Construção de estradas na Amazônia intensifica desmatamento

O desmatamento na Amazônia atingiu níveis recordes em 2021. A derrubada da floresta ocorre por diversos motivos, entre eles a expansão de estradas na região. Uma estimativa da organização WWF aponta que 75% do desmatamento acontece ao redor das faixas das rodovias. Neste episódio do Agenda Ambiental, entrevistamos os professores Ademar Romeiro (Instituto de Economia/Unicamp) e Emilio Moran (Universidade de Michigan/Nepam Unicamp).

Para Ademar Romeiro, nem sempre as estradas se justificam do ponto de vista logístico, e geralmente trazem poucos benefícios diante do impacto causado. Para ele, o Brasil precisa parar de construir estradas se deseja preservar a Amazônia.

Além dos impactos ambientais, uma das preocupações de Emilio Moran é que nem sempre os projetos levam infraestrutura para as comunidades onde se instalam. O pesquisador, que realizou seu doutorado na década de 1970 analisando diversos aspectos da construção da Transamazônica, também afirma que os benefícios dessas rodovias geralmente são restritos a um grupo pequeno de pessoas. Confira:

Com esse novo episódio da Agenda Ambiental, retomamos a periodicidade das publicações da série, que havia sido pausada devido ao processo de retomada de atividades presenciais na Unicamp. Confira os outros episódios na playlist Agenda Ambiental.

Imagem de capa

audiodescrição: montagem com três imagens coloridas; uma é uma fotografia de indígenas protestando contra a construção de estradas na amazônia, outra é uma fotografia aérea de uma estrada na floresta e outra é um mapa mostrando a rota de uma das estradas
Desmatamento na Amazônia é intensificado pela construção de estradas