Campanha Unicamp Solidária-Cestas básicas foi lançada na última quarta-feira (3)

Fotos
Edição de imagem

A Diretoria Executiva de Planejamento Integrado (DEPI) foi criada em 2017 para, entre outros objetivos, prospectar cenários sobre as formas de atuação da universidade no longo prazo em consonância com a sociedade que a financia. Foi buscando cumprir essa finalidade que a DEPI idealizou a Campanha Unicamp Solidária-Cestas Básicas, cujo lançamento oficial aconteceu na manhã desta quarta-feira (3/6), em uma videoconferência com a presença do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, do prefeito de Campinas, Jonas Donizette, da superintendente do Itaú Social, Ângela Dannemann, do presidente do Centro de Pesquisas Avançadas Wernher von Braun, Dario Thober, e da Secretária Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos da Prefeitura de Campinas (SMASDH), Eliane Jocelaine Pereira.

“Acreditamos que a Unicamp tem uma importante função social e foi nesse sentido que a DEPI se engajou nessa Campanha, para ajudar a cidade de Campinas nesse momento crítico que enfrentamos”, afirmou o diretor da DEPI, Marco Aurelio Pinheiro Lima. O objetivo da Campanha Unicamp Solidária-Cestas Básicas é ajudar a população mais vulnerável da cidade de Campinas por meio da doação de alimentos e produtos de higiene e limpeza. De acordo com a secretária de assistência social, Eliane Pereira, por conta da pandemia cresceu muito o número de famílias com dificuldades de adquirir alimentos e produtos de limpeza. “Eu acredito que essa parceria da universidade, com a prefeitura e esses atores privados é histórica para a nossa cidade. Tanto no sentido de fortalecer as ações da Prefeitura no atendimento à comunidade, como no sentido de construir um diálogo rico e produtivo entre diferentes instituições”, disse.

O lançamento da Campanha ocorre no mesmo dia que o Itaú Social oficializa a doação de um total de R$ 1,2 milhão. Os recursos chegarão à Campanha por meio de três depósitos de R$ 400 mil, sendo que o primeiro será feito nos próximos dias. Com esse valor será possível atender cerca de 8 mil famílias por mês. Considerando o número de famílias já cadastradas junto à Secretaria de Assistência Social, 26 mil famílias, estas cestas atendem 30% de todos os que estão identificados como vulneráveis. “Somente com parcerias interinstitucionais como essa, conseguiremos atravessar essa grave crise sanitária”, afirmou Ângela Dannemann, superintendente do Itaú Social. “O modelo dessa Campanha, que busca fortalecer e ampliar ações em andamento, poderá ser um modelo para nossos projetos na Fundação Itaú Social”, completou.

Com o dinheiro arrecadado, a Fundação para o Desenvolvimento da Unicamp (Funcamp) compra cestas. Elas são entregues diretamente no Banco de Alimentos de Campinas que as encaminha para instituições previamente cadastradas na Secretária Municipal de Assistência Social. O diretor de relações institucionais da Funcamp, Renato Falcão, destacou que todos as informações sobre a campanha estão disponíveis na página da Campanha, incluindo valores arrecadados, número de cestas compradas e entregues. “Fizemos questão de dar essa transparência desde o início dessa iniciativa. Além disso, qualquer pessoa pode ajudar, já que não há valor mínimo que poder ser doado”, explicou.

Ciência e solidariedade – Outro parceiro do projeto é o Centro de Pesquisas Avançadas Wernher von Braun. Sediado em Campinas, a empresa desenvolve soluções tecnológicas para instituições públicas e privadas, inclusive na área de Internet das Coisas, identificação e transações automáticas, como por exemplo, a tecnologia utilizada no Sem Parar. O Von Braun Labs criou um aplicativo “Viva Vida” que vai ser utilizado pela Secretaria de Assistência Social de Campinas para ajudar no cadastramento de famílias em situação de vulnerabilidade. Ao baixar o aplicativo “Viva Vida”, o usuário pode se cadastrar para se candidatar a receber cestas básicas da Campanha Unicamp Solidária.

Conforme contou o diretor do Von Braun Labs, Dario Thober, o aplicativo é uma ferramenta de integração entre quem quer doar, a prefeitura e quem precisa de ajuda. Ao acessar o aplicativo no celular a pessoa pode fazer uma doação via o site da Funcamp. Já as pessoas que precisam de ajuda podem se cadastrar no aplicativo. Essas informações vão alimentar o banco de dados da Prefeitura”. “Nosso objetivo é, a partir da coleta desses dados, emitir vouchers eletrônicos para as instituições já cadastradas na Secretaria de Assistência Social distribuírem para as famílias e, futuramente, para estabelecimentos comerciais nas áreas específicas da cidade”, explicou Thober, que é ex-aluno da Unicamp.

O desenvolvimento do aplicativo conta com o apoio da Coordenadoria de Georreferenciamento da Unicamp, ligada à DEPI. A equipe está criando um mapa georreferenciado (web map) para auxiliar a Secretaria de Assistência Social na identificação e cadastramento da população e desses estabelecimentos, além de identificar, para cada família, os estabelecimentos mais próximos, nos quais poderão trocar os vouchers eletrônicos por produtos. “Esses mapas vão ajudar no processo de rastreamento das doações, confirmando que elas chegaram ao seu destino, isto é, às pessoas que realmente necessitam”, complementou Thober.

Saiba como funciona o aplicativo Viva Vida.

Nesse sentido a Campanha Unicamp Solidária se mostra como um bom exemplo de resposta inteligente e eficaz, por meio da articulação de vários atores: a universidade pública, a Prefeitura Municipal, a iniciativa privada - muito diversificada- e o cidadão comum.

Entre os atores privados que aderiram à Campanha estão a empresa JUNI, especializada em otimização de ambientes digitais. A equipe da empresa dedicou 40 horas de trabalho no site da Campanha, garantindo um crescimento de 7% no número de cliques para doação, de acordo com Gabriel Machado, head de operação da JUNI.

Em outra frente de atuação, acontece através da parceria com o Projeto COMEMOS, que vende kits gastronômicos e reverte o lucro para a compra das cestas básicas. Os kits reúnem pratos e produtos de parceiros comerciais. Moradores das regiões de São Paulo e de Campinas podem encomendá-los através do site do projeto. “Tem sido muito satisfatório ver esse esforço de tantas pessoas e instituições para ajudar quem precisa nesse momento”, disse coordenador do projeto COMEMOS, Yoav Nevo.

Para o prefeito de Campinas, Jonas Donizette, a parceria com a Unicamp demonstra a importância de unir forças para enfrentar uma crise que afeta a todos, mas que é mais grave para as camadas sociais mais vulneráveis. “Campinas conta com uma população de alto poder aquisitivo, com uma classe média significativa, mas temos também, pessoas muitos pobres que precisam de ajuda. Uma Campanha como essa fortalece as ações que temos adotado na Prefeitura desde o início da pandemia”, disse o prefeito.

Fechando a videoconferência de lançamento da Campanha, o reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, lembrou que a pandemia fez aumentar o número de pessoas com dificuldade de adquirir alimentos e produtos de higiene. “Um grande contingente de pessoas teve forte queda na renda ou ficou sem renda nenhuma”, apontou. Ele agradeceu a todos os parceiros na Campanha e reforçou a importância da solidariedade nos momentos de crise. “Eu acredito que essa pandemia tem despertado um forte movimento de voluntariado em nossa cultura, algo que veio para ficar”, finalizou.

Acesse aqui para doar para a Campanha Unicamp Solidária-Cestas Básicas. 

Assista ao vídeo: 

Imagem de capa
Caixas com alimentos básicos que serão distribuídas às famílias carentes

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

Uallace Moreira Lima reafirmou o compromisso do atual governo em apoiar ações e projetos responsáveis por contribuir para o crescimento econômico e sustentável do país

A publicação apresenta um panorama das pesquisas desenvolvidas por estudantes e pesquisadores indígenas nas diferentes regiões do país, em todas as áreas do conhecimento

O grupo é composto por 65 intercambistas de graduação, que farão disciplinas isoladas em diferentes cursos, e 70 alunos regulares de pós-graduação

Atualidades

O encontro reuniu estudiosos do Brasil e do mundo para discutir a forma como as duas áreas devem se preparar a fim de enfrentar os grandes desafios contemporâneos no campo da saúde mental

O projeto “Reator sustentável: constituído por eletrodos de óxidos metálicos e células solares, para aplicações na descontaminação de água ou conversão de CO2 utilizando energia solar” é desenvolvido no âmbito do Centro de Inovação em Novas Energias 

Professor do Instituto de Geociências e autor do livro “Africano: uma introdução ao continente”, Kauê Lopes dos Santos comenta aproximação com países como Egito e Etiópia

Cultura & Sociedade

Escritor e articulista, o sociólogo foi presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais no biênio 2003-2004

O evento acontecerá entre os dias 29 de fevereiro e 10 de março; a obra ESTAFA ou sobre os sonhos não dormidos foi selecionada na categoria de peças internacionais