MPT e UNICAMP realizam segunda edição de seminário sobre transtornos mentais no trabalho

Edição de imagem

O Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realizarão nos dias 12, 13 e 14 de setembro o “II Seminário Sofrimento Mental e Suicídio”, que reunirá especialistas na área de saúde do trabalhador para debater estratégias de enfrentamento dos transtornos mentais e suicídios no ambiente de trabalho. O evento híbrido ocorrerá presencialmente no auditório da sede do MPT em Campinas e será transmitido ao vivo pelo canal do MPT Campinas no YouTube. As vagas para participação presencial já estão esgotadas. A sede do MPT fica na Rua Pedro Anderson, 91, bairro Taquaral.

O seminário acontece em meio ao Setembro Amarelo, mês em que é realizada nacionalmente a campanha de conscientização sobre a prevenção de suicídios, em alusão ao 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Criado em 2015 no Brasil, o Setembro Amarelo tem a adesão de escolas, universidades, entidades do setor público e privado e de diversas camadas da sociedade, inclusive pautando ações nas ruas e com a iluminação amarela de prédios e monumentos públicos, como o Cristo Redentor, o Congresso Nacional, dentre outros. 

Na primeira edição do seminário, realizada no mês de maio desse ano, grandes nomes da academia e do mundo do trabalho se reuniram para produzir conhecimento teórico sobre o assunto e, assim, subsidiar as ações de enfrentamento previstas no projeto.

Márcia Bandini e Sergio de Lucca :
Os professores Márcia Bandini e Sérgio de Lucca, do Departamento de Saúde Coletiva da FCM: enfrentamento dos transtornos mentais no trabalho

“A segunda edição do seminário tem como objetivo trazer experiências nacionais e internacionais de enfrentamento do problema, que poderão ser agregadas para o desenvolvimento do projeto”, afirma a professora Márcia Bandini, da Unicamp.

“A partir desse evento com integrantes dos serviços de saúde do trabalhador, órgãos públicos, acadêmicos, representantes de categorias laborais e representantes da sociedade civil, esperamos consolidar as estratégias de atuação e, a partir delas, trazer avanços sociais no combate ao sofrimento mental no trabalho”, observa o procurador Mario Antônio Gomes.

O evento terá a participação de representantes de universidades, CERESTs, Fiocruz, Fundacentro e outras entidades representativas dos trabalhadores, empregadores e sociedade civil. Dentre os nomes participantes, estão a ministra Delaíde Alves Miranda Arantes, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), a especialista em estudos sobre suicídio Fernanda Marquetti e nomes internacionais como Javier Pablo Cicciaro (OIT – Argentina), Tessa Bailey (WOPS – Austrália), Gloria Villalobos Pontificia (Universidad Javeriana – Colômbia), Arturo Juarez García (Universidad Autónoma del Estado de Morelos – México), Clara Serrano (ISTAS – Espanha), Sari Sarainen (UNIFOR – Canadá) e Daniela Biocca (ITF – EUA).

Dentre os temas que serão abordados destacam-se um painel de experiências internacionais sobre saúde mental e trabalho, com casos de sucesso implementados em outros países, os desafios para o reconhecimento da relação entre transtornos mentais e trabalho, as experiências dos órgãos de vigilância epidemiológica, a discussão sobre a importância da ratificação da Convenção da OIT nº 190 pelo Brasil e uma ampla análise sobre o suicídio no trabalho.

Como surgiu o projeto

A iniciativa deriva de um procedimento promocional, presidido pelo procurador Mário Antônio Gomes, conjuntamente com a procuradora Fabíola Zani, com a participação dos professores Márcia Bandini e Sérgio de Lucca, do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP, por meio de convênio firmado entre as instituições.

A justificativa do projeto está embasada em estatísticas recentes: dados do Ministério do Trabalho e Previdência mostram que, em 2020, foram registrados mais de 570 mil afastamentos por transtornos mentais no país, número 26% maior do que o registrado em 2019. No grupo de 468 doenças listadas pelo órgão, estão incluídos transtornos como depressão, ansiedade, pânico, estresse pós-traumático, transtorno bipolar e fobia social.

O problema se agravou de tal maneira que, em janeiro de 2022, a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu oficialmente a síndrome de Burnout como doença decorrente do trabalho. Ela é caracterizada como um transtorno mental que resulta do esgotamento profissional, a partir de uma rotina laboral desgastante.

Três eixos 

O projeto possui 3 eixos apoiados em abordagens específicas, sendo eles: estudos e pesquisas; políticas e práticas; formação, educação e capacitação. Na totalidade do projeto, estão previstas 23 ações. A finalidade última, além de subsidiar as ações estratégicas do MPT, é promover sugestões para aprimoramento do Sistema Único de Saúde (SUS), contribuindo para um atendimento de qualidade aos trabalhadores que sofrem de transtornos mentais, desde o acolhimento até o tratamento.

Protocolos de atendimento

A primeira iniciativa prática será a de elaborar e propor protocolos de atendimento para casos de tentativa de suicídio em serviços de urgência e emergência e para casos de transtornos mentais e riscos de suicídio para profissionais da rede de Atenção Básica (postos e unidades de saúde).

O projeto também propõe uma intervenção precoce dos casos em potencial de transtornos mentais, por meio de uma avaliação dos riscos psicossociais no trabalho, com base em experiências e boas práticas nacionais e internacionais para empregadores, trabalhadores e profissionais de saúde, dentre outras iniciativas.

Concomitantemente, o MPT e a Unicamp irão discutir e propor melhorias para o fluxo de atendimento e de informação nas redes municipais de saúde, incluindo serviços como CAPS, Atenção Básica, Urgência e Emergência e CERESTs.

Saiba mais:

Ansiedade e depressão acometem cada vez mais trabalhadores

Coronavírus e as mudanças nas relações de trabalho

Professores da FCM participam da elaboração de lista das doenças relacionadas ao trabalho

Imagem de capa
Setembro Amarelo, mês em que é realizada nacionalmente a campanha de conscientização sobre a prevenção de suicídios

twitter_icofacebook_ico

Atualidades

Obra reúne acervo de Rogério Cerqueira Leite; edição estará disponível para venda em breve nos sites das editoras

O papel do rap e da educação na busca pela superação do racismo e da violência foi um dos temas debatidos

Foram aprovados os itens: “Prêmio Tese Destaque", a prorrogação da licença paternidade para servidores e recursos adicionais para o desenvolvimento de dois projetos no âmbito do Plano Plurianual de Investimentos (PPI)

Cultura & Sociedade

Fruto de parceria com jovens indígenas do país, obra “Still I Rise” traz relatos de experiências de impacto para o empoderamento de povos originários

O Instituto de Geociências recebeu 175 finalistas, distribuídos em 58 equipes; a Olimpíada Brasileira de Geografia e a Olimpíada Brasileira de Ciências da Terra contemplou 17 estudantes cada uma