Comitiva da Unicamp participa de missão na Coreia

Edição de imagem
Participam da missão Gabriela Celani, professora da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FECFAU), diretora do Centro de Estudos sobre o Urbanismo para o Conhecimento e a Inovação (Ceuci) e coordenadora do projeto físico-espacial do HIDS; Wesley Silva, professor do Instituto de Biologia e coordenador da componente do Patrimônio do HIDS; Milena Serafim, professora da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) e diretora de relações institucionais do Ceuci; Emília Rutkowski, professora da FECFAU e diretora de comunicação do Ceuci, e Newton Frateschi, professor do Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW) e vice-presidente do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia de Campinas
Da esquerda para direita: Wesley Silva (IB), Emília Rutkowski (FECFAU), Milena Serafim (FCA), Gabriela Celani (FECFAU) e Newton Frateschi (IFGW): grande aprendizado sobre a experiência coreana em desenvolvimento urbano

Um grupo de professores da Unicamp acompanha até amanhã (30) o workshop de Benchmarking na Coreia, organizado pelo Korea Research Institute for Human Settlements (KRHIS), com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O objetivo do workshop é compartilhar as experiências de desenvolvimento urbano e de criação de distritos de inovação da Coreia com as equipes técnicas e stakeholders do projeto do Hub Internacional para o Desenvolvimento Sustentável (HIDS).

Há cerca de um mês, o instituto de pesquisa coreano entregou uma proposta preliminar de um master plan para o Hub. De acordo com o pesquisador do KRIHS Se Hoon Park, a motivação para organizar a missão foi intensificar as discussões sobre o master plan do HIDS. O planejamento está sendo elaborado tendo como pano de fundo a experiência concreta da Coreia, por meio de visitas a cidades como Songdo e Sejong e o Parque Tecnológico de Pangyo.

Participam da missão Gabriela Celani, professora da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FECFAU), diretora do Centro de Estudos sobre o Urbanismo para o Conhecimento e a Inovação (Ceuci) e coordenadora do projeto físico-espacial do HIDS; Wesley Silva, professor do Instituto de Biologia e coordenador da componente do Patrimônio do HIDS; Milena Serafim, professora da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) e diretora de relações institucionais do Ceuci; Emília Rutkowski, professora da FECFAU e diretora de comunicação do Ceuci, e Newton Frateschi, professor do Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW) e vice-presidente do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia de Campinas.

Para Celani, a semana na Coreia resultou em um grande aprendizado sobre a experiência coreana em desenvolvimento urbano. “Estamos muito impressionados e esperamos seguir as discussões no planejamento do HIDS e consolidar parcerias acadêmicas com o KRIHS no âmbito do Ceuci”, afirmou a arquiteta.

A comitiva conta ainda com os secretários municipais Adriana Flosi, de Desenvolvimento Econômico, Aurílio Caiado, de Finanças, e Carolina Baracat, de Planejamento e Urbanismo, e com o reitor da PUC-Campinas, Germano Rigacci Junior, representantes das equipes técnicas da Prefeitura de Campinas e consultores do BID. Além das visitas em campo, foram abordados no workshop as políticas de habitação na Coreia e modelos de governança e financiamento para o desenvolvimento urbano do país asiático.

Vista de Songdo, cidade inteligente construída do zero é inteira monitorada por câmeras
Vista de Songdo, uma cidade inteligente construída do zero e inteiramente monitorada por câmeras

Desde a década de 1970, a Coreia do Sul experimenta um forte processo de Urbanização, acompanhado por expressivo desenvolvimento econômico, com taxas de 9% ao ano em média. Orientadas principalmente pelo governo federal, as políticas públicas impulsionaram o êxodo rural e o crescimento das cidades, que demandam mão de obra para uma indústria voltada para a exportação, com destaque para produtos eletrônicos e automóveis. Para Michael Henessey, coordenador do projeto HIDS no BID, “conhecer a experiência coreana em termos de estrutura de governança e das estratégias de implementação de parques tecnológicos, hubs de inovação e smart cities deve ajudar a avançar na criação do HIDS”. Ainda segundo ele, considerando a prioridade deste projeto para a cidade de Campinas, o BID deve continuar colaborando para a implementação do HIDS em 2023 e a longo prazo.

A secretária de desenvolvimento econômico de Campinas, Adriana Flosi, confirmou o compromisso da Prefeitura de Campinas com a criação do HIDS. Segundo ela, o poder público tem realizado uma série de reuniões, já envolvendo as esferas estadual e federal para colaborar na implementação do HIDS. “Esse já é um projeto estratégico da cidade de Campinas”, afirmou.

Imagem de capa
Grupo na praça em frente ao Palácio Gyeongbok, em Seul

twitter_icofacebook_ico

Atualidades

Obra reúne acervo de Rogério Cerqueira Leite; edição estará disponível para venda em breve nos sites das editoras

O papel do rap e da educação na busca pela superação do racismo e da violência foi um dos temas debatidos

Foram aprovados os itens: “Prêmio Tese Destaque", a prorrogação da licença paternidade para servidores e recursos adicionais para o desenvolvimento de dois projetos no âmbito do Plano Plurianual de Investimentos (PPI)

Cultura & Sociedade

O evento foi organizado pela Proec e reuniu mais de 700 participantes, de oito estados, com a apresentação de 189 trabalhos; confira a reportagem completa sobre as palestras e entrevistas com os convidados 

Fruto de parceria com jovens indígenas do país, obra “Still I Rise” traz relatos de experiências de impacto para o empoderamento de povos originários