Unicamp e parceiros lançam Hub de Inteligência Artificial e Arquiteturas Cognitivas

imagem mostra logo do hub de inteligência artificial e arquitetura cognitiva

Foi lançado nesta quarta-feira (7), em evento realizado on-line, o Hub de Inteligência Artificial e Arquiteturas Cognitivas - H.IAAC. O projeto é uma iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e conta com o investimento de R$ 7,6 milhões. Ele será executado pela Unicamp, em parceria com o Instituto Eldorado, e a gestão dos recursos será feita pela Softex, organização social que atua no fomento de iniciativas de tecnologia e inovação. O Hub tem o objetivo de desenvolver pesquisas para ampliar a capacidade cognitiva e de tomada de decisões de dispositivos móveis, como tablets e celulares, facilitando a vida dos usuários. A expectativa é que o grupo envolva o trabalho de mais de 50 pessoas, entre pesquisadores e profissionais. 

De acordo com os pesquisadores envolvidos na criação do Hub, hoje os dispositivos que utilizam recursos de inteligência artificial conseguem executar ações pontuais e que demandam a pró-atividade dos usuários, como é o caso do agendamento de tarefas. A ideia do grupo é que os dispositivos consigam articular os diferentes recursos e informações que armazenam para que possam tomar decisões mais complexas com mais autonomia. "Queremos trazer ajuda para o usuário em contextos cotidianos, inter-relacionando atividades e cenários. Tipicamente, os dispositivos móveis atuam de forma passiva. Nós queremos que eles deixem de ser passivos na geração de informações e possam utilizá-las com um maior poder de associação, correlacionando esses dados para ajudar o usuário de forma mais ativa", explicou Anderson Rocha, diretor do Instituto de Computação (IC) da Unicamp.

fotos mostram os prédios do instituto de computação e da feec, na unicamp, e do instituto eldorado
Instituto de Computação (IC) e Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC), na Unicamp, e Instituto Eldorado são os locais onde serão produzidas inovações em inteligência artificial (fotos: Antonio Scarpinetti e Divulgação Instituto Eldorado)

O investimento feito pelo MCTI na criação do H.IAAC segue uma tendência mundial de ampliação dos recursos destinados ao setor. Em 2019, 7,4 bilhões de dólares foram destinados apenas pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos para pesquisas na área. A União Europeia aplicou 1,5 bilhões de euros no setor em 2020 e a China tem como meta tornar-se o centro mundial de inovações em inteligência artificial até 2030. A estimativa é que, até 2027, este mercado global deverá movimentar até 1 trilhão de dólares.  

Na Unicamp, as pesquisas realizadas pelo H.IAAC vão envolver pesquisadores do Instituto de Computação (IC) e da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC). Elas serão concentradas em cinco áreas: Aprendizado em Arquiteturas Cognitivas, sob a liderança dos professores Esther Colombini (IC/Unicamp) e Alexandre Simões (ICTS/Unesp); Arquiteturas Cognitivas, com a coordenação de Paula Costa (FEEC/Unicamp) e Ricardo Gudwin (FEEC/Unicamp) como pesquisador associado; Representação do Conhecimento, liderada por Tiago Tavares (FEEC/Unicamp) e Levy Boccato (FEEC/Unicamp); Treinamento de Modelos no Device/Edge/Cloud, coordenado por Leandro Villas (IC/Unicamp) e Luiz Bittencourt (IC/Unicamp) como associado; e Processamento de Linguagem Natural, sob a liderança de Sandra Ávila (IC/Unicamp) e Hélio Pedrini (IC/Unicamp). 

O Hub deverá envolver pesquisadores nas áreas de Ciência da Computação, Engenharia de Computação, Engenharia Elétrica, Robótica e Inteligência Artificial e Sistemas Distribuídos. O grupo vai contar com o trabalho de 10 estudantes de graduação, 10 de mestrado, 10 de doutorado e 5 pesquisadores de pós-doutorado. Atuarão ainda 8 profissionais do Instituto Eldorado, local onde as tecnologias desenvolvidas serão materializadas em aplicações e dispositivos. A coordenação geral do Hub será de Leandro Villas, que contará com Janaína Ruas, do Instituto Eldorado, como co-coordenadora. 

fotos mostram, à esquerda, o professor anderson rocha falando ao microfone e, à direita, o reitor tom zé em frente ao painel de zeferino vaz
Anderson Rocha, diretor do IC/Unicamp, pontuou a importância dos investimentos feitos em pesquisas voltadas à inteligência artificial no mundo. O reitor da Unicamp, Antonio José Meirelles, destacou que parcerias como as que deram origem ao H.IAAC garantem que a universidade esteja na vanguarda das pesquisas em tecnologia e inovação (fotos: Antonio Scarpinetti)

O reitor da Unicamp, Antonio José Meirelles, ressaltou a importância de parcerias entre a universidade e instituições como o Eldorado, a Motorola e a Softex. Segundo o reitor, essas colaborações permitem que a Unicamp esteja na vanguarda do desenvolvimento tecnológico e mais próxima das demandas do mercado e da sociedade. "Colocar as inovações na fronteira do conhecimento faz parte do propósito de uma universidade, particularmente de uma instituição como a Unicamp. Estaremos cumprindo assim um objetivo essencial da universidade, que é servir à sociedade, servir às empresas que atendem às demandas da sociedade, mas também estaremos formando pessoas em tecnologia de ponta", afirmou Meirelles.

Paulo Alvim, secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI, parabenizou as instituições parcerias na concretização do projeto e avaliou que o H.IAAC vai contribuir com a formação de pesquisadores e profissionais qualificados, além de fortalecer a ciência e a inovação do país: "Essa iniciativa do Hub de Inteligência Artificial e Arquiteturas Cognitivas é, efetivamente, a possibilidade de girar uma tripla hélice em uma área de vanguarda, na fronteira do conhecimento. Traz desafios maiores, teremos a entrega de diversos resultados, mas algo que é fundamental é a formação de um capital humano diferenciado e mais do que isso, o fortalecimento e os ganhos para a pesquisa".

Imagem de capa

montagem mostra, à direita, o logo do novo hub, e à esquerda a placa da entrada da unicamp
Iniciativa conta com investimento de R$ 7,6 do MCTI e envolve Instituto Eldorado, Softex e Motorola