Unicamp lança plataforma unificada de repositório de pesquisa nos acervos

Autor
Edição de imagem

Os documentos dos arquivos e centros de documentação da Unicamp agora podem ser consultados por meio de uma plataforma única. Lançado no dia 9 de setembro, o Repositório Digital de Documentos Arquivísticos Permanentes e Sistema Informatizado de Acervos Permanentes da Unicamp (ReDiSAP) compreende a unificação das bases dos acervos da Unicamp em uma plataforma de armazenamento, gerenciamento e pesquisa. 

No ReDiSAP, estão reunidos os acervos do Arquivo Central do Sistema de Arquivos (AC/Siarq), do Arquivo Edgard Leuenroth do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (AEL/IFCH), dos Arquivos Históricos do Centro de Lógica, Epistemologia e História da Ciência (CLE/Cocen), do Centro de Documentação Alexandre Eulálio (Cedae/IEL), do Centro de Memória da Unicamp (CMU/Cocen) e do Centro de Memória e Arquivo da Faculdade de Ciências Médicas (CMA/FCM).

##
A coordenadora do Siarq, Janaina Andiara dos Santos, o coordenador de serviços do AEL, Humberto Celeste Innarelli e o coordenador CITIC, Ricardo Dahab: plataforma compreende 530 fundos documentais e 73.841 itens

“Atuamos com o propósito de unificar bases de documentos digitais permanentes na Universidade numa plataforma de acesso único para o usuário. Isso visa tanto otimizar o gerenciamento e a administração dessa ferramenta como propiciar aos pesquisadores uma visão mais sistêmica do acervo da universidade”, aponta Janaina Andiara dos Santos – coordenadora do Siarq, órgão responsável pela administração do ReDiSAP.  

A plataforma compreende 530 fundos documentais e 73.841 itens e segue as recomendações atualizadas de órgãos de referência na área de arquivologia, como Conselho Internacional de Arquivos (ICA) e Conselho Nacional de Arquivos (CONARQ). O grupo responsável pelo desenvolvimento do ReDiSAP, que envolve ainda o Sistema de Bibliotecas (SBU) e tem o apoio do Centro de Computação (CCUEC), está trabalhando para que os usuários possam acessar, além das informações de pesquisa dos acervos, os documentos nato-digitais e digitalizados disponibilizados pelos arquivos e centros de documentação.

Alguns dos itens já estão disponíveis em formato digital. “Os pesquisadores, em breve, não vão encontrar só os dados descritivos, mas também o representante digital de cada um deles, dando um impulsionamento à visibilidade do patrimônio arquivístico da Unicamp”, diz Santos.

As atividades de pesquisa, segundo o reitor da Unicamp, Antonio José de Almeida Meirelles, terão um ganho com o ReDiSAP. “A rapidez com que se pode ter acesso aos documentos deve gerar um impacto grande nas atividades de pesquisa e de levantamento de informações da nossa Universidade e isso nos deixa muito felizes”, avalia.

O reitor Antonio José de Almeida Meirelles:
O reitor Antonio José de Almeida Meirelles: “A rapidez com que se pode ter acesso aos documentos deve gerar um impacto grande nas atividades de pesquisa"

Plataforma inovadora

O ReDiSAP utiliza tecnologias inovadoras para oferecer a melhor experiência para o usuário e para facilitar o gerenciamento dos acervos em relação aos seus documentos. São utilizados dois sistemas open source nesse processo: Archivematica e o AtoM.

Andressa Piconi, coordenadora de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do Siarq, explica que as unidades processam de forma individualizada os documentos, mas o armazenamento é centralizado. “Essa arquitetura permite uma escalabilidade maior, uma performance melhor e de forma que nenhuma unidade interfira no trabalho da outra. Elas processam os arquivos de forma separada, armazenam num mesmo contexto, num único repositório, a fim de disseminá-los numa única ferramenta”, explica.

A equipe responsável pelo ReDiSAP integrou servidores de diversos órgãos. Os esforços para o desenvolvimento da plataforma foram destacados pelo coordenador de serviços do AEL, Humberto Celeste Innarelli, que também aponta a relevância dos resultados do trabalho. “Com o lançamento do ReDiSAP, colocamos os arquivos e centros de documentação da Unicamp em um outro patamar. Temos uma ferramenta unificada onde há a possibilidade de colocar todos os nossos documentos de forma digital na web. É uma realização institucional”, afirma.

Para o coordenador de Tecnologia de Informação e Comunicação da Unicamp (CITIC/Unicamp), Ricardo Dahab, o trabalho para a realização da plataforma mostra também a importância da coordenação entre os diferentes setores de TIC da Universidade. “Na área de TIC, é fundamental que haja essa cooperação. Esse tem sido nosso empenho e o ReDiSAP ajuda bastante porque pode ser sempre mencionados como um exemplo.” 

Lançamento da plataforma aconteceu no último dia 9, no Salão do Conselho Universitário (Consu) 
Lançamento da plataforma aconteceu no último dia 9, no Salão do Conselho Universitário (Consu)

Preservação do acervo

A documentação disponibilizada para consulta por meio do endereço www.redisap.unicamp.br envolve temas como a história social contemporânea (AEL), do oeste paulista (CMU), história da literatura e da linguística brasileiras (Cedae), da história das ciências (CLE e CMA) e da história da Unicamp (Siarq).

Diversos trabalhos acadêmicos e pesquisas são realizados por meio da consulta ao acervo. A utilização de um repositório digital único, segundo os gestores que integram o ReDiSAP, “possibilitará ações de preservação contínuas com monitoramento, auditorias e procedimentos de segurança para garantir a integridade, confiabilidade, autenticidade e disponibilidade dos documentos arquivísticos digitais da Universidade”.

 

Imagem de capa
O ReDiSAP utiliza tecnologias inovadoras para oferecer a melhor experiência para o usuário

twitter_icofacebook_ico

Atualidades

Obra reúne acervo de Rogério Cerqueira Leite; edição estará disponível para venda em breve nos sites das editoras

O papel do rap e da educação na busca pela superação do racismo e da violência foi um dos temas debatidos

Foram aprovados os itens: “Prêmio Tese Destaque", a prorrogação da licença paternidade para servidores e recursos adicionais para o desenvolvimento de dois projetos no âmbito do Plano Plurianual de Investimentos (PPI)

Cultura & Sociedade

Fruto de parceria com jovens indígenas do país, obra “Still I Rise” traz relatos de experiências de impacto para o empoderamento de povos originários

O Instituto de Geociências recebeu 175 finalistas, distribuídos em 58 equipes; a Olimpíada Brasileira de Geografia e a Olimpíada Brasileira de Ciências da Terra contemplou 17 estudantes cada uma