Estudantes de 10 estados conquistam medalhas na 38ª Olimpíada de Matemática da Unicamp

Autor
Edição de imagem

Um total de 66 equipes, com 264 estudantes e professores de 10 estados brasileiros, conquistaram medalhas de ouro, prata e bronze na fase final da 38ª Olimpíada de Matemática da Unicamp (OMU), um projeto realizado pelo Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (Imecc) da universidade. 

Após ter ocorrido em formato remoto nos últimos dois anos, por conta da pandemia de covid-19, a fase final foi realizada de forma presencial, na Unicamp. Diferentemente dos outros anos, a prova foi aplicada no sábado (3/9), corrigida na tarde do mesmo dia, e o anúncio das equipes medalhistas ocorreu no dia seguinte, domingo (4/9).

O novo formato permitiu que os participantes de cidades mais distantes recebessem o resultado pessoalmente, em uma cerimônia de premiação emocionante no Teatro de Arena, no campus de Barão Geraldo. O evento contou com a presença de cerca de 600 estudantes e professores de 14 estados, além de autoridades da universidade e familiares dos finalistas. 

O estado de São Paulo foi o que somou maior número de equipes medalhistas, um total de 30. Em seguida estão Ceará, com 18 grupos medalhistas, e Pernambuco, com 8. Goiás e Minas Gerais tiveram três e dois grupos premiados, respectivamente. Por fim, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia e Mato Grosso do Sul tiveram uma equipe medalhista cada. Um total de 17 grupos - já premiados pela prova geral - também receberam medalhas por se destacarem na qualidade da redação apresentada nas questões. 

Um total de 66 equipes conquistaram medalhas de ouro na 38ª Olimpíada de Matemática da Unicamp (OMU)
Um total de 66 equipes conquistaram medalhas de ouro na 38ª Olimpíada de Matemática da Unicamp (OMU)

Na manhã deste domingo, 230 estudantes fizeram uma prova individual e opcional, pela qual cerca de 40 foram premiados. A aplicação foi um teste para que a OMU possa, no futuro, ser incluída no edital de vagas olímpicas olímpicas, que possibilita ingresso na graduação da Unicamp, sem passar pelo vestibular. 

Neste ano, a OMU teve um alcance nacional de mais de 6 mil estudantes em 2 mil equipes inscritas de 24 estados brasileiros, além do Distrito Federal. A competição é dividida em dois níveis: Alfa (para alunos de 8º e 9º anos do Ensino Fundamental) e Beta (para alunos do Ensino Médio). Para participar, é preciso formar um grupo com três estudantes, além de um professor responsável.

Marcelo Firer, membro da comissão organizadora da OMU e professor do Imecc, comenta a importância da realização da fase final, de forma presencial, na Unicamp.

“A OMU tem uma longa trajetória com 38 edições e, nos últimos anos, realizou algumas mudanças em seu formato. Uma delas é a realização da cerimônia de premiação junto com o anúncio dos medalhistas. O resultado foi maravilhoso. Foi incrível ver a emoção deles por receberem a medalha e por estarem aqui numa universidade importante como a Unicamp.” 

O evento contou com a presença de representantes da Unicamp como Luis Geraldo Pedroso Meloni, diretor de Extensão; Paulo Régis Caron Ruffino, diretor do Imecc; Lúcio Tunes dos Santos, coordenador de Extensão e Eventos do Imecc, além de Marcelo Firer, da comissão organizadora da OMU. Também esteve presente Rafael Rodrigues Procopio, criador do canal Matemática Rio, no Youtube.

##
Na manhã de domingo (4), 230 estudantes fizeram uma prova individual e opcional, pela qual cerca de 40 foram premiados

Sobre as etapas da OMU

Os estudantes que estão na fase final da OMU participaram de duas etapas online realizadas entre abril e junho. Com uma proposta original e que se difere de outras competições de matemática, as fases têm uma semana de duração e a participação ocorre em equipes. O objetivo é que os participantes discutam e, juntos, busquem soluções para os problemas e desafios apresentados.

Todas as questões são dissertativas, e a avaliação, além de considerar o quanto as soluções estão corretas, também leva em conta a qualidade do texto e da argumentação, em uma análise comparativa.

A proposta é que os participantes respondam às perguntas com argumentação, justifiquem os passos e apresentem o raciocínio feito. “O formato da prova abre espaço para algo fundamental para um matemático, que é resolver e aprender a formular problemas. Por isso, cada fase tem uma semana de duração para que os grupos discutam, pesquisem, se apoiem em referências bibliográficas para chegarem às respostas. Desejamos não apenas avaliar o quanto sabem, mas também o que aprenderam ao longo da semana de prova”, afirma.

Imagem de capa
Neste ano, a OMU teve um alcance nacional de mais de 6 mil estudantes em 2 mil equipes inscritas de 24 estados brasileiros, além do Distrito Federal

twitter_icofacebook_ico

Atualidades

Obra reúne acervo de Rogério Cerqueira Leite; edição estará disponível para venda em breve nos sites das editoras

O papel do rap e da educação na busca pela superação do racismo e da violência foi um dos temas debatidos

Foram aprovados os itens: “Prêmio Tese Destaque", a prorrogação da licença paternidade para servidores e recursos adicionais para o desenvolvimento de dois projetos no âmbito do Plano Plurianual de Investimentos (PPI)

Cultura & Sociedade

Fruto de parceria com jovens indígenas do país, obra “Still I Rise” traz relatos de experiências de impacto para o empoderamento de povos originários

O Instituto de Geociências recebeu 175 finalistas, distribuídos em 58 equipes; a Olimpíada Brasileira de Geografia e a Olimpíada Brasileira de Ciências da Terra contemplou 17 estudantes cada uma