Unicamp faz pré-lançamento on-line de campanha para compra de cestas básicas

Autoria
Fotos
Edição de imagem
foto mostra homem puxando empilhadeira que carrega várias cestas básicas empilhadas
Doação de 386 cestas básicas ao Banco de Alimentos de Campinas deram início à campanha 

Nesta quarta-feira (13), a Unicamp realizou, por meio de uma videoconferência, o pré-lançamento da Campanha Unicamp Solidária: Cestas Básicas. A ação tem o objetivo de arrecadar fundos para a compra de cestas básicas, que serão doadas ao Banco de Alimentos de Campinas e distribuídas a famílias em situação de vulnerabilidade na cidade no período da pandemia do coronavírus. Participaram da reunião on-line Marcelo Knobel, reitor da Unicamp, Marco Aurélio Lima, diretor executivo de Planejamento Integrado da universidade, e Eliane Jocelaine Ferreira, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas, além de representantes de empresas e instituições parceiras da Unicamp. 

O pré-lançamento também contou com a entrega das primeiras 386 cestas básicas adquiridas pela campanha ao Banco de Alimentos. A meta é ampliar a capacidade de atendimento da secretaria às cerca de 32 mil famílias de Campinas em situação de vulnerabilidade. "Nós não definimos o público-alvo, entendemos que essa responsabilidade é de quem costuma fazer isso cotidianamente, que analisa os dados da cidade, que é a secretaria de assistência social. O que então decidimos fazer: nós compramos as cestas e entregamos ao Banco de Alimentos, que tem o cadastro de diversas instituições que auxiliam a secretaria, retiram essas cestas e entregam aos vulneráveis", explicou Marco Aurélio Lima. 

"Nenhum município estava preparado para essa pandemia"

Os recursos são arrecadados por meio da Fundação de Desenvolvimento da Unicamp (Funcamp) e as doações podem ser feitas no site da fundação. O pagamento pode ser feito por transferência bancária, cartão de crédito e boleto bancário. No site, também é possível acompanhar o montante arrecadado e o número de cestas entregues ao Banco de Alimentos. 

Segundo Eliane Ferreira, a situação é preocupante, já que muitas famílias que não estavam entre os beneficiados pela secretaria passaram a depender dos auxílios prestados por conta da crise provocada pela pandemia do coronavírus. "O município de Campinas tem desenvolvido políticas públicas importantes, mas nenhum município do país estava preparado para essa pandemia e para os impactos que ela está causando aos lares brasileiros", afirmou a secretária. 

Ela avalia que a parceria firmada entre a Unicamp e o poder público municipal deverá servir de modelo para a própria cidade e para outros municípios do país. "A Universidade tem um papel importantíssimo não apenas na produção de conhecimento, mas também de nos ajudar nos territórios da cidade a colocar em prática todo esse conhecimento e nos proporcionar também expandir nossas capacidades de atendimento no âmbito das políticas públicas", analisa. 

foto mostra caixas de cestas básicas empilhadas
Cerca de 32 mil famílias estão em situação de vulnerabilidade, mas número deve aumentar

Importância de atrair novos parceiros

Além das arrecadações, a campanha conta ainda com o apoio de empresas parceiras que também ampliam a capacidade de assistência social do município. A Fundação Itaú Social vai destinar R$ 1,2 milhão para a campanha, valor que será pago a partir do fim de maio em três parcelas de R$ 400 mil. A colaboração possibilita o atendimento de cerca de 8 mil famílias por mês. 

O iFood também contribui com a campanha por meio do recurso de doações disponível no aplicativo da empresa. Os valores doados pelos clientes serão utilizados na compra de cestas básicas entregues pela ONG Ação da Cidadania ao Banco de Alimentos de Campinas. O Projeto Comemos, iniciativa criada em Israel que distribui kits de alimentos para comercialização, também é parceiro. Nesta semana, o projeto também fez a doação de R$ 10 mil à campanha. "É um grande privilégio poder ajudar nisso, estamos correndo muito para ter um impacto grande, conseguir mobilizar milhões de pessoas. Várias marcas já nos retornaram e muitas pessoas estão pedindo para contribuir com a campanha, estamos indo em uma direção muito boa", comentou Yoav Nevo, representante do projeto. 

Para Marcelo Knobel, reitor da Unicamp, esta é uma oportunidade de a universidade agregar valor enquanto instituição à ação social e atrair mais pessoas e empresas dispostas a contribuir. "É uma parceria que estamos construindo entre a Unicamp, a Prefeitura de Campinas e diversas empresas e organizações da sociedade civil que se uniram nesse momento tão difícil com o objetivo de tentar oferecer o mínimo de ajuda possível e gerar valor com a participação da universidade, prestando cuidado a essas pessoas que neste momento precisam muito da ajuda de toda a sociedade", afirmou o reitor. 

Confira a reunião na íntegra na transmissão feita pela TV Unicamp:

 

Imagem de capa
foto mostra caixa de cesta básica aberta com alimentos no interior em destaque

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

Uallace Moreira Lima reafirmou o compromisso do atual governo em apoiar ações e projetos responsáveis por contribuir para o crescimento econômico e sustentável do país

A publicação apresenta um panorama das pesquisas desenvolvidas por estudantes e pesquisadores indígenas nas diferentes regiões do país, em todas as áreas do conhecimento

O grupo é composto por 65 intercambistas de graduação, que farão disciplinas isoladas em diferentes cursos, e 70 alunos regulares de pós-graduação

Atualidades

O encontro reuniu estudiosos do Brasil e do mundo para discutir a forma como as duas áreas devem se preparar a fim de enfrentar os grandes desafios contemporâneos no campo da saúde mental

O projeto “Reator sustentável: constituído por eletrodos de óxidos metálicos e células solares, para aplicações na descontaminação de água ou conversão de CO2 utilizando energia solar” é desenvolvido no âmbito do Centro de Inovação em Novas Energias 

Professor do Instituto de Geociências e autor do livro “Africano: uma introdução ao continente”, Kauê Lopes dos Santos comenta aproximação com países como Egito e Etiópia

Cultura & Sociedade

Escritor e articulista, o sociólogo foi presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais no biênio 2003-2004

O evento acontecerá entre os dias 29 de fevereiro e 10 de março; a obra ESTAFA ou sobre os sonhos não dormidos foi selecionada na categoria de peças internacionais