Polarização e pandemia, segundo Roberto Romano

Edição de imagem

Assista à entrevista de Roberto Romano ao programa Direto na Fonte (Rádio e TV Unicamp)

Produção: Marcos Botelho e Patrícia Lauretti

Edição: Kléber Casabllanca

Entrevista: Felipe Mateus

Texto: Patrícia Lauretti

Regimes de governos totalitários promoveram, ao longo do século XX, uma política de extermínio de populações. Movimentos de esquerda e liberais, sobretudo em 1968, ao questionar a ação do Estado, estabeleceram uma espécie de supervalorização dos movimentos sociais, como alternativa para atender aos problemas da sociedade. Já a direita seguiu caminho invertido, negando a existência do estado como regulador da vida pública.

A partir desse percurso histórico, o professor de Ética e Filosofia, Roberto Romano, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), afirma que "não é de hoje esse pensamento privatista e elitista que valoriza mais a propriedade e o capital financeiro do que propriamente a vida pública".

O professor destaca que não existe uma polarização ou politização da pandemia de Covid-19 . "O que existe é uma politização anterior de questões que aparecem para o público como meramente técnicas, mas que na verdade são decisões políticas contra a sociedade, contra os mais pobres".

O Brasil está experimentando, na opinião do professor, um "pacote de negação completo". "No Brasil tivemos um soluço democrático, desde a Constituição, mas as viúvas da ditadura militar, da ditadura Vargas, estão presentes. Existe uma tradição no Brasil de menosprezo pela população e pelo povo mais pobre".

Segundo Romano, pela primeira vez na história brasileira, temos um governo cujos ministros, além de cortarem investimentos da pasta, combatem a ciência. O professor ainda lembra de célebres conservadores que tinham confiança na ciência. "Não estamos diante de um movimento conservador, estamos diante de um movimento que nega as bases do Estado, do Estado democrático de direito, do Estado republicano e as bases científicas que ajudaram a elaborar esse próprio Estado, é um desastre completo".

 

Imagem de capa
Retrato do professor Roberto Romano que veste terno e gravada e olha em direção à câmera

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

Uallace Moreira Lima reafirmou o compromisso do atual governo em apoiar ações e projetos responsáveis por contribuir para o crescimento econômico e sustentável do país

A publicação apresenta um panorama das pesquisas desenvolvidas por estudantes e pesquisadores indígenas nas diferentes regiões do país, em todas as áreas do conhecimento

O grupo é composto por 65 intercambistas de graduação, que farão disciplinas isoladas em diferentes cursos, e 70 alunos regulares de pós-graduação

Atualidades

O encontro reuniu estudiosos do Brasil e do mundo para discutir a forma como as duas áreas devem se preparar a fim de enfrentar os grandes desafios contemporâneos no campo da saúde mental

O projeto “Reator sustentável: constituído por eletrodos de óxidos metálicos e células solares, para aplicações na descontaminação de água ou conversão de CO2 utilizando energia solar” é desenvolvido no âmbito do Centro de Inovação em Novas Energias 

Professor do Instituto de Geociências e autor do livro “Africano: uma introdução ao continente”, Kauê Lopes dos Santos comenta aproximação com países como Egito e Etiópia

Cultura & Sociedade

Escritor e articulista, o sociólogo foi presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais no biênio 2003-2004

O evento acontecerá entre os dias 29 de fevereiro e 10 de março; a obra ESTAFA ou sobre os sonhos não dormidos foi selecionada na categoria de peças internacionais