Serrapilheira anuncia apoio de R$ 2,3 milhões para jovens cientistas e docente do IQ está entre os contemplados

O Instituto Serrapilheira anunciou na última sexta-feira (29) um investimento de R$ 2,3 milhões em jovens cientistas. Os 23 pesquisadores selecionados pela 3ª Chamada Pública de Apoio à Ciência vão receber até R$ 100 mil, cada, para investir em seus projetos nas áreas de ciências naturais, ciência da computação e matemática. Com o novo aporte, o Serrapilheira chega a R$ 31,3 milhões investidos em ciência em 3 anos. A professora Taicia Fill, uma das selecionadas, é do departamento de Química da Unicamp. O título do seu projeto é: Resgatando a citricultura brasileira do greening: uma estratégia para desarmar o vilão

“A importância do investimento na pesquisa básica ficou ainda mais evidente na pandemia de Covid-19”, afirma o diretor-presidente do Serrapilheira, Hugo Aguilaniu. “A ciência está em ação neste momento para entender a velocidade do contágio, nossa resposta imunológica e desenhar estratégias para diminuir o impacto do novo coronavírus. Este é o resultado de décadas de investimento em ciência fundamental." 

Os cientistas selecionados serão reavaliados após um ano. Até 3 deles serão escolhidos para receber o apoio de R$ 1 milhão (R$ 700 mil - mais bônus de R$ 300 mil destinado à integração e à formação de pessoas de grupos subrepresentados na ciência) por 3 anos. 

“O processo seletivo foi especialmente desafiador diante da pandemia de Covid-19”, afirma a diretora de Ciência do Serrapilheira, Cristina Caldas. “Ele aconteceu em um momento em que os revisores estavam fechando seus laboratórios, interrompendo experimentos e reajustando suas agendas, o que nos levou a prorrogar o prazo por um mês.” O painel de revisores das chamadas é internacional, composto por cientistas atuantes em diversos países.

Como parte da rede do Instituto, os selecionados também terão acesso a treinamentos, eventos de integração e iniciativas de colaboração, sempre pautados pelos valores da ciência aberta e diversidade na ciência.

“Poder apoiar jovens cientistas em um momento especialmente difícil como esse nos traz um novo ânimo”, completa Caldas. “Como a ciência ganhou mais atenção na pandemia, torcemos para que esse investimento na pesquisa brasileira possa representar uma certa esperança para as pessoas.”

Confira aqui os pesquisadores selecionados. 

Sobre o Serrapilheira

Criado em 2017, o Instituto Serrapilheira é a primeira instituição privada, sem fins lucrativos, de fomento à ciência no Brasil. Foi fundado para valorizar o conhecimento científico e aumentar sua visibilidade, contribuindo para a construção de uma cultura de ciência no país. O instituto atua em duas frentes: Ciência e Divulgação Científica. Desde sua criação, o instituto já apoiou 98 pesquisadores e 34 projetos de divulgação científica.