Unicamp se engaja na campanha 'Dia de Doar'

Edição de imagem

No dia 29 de novembro, próxima terça-feira, será celebrado o Dia de Doar, um movimento mundial que acontece em mais de 85 países simultaneamente. Trata-se de uma oportunidade para contribuir com a Unicamp, por meio do Fundo Patrimonial Lumina. Empresas e pessoas físicas podem ajudar diretamente a Universidade com doações para viabilizar a execução de projetos nas áreas de pesquisa, ensino, extensão e inovação.

O Dia de Doar tem como objetivo impulsionar a doação por pessoas físicas, empresas e organizações e fortalecer o hábito de doar como parte do cotidiano das pessoas. Segundo a Associação Brasileira dos Captadores de Recursos, em 2021, o movimento arrecadou mais de R$ 2 milhões em doações online no Brasil e mais de 23 milhões de pessoas foram alcançadas pelas redes sociais, o que ressalta a importância do ato de doar.

Bolsas para alunas de baixa renda

Lançado em outubro de 2020, o Lumina recebe doações de pessoas físicas e jurídicas. A ideia é que alunos, ex-alunos, empresas, instituições públicas e a sociedade em geral apoiem a Universidade na formação de talentos, no desenvolvimento de pesquisas de qualidade e na realização de suas atividades de assistência e extensão.

Um exemplo desse apoio ocorreu em agosto deste ano, quando a empresa norte-americana Qualcomm Incorporated (Nasdaq:Qcom) anunciou a doação de US$ 750 mil (cerca de R$ 3,8 milhões) ao Lumina da Unicamp. Firmado o contrato de doação, em outubro, os recursos, que serão disponibilizados pelos próximos três anos, em datas a serem definidas pela empresa, deverão financiar bolsas de estudo para alunas de graduação de baixa renda das áreas de engenharia e ciência da computação.

O investimento também deverá ser empregado no acesso às plataformas de borda inteligente conectadas da Qualcomm, por meio de 5G, inteligência artificial, internet das coisas, entre outras. A ideia é fomentar o ecossistema de tecnologia e ajudar a criar engenheiras e engenheiros que conheçam as novas tecnologias e tendências, entre as quais os semicondutores e a IOT (internet das coisas).

“Esta é a aplicação mais importante de recursos destinados ao fundo Lumina. Além de preparar graduandos de alto nível para o mercado de trabalho, contribuindo para o desenvolvimento tecnológico e a geração de riqueza, estamos trabalhando efetivamente para aumentar a inclusão de estudantes mulheres jovens e em situação de vulnerabilidade econômica”, afirma o reitor da Unicamp, professor Antonio José de Almeida Meirelles.

Registro do anúncio da doação feito pela Qualcomm, em agosto último
Coletiva de imprensa do anúncio da doação de US$ 750 mil feito pela Qualcomm Incorporated, em agosto último, em São Paulo

A ideia de investir no Lumina da Unicamp partiu do atual CEO da Qualcomm, o brasileiro Cristiano Amon, que foi estudante da Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação (Feec) da Unicamp. Em 2019, Amon recebeu o título de Doutor Honoris Causa da Universidade por suas relevantes contribuições às ciências, letras e artes e pelos serviços prestados à sociedade e à Unicamp.

“A Unicamp trabalha nutrindo a paixão dos alunos por engenharia e ciência da computação, e estamos orgulhosos de apoiar a instituição enquanto ela prepara um grupo diversificado de futuros engenheiros”, diz John Smee, vice-presidente sênior de Engenharia da Qualcomm Technologies, Inc.

Entenda como funciona o Lumina

Os chamados fundos patrimoniais, ou endowments, estão presentes nas mais tradicionais universidades do exterior. Esses fundos servem para ampliar as fontes de financiamento de projetos e ações. Agora, esse tipo de ação também é uma opção para a Unicamp, a primeira universidade pública brasileira a constituir um fundo patrimonial.

No Lumina, a pessoa física ou jurídica doa o quanto desejar ao fundo e esse dinheiro é aplicado no mercado financeiro. Os rendimentos da aplicação são usados para a ampliação do número de bolsas de pesquisa, modernização de laboratórios, financiamento de projetos de inovação e outras iniciativas em diversas áreas do conhecimento da Universidade aprovadas pelo conselho do Fundo.

Desde seu lançamento, além da doação da Qualcomm Incorporated, o Lumina já recebeu doações de mais de 170 ex-alunos e professores, acumulando um montante de cerca de R$ 500 mil. Presidido pelo reitor, o Conselho de Administração do Fundo é composto ainda por outros seis membros, sendo três docentes e três empresários fundadores de empresas-filhas da Unicamp.

Para doar:

Observação: Qualquer pessoa física ou jurídica pode contribuir com o Lumina. Valores superiores a R$ 10 milhões permitem que o doador defina exatamente os projetos a serem patrocinados e as formas de desembolso, dentro dos limites legais. Caso haja interesse, entre em contato com lumina@unicamp.br .

As doações, sem valor mínimo, podem ser feitas por meio dos seguintes dados bancários:

Santander (Brasil) S.A. (nº do banco: 033)

Agência 1693

Conta corrente: 13000006-1

Fundo Patrimonial da Unicamp FPU CNPJ/MF: 40.950.410/0001-18

CHAVE PIX: 40950410000118

Leia mais: 

Unicamp lança Fundo Patrimonial Lumina e busca doadores

Lumina Unicamp recebe R$ 3,8 milhões de empresa líder em tecnologia sem fio

Imagem de capa
Doações viabilizam a execução de projetos nas áreas de pesquisa, ensino, extensão e inovação

twitter_icofacebook_ico

Atualidades

Publicação é uma parceria inédita entre editoras da PUC Campinas e Unicamp; lançamento ocorre em 30 de novembro

As aquisições ampliam a capacidade de oferta de conteúdos de qualidade para a comunidade 

Comitiva liderada pelo reitor Antonio Meirelles esteve no Reino Unido para reforçar a imagem da Universidade e aprofundar as parcerias já existentes

Cultura & Sociedade

Movimento global em prol de doações ocorre no dia 29 de novembro, próxima terça-feira

O grupo coordenado pela professora Elizabeth Bilsland, do Instituto de Biologia, contou com apoio financeiro da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura