Ex-aluna da FCA conquista prêmio internacional

Autoria
Edição de imagem

Raphaela Morais, ex-aluna do curso de Gestão de Comércio Internacional da Faculdade de Ciências Aplicadas, venceu na categoria de Melhor Cobertura de Crime e Justiça do Annual News and Documentary Emmy Awards (Emmy de Notícias e Documentários). A premiação aconteceu em cerimônia realizada no dia 28 de setembro, em Nova York, nos Estados Unidos (EUA).

A ex-aluna integra a equipe produtora do filme “Get Away from the Target”, que trata do resgate de migrantes da Guarda Costeira da Líbia. O documentário foi produzido pela equipe The Outlaw Ocean Project e apresenta os esforços da União Europeia (UE) para impedir que os migrantes cheguem à Europa. A UE financiou a Guarda Costeira da Líbia, que prende migrantes no mar e os devolve a prisões na Líbia, onde estupro, extorsão e assassinato são comuns.

Para garantir que essa reportagem fosse vista globalmente, o filme foi publicado em várias versões com dezenas de parceiros ao redor do mundo, incluindo Globonews no Brasil, NBC nos EUA, El País na Espanha e The Guardian no Reino Unido.

Assista ao documentário premiado

Raphaela Morais ao receber troféu na categoria Melhor Cobertura de Crime e Justiça 
Raphaela Morais ao receber troféu na categoria Melhor Cobertura de Crime e Justiça. Foto: Marc Bryan-Brown Photography 

Reportagens investigativas

Com mestrado na Towson University, Raphaela Morais reside nos EUA e foi contratada inicialmente por uma unidade investigativa do The New York Times e, posteriormente, por uma organização jornalística sem fins lucrativos chamada The Outlaw Ocean Project, fundada por Ian Urbina, que tem como foco os direitos humanos, trabalho e abusos ambientais em alto-mar.

Durante todo esse período, ela trabalhou com uma equipe que lidava com arranjos complexos de reportagens investigativas e coordenava o departamento de recursos visuais. O seu histórico acadêmico a ajudou a aprofundar e melhorar suas habilidades nessa mesma área: “Quero saber como usar dados para melhor alavancar plataformas de marketing e mídia para contar histórias importantes que o mundo deveria conhecer”, destaca Morais.

Raphaela também supervisiona uma área da instituição intitulada “The Outlaw Ocean Mural Project” (O Projeto do Mural do Oceano Sem Lei), que consiste em pintores e pintoras de todo o mundo que se uniram para retratar a preocupação e a admiração do que está acontecendo no mar através de imagens que são ao mesmo tempo cativantes e críticas.

Sobre o The Outlaw Ocean Project

O The Outlaw Ocean Project é uma organização jornalística sem fins lucrativos que produz reportagens investigativas sobre direitos humanos e preocupações ambientais nos dois terços do planeta cobertos por água, com sede em Washington D.C. Raphaela Morais dirige as produções de vídeo da organização e gerencia o The Outlaw Ocean Mural Project. Ian Urbina é o fundador e diretor da organização.

Saiba mais:

The Outlaw Ocean Mural Website 

Lista completa dos vencedores do Emmy nas categorias Notícias 

Vídeo da equipe The Outlaw Ocean recebendo o prêmio no palco 

Site do The Outlaw Ocean Mural Project 

Imagem de capa
Equipe da The Outlaw Ocean Project vencedora do Emmy de Notícias e Documentários

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

O objetivo da reunião foi apresentar a experiência da Unicamp na aquisição de energia elétrica no Ambiente de Contratação Livre 

Modalidade oferecida pela Unicamp para financiamento de projetos de ensino, pesquisa e extensão completa 20 anos

Atualidades

Evento começou esta semana no Instituto de Computação e conta com aulas teóricas, simulados e palestras com patrocinadores

José Ricardo Teixeira Junior (IB) e Geovane Augusto Gaia Vieira (IG) vão para as universidades norte-americanas de Yale e UCLA, respectivamente

Artigo destaca a relevância das pesquisas acadêmicas sobre direitos humanos

Cultura & Sociedade

Instituto reúne grupos de pesquisa de 24 instituições e deve fortalecer os estudos de gênero no país; a coordenação é das docentes Viviane Resende, da Universidade de Brasília e Karla Bessa, do Núcleo de Estudos de Gênero (Pagu) da Unicamp

Atividade será uma das primeiras iniciativas a partir de parceria com a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de Campinas