COVID-19: a batalha contra a desinformação

#

A pandemia do novo Coronavírus trouxe junto uma pandemia de notícias falsas e de desinformação. Enquanto as autoridades médicas e sanitárias do país e do mundo todo recomendam o isolamento e alertam contra o uso de medicamentos sem validação cientificas, grupos espalham notícias falsas, ora desprezando a dimensão da crise, ora incitando que a população abandone as medidas absolutamente necessárias. Não falta também a circulação, pelas redes sociais, de postagens imitando manchetes de veículos de comunicação conhecidos, que anunciam abrandamento dessas medidas por parte das autoridades municipais ou estaduais. A população, que precisa ser orientada adequadamente, fica à mercê dessas iniciativas incautas e irresponsáveis, que constituem grave prejuízo para a saúde pública. 

As universidades públicas estão cumprindo o seu papel de combate à crise global, redobrando seus esforços de pesquisa e desenvolvimento para encontrar tratamentos, desenvolver e produzir insumos e equipamentos para auxiliar as áreas da saúde em seu entorno e região. Outra frente importante que se coloca, no contexto dessa segunda pandemia, a da desinformação, é a de proporcionar ao público informações corretas e úteis para que todos participem do combate a essa grave crise, nosso maior desafio desse século, e entendam o que se passa a partir da ciência, que passa a ser reconhecida finalmente como a única forma de conhecimento capaz de enfrentar a situação. 

Nessa frente de combate à desinformação, iniciativas de apresentação correta dos dados sobre a COVID-19, bem como sua análise rigorosa, surgem e vêm se consolidando em vários grupos de cientistas de diferentes áreas do conhecimento em diferentes universidades do país e mundo afora. É papel fundamental apresentar informações e análises corretas para que superemos essa terrível adversidade. A Unicamp, estruturou, em seu portal, o Hotsite Coronavírus (COVID-19), as notícias das atividades em andamento na universidade, o acesso a fontes de informações com referências comprovadas, além de comunicar as medidas que vem sendo tomadas na Unicamp. O acesso aos artigos científicos sobre o problema, artigos de divulgação científica para amplo público sobre o tema, orientações para doações e voluntariado e respostas às perguntas mais frequentes também estão disponibilizados. 

No que se refere aos dados sobre a evolução da pandemia no mundo, uma página da Universidade Johns Hopkins nos Estados Unidos, tornou-se uma das principais e mais confiáveis fontes de informação com várias atualizações diárias da pandemia pelo mundo. O acompanhamento da pandemia no Brasil é, entre outros projetos, feito pelas iniciativas COVID-19 BRASIL,  Observatório COVID-19 BR e o COVID-19: casos confirmados, mortes e recuperados. Essas páginas permitem, respectivamente, entre outras opções, acompanhar a evolução dos casos confirmados em estados e municípios, verificar as mudanças nas taxas de propagação da doença e da taxa de infecção ou fazer comparações diretas com os dados em outros países. 

O hotsite sobre o novo Coronavírus também apresenta fontes de artigos que esclarecem os diferentes aspectos da COVID-19. Desse modo, é bom checar o que se diz pelas redes sociais sobre o número de casos no Brasil, a gravidade da doença, o uso inadequado de supostos medicamentos e o efeito absolutamente essencial do isolamento social geral. 

Imagem de capa

não aos boatos! informe-se
não aos boatos! informe-se