Congresso de Iniciação Científica reuniu apresentações de 1.535 alunos

Com o desafio de ser inteiramente remoto, entre os dias 30 de novembro e 3 de dezembro ocorreu o XVIII Congresso de Iniciação Científica da Unicamp. O evento reuniu apresentações de 1.535 alunos, que expuseram seus trabalhos em diversos formatos e foram avaliados por uma equipe interna e outra externa à Universidade. Palestras de pesquisadores da Unicamp e de outras universidades do Brasil e do exterior incorporaram também a programação, atraindo amplo público.

Os alunos apresentaram seus trabalhos em painéis temáticos, divididos por áreas do conhecimento: artes, humanidades, ciências biológicas e ciências exatas e ciências tecnológicas. A interação, no evento, envolveu mais de 44 mil visualizações de trabalhos, 4 mil comentários, 21 mil acessos, 7.600 PDFs abertos, 6.400 vídeos abertos e 15.500 mensagens privadas trocadas. 

audiodescrição: print colorido da apresentação do pró-reitor de pesquisa, munir skaf, durante congresso. na tele estão dados sobre a participação de alunos no evento
Pró-reitor de Pesquisa, professor Munir Salomão apresentou dados relativos aos inscritos no Congresso durante abertura do evento

O Congresso foi realizado pela Pró-Reitoria de Pesquisa da Unicamp, cujo pró-reitor, professor Munir Skaf, destaca o sucesso do evento apesar do desafio de precisar ser remoto devido à pandemia da Covid-19. “A abrangência foi espetacular, houve uma repercussão muito boa e que está crescendo ainda, pois os trabalhos seguem disponíveis online. A interação foi grande, houve um conjunto grande de perguntas, de reações e elogios. Esse foi um ponto positivo, de ter bastante participação. Além disso, foi muito legal ver que os trabalhos podem ser apresentados em diferentes maneiras”, avalia, comentando o fato dos trabalhos terem abrangido desde exposições de PDF até animações e vídeos.

O pró-reitor também salienta a importância das atividades de iniciação científica para a formação dos alunos. “Ela dá a oportunidade de experimentar no dia-a-dia temas que você vê em sala de aula e isso é importante para escolher rumos de carreiras. A iniciação científica também ajuda na formação do pensamento crítico. Outro aspecto importante é que proporciona participação em atividades de longo prazo, que exigem colaboração com demais membros da equipe”, pontua. Além disso, lembra Munir, para aqueles que desejam seguir a carreira acadêmica, a iniciação científica pavimenta os caminhos para a pós-graduação.

Prêmio mérito científico

Os 1.535 trabalhos foram avaliados, primeiramente, por uma comissão interna da Unicamp que selecionou cerca de 10% dos trabalhos. Num segundo momento, eles foram avaliados por um comitê externo, formado por pesquisadores vinculados ao CNPq de diversas universidades. Confira os prêmios por mérito científico:

Artes

- Estéticas pós-antropocêntricas: arte e inteligência Artificial - Héllen Lourenço dos Anjos (Midialogia) / Faepex

Humanidades

- Os efeitos das novas tecnologias na escolha democrática - Jade Miranda Becari (Ciências Sociais) 

- Saneamento rural e gênero: caracterização e impactos da crise sanitária no cotidiano das mulheres do campo - Letícia Alaniz Garcia (Ciências Biológicas)

- Levantamento e sistematização de fontes em periódicos educacionais nos primórdios da Nova República - Letícia Mercedes Cutri Murer (Pedagogia)

- Percursos escolares interrompidos - a retomada na EJA como forma de resistência das classes populares e em defesa dos processos de humanização - Maria Eduarda Berton dos Santos (Pedagogia)

- A contradição do real: uma análise exploratória sobre o movimento negro em Sorocaba (SP) - Matheus Henrique dos Santos Fagundes (Ciências Sociais)

- O conceito do belo e a argumentação sofística no Hípias Maior de Platão - Renato Semaniuc Valvassori (Filosofia)

Biológicas

- NMR-Based Metabolomics Apllied to Search for Drugs Resistance Biomarks in Patients with Mesial Temporal Lobe Epilepsy - Alessandri Barcia de Godoi  (Farmácia) - coautores: Amanda Canto, Amanda Donatti, Douglas Rosa, Clarissa Yasuda, Mariana Martin, Melissa Quintero, Fernando Sendes e Ljubica Tasic 

- Avaliação da Participação da Quinase Humana Nek5 na via intrínseca da apoptose após dano de DNA - Ana Luisa Rodrigues de Oliveira (Ciências Biológicas) - coautoras: Camila de Castro Ferezin, Fernanda Luisa Basei 

- Molecular evolution in dolphin hearing genes: different evolutionary pathways for marines and freshwater echolocation? - Letícia Magpali Moura Estevão (Ciências Biológicas) - coautores: Elisa Karen da Silva Ramos, Erica Martinha SIlva de Souza e Lucas Freitas

- Potencial fotocatalítico e antimicrobiano sob luz visível de revestimento de TiO2 dopado com cálcio, fósforo e bismuto obtido por plasma eletrolítico de oxidação - Lyvia Regina  Rafaela Hamparian (Odontologia) - coautores: Ariane Bezerra Santos e Bruna Egumi Nagay

- Identificação da microbiota salivar mais representativa de sequenciamento de shotgun e amplicon - Rafaela Rye Nishiyama (Odontologia) - coautores: Claudio Trigo, Simone Oliveira e Rodrigo Jardim

- Estudo de dados de triagem neonatal da hiperplasia adrenal congênita em pacientes acompanhados pelo setor de endocrinologia pediátrica do HC-Unicamp - Yasmin Soares Lazaro Pereira (Medicina) - coautora: Sofia Helena Valente de Lemos Marini

Exatas

- Petrografia do minério e microestruturas de deformação em veio de quartzo no depósito Cu-Au Serrinha do Guarantã, Setor Leste da Província Mineral Alta Floresta - MT - Diego de Alvarenga Rodrigues (Geologia) - coautores: Dailto Silva e Rafael Teixeira 

- Petrografia, geoquímica e balanço de massa dos estágios de alteração hidrotermal do depósito cuprífero Hades, extremo sudoeste do Domínio Carajás, Pará - Helena Martinho Coradini (Geologia), coatora: Thais Caroline Murer 

- Classificação de imagens biológicas usando descritores extraídos por redes convolucionais profundas - Marina Rocha Martins Monteiro (Matemática Aplicada e Computacional) 

- Síntese, caracterização e avaliação do desempenho do catalisador Ni/Nb205 nas reações de hidrogenação e hidrodesoxigenação de furfural em fase líquida - Eduarda Caroline Duarte Amatte Coelho (Engenharia Química) - coautoras: Maria Martinelli Costa e Sílvia Fernanda Moya

Tecnológicas

- #Pracegover: Automatic Image Autodescription - Gabriel Oliveira dos Santos (Ciência da Computação) - coautora: Esther Colombini

- Caracterização de gestos da mão através de um sensor de fibra ótica de miografia de força baseado em smartphone - Matheus dos Santos Rodrigues (Engenharia de controle e automação) 

- Estimativa de biomassa em pastagem utilizando séries temporais de imagens de sensoriamento remoto e aprendizagem de máquina - Vitor Hiroya Nisieimon (Engenharia Agrícola)  - coautora: Aliny dos Reis

Palestras atraíram grande público

audiodescrição: print da apresentação da pró-reitora de graduação, eliana amaral, durante palestra ministrada no congresso
Pró-reitora de Graduação, a professora Eliana Amaral foi responsável pela palestra de abertura

Durante todos os dias da programação, docentes da Unicamp e de outras universidades realizaram palestras com temas atuais. As palestras atraíram um grande público e contaram com ampla interação. A primeira palestra, “O que importa para um bom desempenho na graduação?”, foi proferida pela pró-reitora de Graduação da Unicamp, Eliana Amaral, já na abertura do evento. 

As mudanças climáticas globais e a Amazônia foram o tema da palestra do pesquisador Paulo Artaxo Netto, da Universidade de São Paulo (USP). A professora Natália Pasternak, também da USP, realizou palestra sobre divulgação científica e a responsabilidade do cientista. Ximena Villagran falou sobre a arqueologia e o povoamento das Américas.

Da Universidade de Cardiff, instituição com a qual a Unicamp tem uma parceria estratégica, o professor John Pickett apresentou fala sobre feromônios sexuais e novas abordagens para utilização dessa sinalização na proteção de cultivares e combate de pragas agrícolas. 

Da Unicamp, Thiago Nicodemo, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH),  apresentou palestra sobre o tema “História do Futuro: arquivamento, memória e as possibilidades das novas tecnologias nas Humanidades”. Já Sandra Ávila, também da Unicamp, do Instituto de Computação (IC), falou sobre “Inteligência Artificial: Onde vive? Do que se alimenta? Para que existe?”.

Todas as palestras e os trabalhos podem ser acessados na plataforma do evento, para aqueles que realizaram inscrições no

Imagem de capa

audiodescrição: poster colorido de divulgação do congresso
Congresso ocorreu de 30 de novembro a 3 de dezembro