Sofrimento psíquico no contexto da pandemia

A pandemia tem trazido à tona aspectos psicológicos até então minimizados. Crises de ansiedade, perda de pessoas queridas e medo da morte foram alguns tipos de sofrimento discutidos num encontro na sexta-feira, 9 de abril, entre a comunidade do Instituto de Geociências (IG) e os profissionais do Serviço de Assistência Psicológica e Psiquiátrica ao Estudante (SAPPE) Tânia Maron Vichi Freire de Mello e da Divisão de Saúde Ocupacional (DSO) Daniela Martins, Israel Vieira, Fidelis Ranali e Maria Amélia Stefanuto.

O tema ainda causa desconforto ao ser discutido, mas é de vital importância no contexto do isolamento social a que uma boa parte das pessoas está submetida. O IG vem realizando encontros online mensais entre a direitoria e a equipe de funcionários para acompanhar o andamento das atividades, escutar demandas, discutir decisões que afetam a comunidade e proporcionar momentos de interação durante a suspensão das atividades presenciais na Unicamp. Os funcionários, além de comentarem o andamento dos trabalhos em regime remoto, relatam como está a vida de um modo geral segundo aspectos pessoais, familiares e profissionais. Muitos não se veem desde o início da pandemia e os encontros permitem mitigar, ainda que parcialmente, o distanciamento físico.

No encontro do dia 9, cerca de 70 pessoas entre funcionários docentes e não docentes do IG, alunos de graduação e de pós-graduação e profissionais da DSO e do SAPPE participaram do encontro virtual. Foi uma oportunidade para discutir o tema do sofrimento psíquico no contexto da pandemia e reforçar à comunidade do IG os serviços de apoio oferecidos na universidade do ponto de vista psicológico. Durante o encontro, ocorreram depoimentos de vários membros da comunidade, orientações dos colegas da DSO e do SAPPE e encaminhamento de ações para o futuro próximo, que serão comunicados ao grupo do IG em breve.

Com o prolongamento da pandemia e avanço da Covid, que traz a realidade da doença cada vez mais próxima, incluindo perdas de pessoas queridas, casos de sofrimento psíquico vêm surgindo em membros da comunidade. Alguns já buscaram ajuda profissional, outros, por motivos diversos, ainda não. O encontro serviu para mostrar que todos da comunidade estão sujeitos a esse tipo de sofrimento e que a busca por ajuda é muito importante.

Tânia e Daniela reforçaram justamente ações como a dos encontros mensais realizados na Unidade. Para as profissionais, o isolamento amplifica a solidão e esses encontros dão um fôlego para seguir. Uma aluna de doutorado lembrou que a pós-graduação já é um processo solitário e que a pandemia amplia esse aspecto. Para tentar minimizar essa questão, uma funcionária do IG criou uma sala de café virtual em que alguns colegas com os quais trabalha diretamente podem se ver e conversar sobre assuntos diversos para minimizar o isolamento. A ideia agradou os convidados do SAPPE e da DSO.

Como ainda não há uma previsão para o retorno das atividades presenciais na Unicamp, os encontros mensais continuarão ocorrendo no IG. Para a Direção da Unidade, trata-se de um grande desafio que deve se estender para além da pandemia e o Instituto estará presente e ativo para amparar, encaminhar e, quando for de sua alçada, resolver os problemas administrativos e acadêmicos trazidos pela pandemia.

Imagem de capa

Encontro entre Instituto de Geociências e Serviço de Assistência Psicológica e Psquiátrica ao Estudante para tratar do tema aconteceu de forma remota na última sexta-feira (9)
Encontro entre Instituto de Geociências e Serviço de Assistência Psicológica e Psquiátrica ao Estudante para tratar do tema aconteceu de forma remota na última sexta-feira (9)