Quinta edição do Funciona Cultura tem inscrições prorrogadas até dia 25

Um "afago na alma" é como Andressa Lopes, técnica de enfermagem do Caism (Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti Campinas), descreve sua participação na oficina Vi Vê - oficina de como poesia não se ensina, oferecida por Rafael Carvalho, no projeto Funciona Cultura. "Meu coração transbordava. Participar da oficina fez meus fardos cotidianos se tornarem mais leves. Foram descobertas constantes do que estava guardado, envergonhado, e se tornou mais livre, desapegado. Foi uma experiência de adulta poder encontrar a criança feliz e plena de sua docilidade que habita em mim".

Andressa Lopes (segunda linha, primeiro quadro a direita) na oficina Vá Vi Vê - oficina de como poesia não se ensina
Andressa Lopes (segunda linha, primeiro quadro a direita) na oficina Vi Vê - oficina de como poesia não se ensina

Ser um respiro entre as tumultuadas atividades cotidianas, uma oportunidade de conhecer algo novo ou praticar uma atividade cultural de interesse, é justamente a proposta do Funciona Cultura, que acontece desde julho deste ano, em formato online. O Projeto da Diretoria de Cultura (DCult) da Pró-reitoria de Extensão e Cultura (Proec) da Unicamp, em parceria com o Grupo Gestor de Benefícios Sociais (GGBS) e a Escola de Educação Corporativa (Educorp), chega a sua 5a edição com 16 oficinas em formato online, nas áreas de música, literatura, dança, artesania, artes visuais culinária e teatro. As inscrições podem ser realizadas até a próxima quarta-feira (25), via formulário ou representante de treinamento nas unidades/órgãos (confira a programação completa).

Voltado para funcionários e funcionárias da Universidade é gratuito e integrado à administração, de modo a poder ser realizado durante horário de trabalho e com certificado. O projeto já atingiu aproximadamente 4% da comunidade de servidores, de acordo com Ariane Polidoro Dini, coordenadora adjunta da DCult. "As oficinas têm um papel tanto na saúde quanto na produtividade do trabalhador, docente ou técnico, por ampliar sensibilidades e criatividades ao dar voz ao corpo e à mente a (des)conhecimentos do universo simbólico da cultura. Essa compreensão seja na área de exatas, biológicas, humana ou saúde pode ampliar grandemente a importância da vivência cultural", afirmou Ariane. As oficinas são divididas em três encontros de duas horas, que acontecerão entre 30 de novembro e 18 de dezembro.

Oficina de Literatura "Atrelaletra- uma oficina sobre Escrever, ler e criar", por Daniel Montanheiro, que está sendo realizada na 4a edição
Oficina de Literatura "Atrelaletra- uma oficina sobre Escrever, ler e criar", por Daniel Montanheiro, que está sendo realizada na 4a edição

A expectativa da organização é que o projeto atinja um número ainda maior de trabalhadores e trabalhadoras nessa edição. As edições anteriores somaram um total de 751 inscrições nas 63 oficinas oferecidas. "Esses resultados desvelam uma oportunidade de crescimento e capilarização do Funciona Cultura a cada Unidade ou órgão da Universidade. Onde houver um servidor da Unicamp, que possa ser beneficiado por uma oficina cultural, há oportunidade de capilarização", ressaltou Ariane.

Segundo ela, a Dedic (Divisão de Educação Infantil e Complementar) foi um exemplo exitoso da capilarização do projeto ao longo das primeiras edições. "Na primeira edição, uma professora participou e compartilhou a experiência com colegas de trabalho. Após cada edição mais servidores da Dedic se incorporaram. Na quarta, recebemos a informação da Educorp que praticamente todas as servidoras da Dedic tinham participado de pelo menos uma oficina do projeto e avaliaram muito positivamente cada participação", contou.

Ariane Polidoro Dini, assessora da DCult
Ariane Polidoro Dini, assessora da DCult

Wenceslao de Oliveira Junior, diretor da DCult, destacou ainda a relevância das oficinas de cultura afro-americana, oferecidas em diferentes linguagens. "Entendemos que participar de uma oficina de uma prática cultural de matriz africana é também uma forma de combate ao racismo e de engajamento na construção de uma sociedade mais justa, plural e igualitária", afirmou. A programação da 5a edição do Funciona Cultura inclui oficinas de danças afro-brasileiras, com Renata de Oliveira, Afropoética, com Thifany Pinheiro e Jonatas Akin, e de percussão afro, com Bianca Lúcia.

Confira a programação: 

CALENDÁRIO DE OFICINAS ONLINE

OFERECIMENTO DURANTE O PERÍODO DE ISOLAMENTO SOCIAL

30/11, 07 e 14/12

09h às 11h - Música - Oficina de Percussão Afro - Bianca Lúcia

14h às 16h - Literatura - Zinemania - Faça você mesmo a sua publicação - Daniel Montanheiro

16h às 18h - Dança - Dança Cigana - Lady Agatha

19h30 às 21h30 - Música - Música Digital: conhecendo a produção musical através de ferramentas online e aplicativos móveis - Adeniran Silva

 

01, 08 e 15/12

09h às 11h - Culinária - Biodiversidade no prato: PANCs - Malú Santana

14h às 16h - Cinema - Fotografia com celular: olho, mente e coração - Kora Prince

16h às 18h - Artesania - Bordando as flores do Peru - Nella Paredes

 

02, 09 e 16/12

09h às 11h - Cinema - Trabalho, espaço e recordações: tecendo as memórias em imagens e sons - Eduardo Oliveira

14h às 16h - Artes Visuais - Expressão em Caixas - João Bosco

16h às 18h - Literatura - Afropoética - Thifany Pinheiro

 

03, 10 e 17/12

09h às 11h - Culinária - Bebidas Fermentadas - Larissa Sakellarios

14h às 16h - Artes Visuais - Mapeamentos Cotidianos - Paula Monterrey

16h às 18h - Artesania - Cestos em crochê de fios de malha - Carolina Estevam

19h30 às 21h30 - Teatro - Inteligência Emocional através de jogos teatrais e contos literários – Diego Henrique

 

04, 11 e 18/12

14h às 16h - Teatro - Os Bonecos na Contação de Histórias - Ulisses Junior

16h às 18h - Dança - Danças afro-brasileiras - Renata de Oliveira

Imagem de capa

Oficina de uma prática cultural de matriz africana oferecida com inscrições abertas
Oficina de uma prática cultural de matriz africana oferecida com inscrições abertas