HC tem a maior cobertura da imprensa desde a sua inauguração há 35 anos

##
Fontes do HC também estiveram na pauta dos veículos internacionais como a CNN, a BBC, a Agência Reuters e o jornal Asahi Shimbum do Japão

Já se passaram mais de 150 dias depois da primeira coletiva de imprensa realizada no Hospital de Clínicas da Unicamp, para apresentação do Plano de Contingência de enfrentamento ao COVID-19, e o hospital registra a maior cobertura jornalística desde a sua inauguração, há 35 anos. De janeiro até agora, foram 683 notícias clipadas – 75% delas relacionadas ao novo coronavírus – de veículos de comunicação (TVs, jornais, rádios e portais de internet), além de mídias sociais.

Fontes do HC estiveram na pauta dos principais veículos de comunicação nacionais e até internacionais como a CNN, a BBC, a Agência Reuters e o jornal Asahi Shimbum do Japão, detalhando propostas de enfrentamento, esclarecimentos sobre a doença e os planos de readequação do hospital. A presença do HC pôde ser conferida nos mais importantes programas jornalísticos da TV aberta e por assinatura, com entradas ao vivo.

A CNN Brasil, por exemplo, abriu sua primeira notícia em sua estreia no país no dia 15 de março, com uma reportagem sobre HC da Unicamp na pandemia. Para garantir agilidade aos telejornais, a assessoria de imprensa do hospital produziu sete vídeos de entrevistas gravados por smartphone com perguntas enviadas pelas TVs, além de viabilizar cinco entrevistas dentro do hospital por skype.

Já a multiplataforma de mensagens WhatsApp foi a principal ferramenta para as rotinas de trabalho profissional usada entre a assessoria e produtores, editores e repórteres, inclusive aos finais de semana. Nesse período de 150 dias, foram atendidos 723 pedidos da imprensa, sendo 80% relacionados à pandemia e 20% com as rotinas do hospital como boletins médicos. Os pedidos de jornalistas por e-mail somaram nesse período 48 auxílios.

##
A CNN Brasil, por exemplo, abriu sua estreia no país, em 15 de março, com uma reportagem sobre HC da Unicamp na pandemia

Outra questão importante é que desde maio, as imagens e fotos de ambientes COVID como UTIs, enfermarias e a Urgência e Emergência utilizadas em reportagens foram produzidas, em alta resolução, pela assessoria do hospital. São mais de 120 minutos em imagens relacionadas aos ambientes COVID e mais de 200 fotos para o banco de imagens.

“Foi a única maneira de apresentar ao Brasil e ao mundo a rotina de nossos profissionais, o uso diário dos EPIs, os equipamentos e a estrutura existente, já que as equipes jornalísticas não estão entrando em hospitais, muito menos em ambientes COVID”, explica Caius Lucilius, assessor de imprensa.

Para facilitar a cobertura dos assuntos do novo coronavírus relacionados ao HC da Unicamp foram realizadas cinco coletivas de imprensa – pela primeira vez em ambiente externo do hospital. Ainda para fortalecer a comunicação com os colaboradores e com a comunidade externa foi lançado o novo site e a inserção da instituição nas redes sociais, sob os cuidados da relações públicas, Tricia Thomé.

A equipe de jornalistas Edimilson Montalti e Camila Delmondes, ambos da FCM, se integraram à comunicação do HC para a produção de conteúdo para o site do hospital desde março. Nesse período, já foram produzidas mais de 80 matérias para o site do hospital, principalmente relacionadas às doações e rotinas. Outra marca inédita na comunicação institucional do hospital.

Além das mídias tradicionais, as atividades também incluíram o combate a disseminação de fake news em redes sociais como Facebook, Instagram e WhatsApp. Também foram produzidas no período, seis notas oficiais e um artigo publicado no jornal Correio Popular.

Matéria publicada originalmente no site do HC da Unicamp.

Imagem de capa

Composição de fotos que retratam a cobertura jornalística no HC
A presença do HC pôde ser conferida nos mais importantes programas jornalísticos da TV aberta e por assinatura, com entradas ao vivo.