas de curso e já fizeram as primeiras amizades. Foi o caso das calouras Emily Pereira, Laís Tabossi e Estela Dias, ingressantes do curso de Farmácia. “Acabamos de nos conhecer!”, conta Emily. Moradora de Campinas, ela tem grandes expectativas para a vida universitária. "Quero participar de projetos, fazer iniciação científica. Não sei se vou dar conta de tudo que quero fazer (risos)." Estela também quer aproveitar tudo o que a universidade pode oferecer à sua formação. "Sempre quis trabalhar com biologia molecular, e a farmácia tem muito destaque nessa área", comenta a jovem vinda de São Paulo.

Gustavo Colucci também está empolgado para dar início à vida universitária. Esta é a primeira vez que o jovem paulistano sai da casa dos pais. Calouro de Engenharia Agrícola, ele revela que se inscreveu também em outros cursos, mas a excelência da Unicamp fez com que ele escolhesse Campinas. “A Unicamp tem um dos melhores cursos de engenharia agrícola do país e é a segunda melhor universidade do Brasil. Adorei o campus, é muito organizado, e o clima é muito legal. Pensei: é para cá que quero vir".

Segunda melhor universidade do país, a Unicamp atrai estudantes de perto e de longe. Igor Stein veio do Paraná para o Curso 51 e já pensa em seguir na área de Física. Para ele, a estrutura do campus foi um dos grandes fatores que pesaram na escolha. Ele conta que nunca tinha estado em Campinas, mas passava horas explorando a universidade pelo Google Street View. “É a primeira vez que venho pessoalmente, já dei quatro voltas pelo campus. É incrível!” Já Josué Vasques vem de mais longe, da cidade de Benjamin Constant, no Amazonas. Ingressante pelo Vestibular Indígena e calouro de Economia, a vinda para a Unicamp é uma grande mudança em sua vida. “Estou conhecendo várias pessoas, tenho grandes expectativas", conta Josué, da etnia Ticuna.

Em meio aos calouros, estudantes veteranos aproveitaram a manhã para integrar seus novos colegas à dinâmica dos cursos. Erin Ohashi é uma dessas veteranas. A estudante, que agora dá início ao segundo ano do curso de Biologia, conta que ter sido bem recebida pelos estudantes foi importante para que pudesse se sentir parte de uma comunidade. “Cheguei em Campinas e não conhecia ninguém, mas fui muito acolhida. Por isso, quero passar isso aos meus calouros também, queremos perpetuar essa tradição de cuidado", conta a veterana, que preparou com os colegas uma semana inteira de atividades especiais aos ingressantes.

A recepção teve sequência às 9h30, no Teatro de Arena, com as boas-vindas dadas pelo reitor Antonio José de Almeida Meirelles
A recepção teve as boas-vindas dadas pelo reitor Antonio José de Almeida Meirelles 

Acolhida e cuidado

A recepção teve sequência às 9h30, no Teatro de Arena, com as boas-vindas dadas pelo reitor Antonio José de Almeida Meirelles e apresentação de pró-reitores e integrantes da administração central da Unicamp. Na saudação aos estudantes, Meirelles lembrou de sua própria experiência como ingressante da Universidade em 1976. "Todos os anos, temos a alegria de receber novos jovens que dão vida à universidade, pessoas que trazem à nossa comunidade uma nova energia", destacou.

Ao longo da apresentação, o reitor também ressaltou a importância da autonomia administrativa e da defesa da democracia para o destaque que a universidade tem na ciência brasileira, sendo responsável por 8% da produção científica nacional, além da excelência dos seus cursos de graduação e pós-graduação. “As ideias de autonomia e democracia são tradições da vida universitária não só aqui, mas em todo o mundo. Fazemos isso preservando a democracia e promovendo a inclusão.”

As boas-vindas tiveram sequência com a apresentação dos pró-reitores de Graduação e Extensão e Cultura, Ivan Toro e Fernando Coelho, da diretora executiva de Direitos Humanos, Silvia Santiago, e da chefe de gabinete adjunta, Adriana Nunes Ferreira. Eles falaram dos cuidados com o bem-estar dos estudantes e dos objetivos da Unicamp em oferecer uma formação integral, humana e cidadã. “Queremos estimular a reflexão sobre o agir político dos alunos. Qual é meu lugar no mundo e como posso transformá-lo?”, pontuou Adriana Ferreira.

##
Os pró-reitores de Graduação e Extensão e Cultura, Ivan Toro e Fernando Coelho, respectivamente deram as boas-vindas aos estudantes

Pró-reitor de Graduação, Ivan Toro também compartilhou sua memória de, um dia, ter sido calouro da Unicamp. "Entrei como aluno na Unicamp em 1976 e, naquela época, também tive uma recepção com o então reitor, professor Zeferino Vaz, fundador da Universidade. Eu nunca imaginaria que, anos depois, estaria dando boas-vindas a uma nova geração de estudantes. Agora, vocês fazem parte da minha história”, comentou Ivan, que destacou a liberdade dos estudantes de construírem seus futuros por meio da universidade.

Silvia Santiago foi na mesma direção e ressaltou o papel da universidade na construção de uma sociedade justa e democrática, o que passa pela transversalidade na defesa dos direitos humanos. "A universidade nos coloca no mundo de forma diferente, ela amplia nosso olhar para as questões da sociedade. Nossa aposta é formar cidadãos competentes e que vão transformar o mundo lá fora."

Já Fernando Coelho lembrou que os ingressantes de 2023 formam o primeiro grupo de estudantes que terão parte de suas grades curriculares destinadas a atividades de extensão universitária, cumprindo o projeto de curricularização da extensão da Unicamp. Ele explicou o papel dos projetos em levar o conhecimento universitário à sociedade e promover junto a ela trocas e aprendizagens. "Tenho certeza de que vocês terão experiências humanas muito interessantes, que se juntarão à atividade profissional de cada um", afirmou.

A programação da Calourada 2023 continua ao longo de todo o dia com atividades nos campi em Campinas e Limeira.

Acesse outras informações sobre a programação.

Confira os depoimentos dos estudantes

Gustavo (à direita) e Thiago (à esquerda)
“Já conhecia a Unicamp pelas olimpíadas científicas, cheguei a participar de um programa de iniciação científica pela Obmep [Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas].” (Thiago Nascimento – 18 anos – calouro de Engenharia Agrícola, à esquerda) e “A Unicamp é a segunda melhor universidade do país. Quero sair daqui contando histórias.” (Gustavo Colucci – 18 anos – calouro de Engenharia Agrícola, à direita)
“Escolhi a Unicamp pela excelência no ensino, e a estrutura é incrível!” (Igor Stein – 17 anos – calouro do Curso 51)
“Escolhi a Unicamp pela excelência no ensino, e a estrutura é incrível!” (Igor Stein – 17 anos – calouro do Curso 51)
Da esq. para dir.: "É meu sonho estudar aqui desde o ensino médio, e é uma das melhores universidades da América Latina, não tem como ser outra" (Emily Pereira – 20 anos – caloura de Farmácia); “Moro em Barão Geraldo, e a Unicamp é do lado da minha casa! Posso vir a pé para a universidade.” (Laís Tabossi – 20 anos – caloura de Farmácia); "Sempre quis trabalhar com biologia molecular, e a farmácia tem muito destaque nessa área." (Estela Dias – 20 anos – caloura de Farmácia)
Da esq. para dir.: "É meu sonho estudar aqui desde o ensino médio, e é uma das melhores universidades da América Latina, não tem como ser outra" (Emily Pereira – 20 anos – caloura de Farmácia); “Moro em Barão Geraldo, e a Unicamp é do lado da minha casa! Posso vir a pé para a universidade.” (Laís Tabossi – 20 anos – caloura de Farmácia); "Sempre quis trabalhar com biologia molecular, e a farmácia tem muito destaque nessa área." (Estela Dias – 20 anos – caloura de Farmácia)
"A Unicamp é a universidade que eu queria. Estou conhecendo várias pessoas, tenho grandes expectativas" (Josué Vasques – 26 anos – calouro de Economia)
"A Unicamp é a universidade que eu queria. Estou conhecendo várias pessoas, tenho grandes expectativas" (Josué Vasques – 26 anos – calouro de Economia)

 

Imagem de capa
A programação é composta por atividades culturais e de recepção, em que os estudantes podem conhecer a estrutura da Unicamp e começar a se familiarizar com a vida acadêmica

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

A publicação apresenta um panorama das pesquisas desenvolvidas por estudantes e pesquisadores indígenas nas diferentes regiões do país, em todas as áreas do conhecimento

O grupo é composto por 65 intercambistas de graduação, que farão disciplinas isoladas em diferentes cursos, e 70 alunos regulares de pós-graduação

No espaço, o cliente escolhe o produto, faz o pagamento e prepara sua refeição nos equipamentos de apoio disponíveis no local;  a loja funciona 24 horas por dia, ininterruptamente

Atualidades

O projeto “Reator sustentável: constituído por eletrodos de óxidos metálicos e células solares, para aplicações na descontaminação de água ou conversão de CO2 utilizando energia solar” é desenvolvido no âmbito do Centro de Inovação em Novas Energias 

Professor do Instituto de Geociências e autor do livro “Africano: uma introdução ao continente”, Kauê Lopes dos Santos comenta aproximação com países como Egito e Etiópia

Estudos anteriores já apontavam a proteína MKK3 como um fator importante na sobrevivência e proliferação de células tumorais

Cultura & Sociedade

Escritor e articulista, o sociólogo foi presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais no biênio 2003-2004

O evento acontecerá entre os dias 29 de fevereiro e 10 de março; a obra ESTAFA ou sobre os sonhos não dormidos foi selecionada na categoria de peças internacionais