Serrapilheira lança chamada pública para apoiar 12 cientistas com até R$ 700 mil

O Instituto Serrapilheira lança nesta sexta-feira (16) sua 4ª chamada pública de apoio à ciência. Serão selecionados até 12 jovens cientistas com projetos originais e ousados que contribuam para o conhecimento fundamental em ciências naturais (ciências da vida, física, química, geociências), ciência da computação e matemática. Os apoios (grants) vão variar de R$ 200 mil a R$ 700 mil e valem por 3 anos. Desde sua criação, em 2017, o Serrapilheira investiu R$ 30 milhões em ciência, apoiando mais de 120 projetos de pesquisa.

A nova chamada pública traz algumas mudanças importantes em relação às anteriores. O período de apoio se estendeu, para que os cientistas possam desenvolver seus projetos em longo prazo, com a liberdade essencial para a pesquisa de excelência. O valor do grant passou a ser variável e levará em consideração as necessidades de cada projeto - por exemplo, se são mais ou menos experimentais.

O bônus da diversidade também mudou. Agora os cientistas, após selecionados, poderão concorrer, de forma voluntária, a recursos extras para serem investidos exclusivamente na integração e formação de pessoas de grupos sub-representados em suas equipes. O valor do bônus vai depender da ação a ser desenvolvida e poderá variar de 10% a 100% do grant recebido. A forma de implementar as ações de inclusão será discutida com cada grantee. 

Outra novidade é que cada candidato só poderá submeter no máximo duas propostas durante todo o período em que for elegível. O objetivo é que o proponente dedique tempo e cuidado para preparar uma proposta original e de qualidade. O limite de submissão de uma proposta por chamada continua valendo.

Além disso, os candidatos deverão indicar pelo menos dois artigos de impacto em que foram autores principais. E atenção: o impacto, aqui, será medido pelo efeito que o artigo teve em questionar, avançar ou aprofundar o conhecimento no campo, justificado pelo próprio candidato. Ou seja, o proponente deverá explicar por que considera seus artigos de impacto com base no seu conteúdo e contribuição intelectual.

O processo de seleção agora acontece em duas fases. Na primeira, os candidatos enviam uma pré-proposta, que será avaliada pelos revisores. A partir daí, alguns serão chamados para submeterem a proposta completa. A etapa final inclui uma entrevista. 

Os candidatos deverão ter vínculo permanente com alguma instituição de pesquisa no Brasil e ter concluído o doutorado entre 1º de janeiro de 2013 e 31 de dezembro de 2018. Esse prazo é estendido em até dois anos para mulheres com filhos.

“Este é um momento que requer um esforço de articulação ainda maior entre diferentes instituições, públicas e privadas, para mantermos os jovens cientistas motivados e com condições de desenvolver seus projetos”, afirma Cristina Caldas, diretora de Ciência do Serrapilheira. “Apesar das condições de financiamento à pesquisa pouco favoráveis, temos testemunhado no Serrapilheira, nos últimos três anos, o desenvolvimento da carreira de jovens excelentes, inseridos em redes internacionais de conhecimento e abrindo novas perspectivas de avanço de áreas científicas. Isso não pode parar”.

O Serrapilheira encoraja a candidatura de mulheres e pessoas negras na chamada. As inscrições ficarão abertas de 16 de novembro a 16 de dezembro, mas o edital completo já pode ser conferido aqui.