De ajuda online à triagem de pacientes, estudantes entram na luta contra o coronavírus

Aluno do 4o ano de Medicina da Unicamp, Zeus Tristão, de 30 anos, se apresentou como voluntário para fazer a triagem de pacientes com sintomas da Covid-19 que procuram o Hospital das Clínicas da universidade. Ele faz parte de um grande número de estudantes no fim do curso das áreas de Saúde que engrossam as fileiras de quem trabalha na guerra contra a pandemia pelo País. "Escolhi fazer Medicina para cuidar do próximo e essa é a razão pela qual estou disponível nessa linha de frente". 

Os alunos se apresentaram como voluntários antes mesmo da convocação feita pelo Ministério da Saúde na semana passada - o órgão lançou edital para chamar estudantes de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia e Farmácia para atuarem na atenção primária durante a pandemia. 

Os jovens dizem que, embora não estejam formados, já tem conhecimento para compartilhar. Tristão é do grupo de 35 Expedicionários da Saúde que faz triagem em tendas montadas ao lado do hospital. "Atendimento presencial, levando pessoas com sintomas leves para isolamento em casa e encaminhando os mais graves para consulta médica e hospital. Somos os guardiões que direcionam pacientes ao atendimento de que precisam."

A faculdade exigiu equipamentos de proteção individual e eles fizeram curso para usá-los. O grupo se reveza em três alunos por turno. 

Leia matéria na íntegra publicada no jornal O Estado de São Paulo. 

 

Imagem de capa

Um homem e uma mulher com jalecos brancos em frente à rampa de entrada do HC
Zeus Tristão e Isabela Schoenacker se apresentaram coo voluntários para fazer a triagem de pacientes com sintomas da covid-19