Voluntariado da Unicamp se une em solidariedade durante a pandemia

A Unicamp está criando um núcleo de voluntariado para atuar na Universidade durante a pandemia de coronavírus. O cadastro de voluntários pode ser feito neste link da Diretoria Executiva de Direitos Humanos (DEDH). A ideia da criação do núcleo partiu da Reitoria e já foi discutida em duas reuniões. Uma delas realizada entre a Administração Central e representantes da Associação dos Docentes da Unicamp (Adunicamp), Diretório Central dos Estudantes (DCE), Liga das Atléticas da Unicamp (Lau) e Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp (STU). A outra reunião, não-presencial e via Google meet, foi realizada ontem, 18 de março, contando com cerca de 100 pessoas, para discutir e detalhar ações. A Diretoria Executiva de Direitos Humanos é o órgão que irá centralizar as ações e cuidar da comunicação, por meio do Observatório de Direitos Humanos, liderado pela professora Josianne Cerasoli.

De acordo com a professora Dora Kassisse, assessora do Gabinete do Reitor (GR), alguns voluntários já estão trabalhando em um levantamento dos alunos que precisam de equipamentos de informática para fazer disciplinas à distância como tablets, laptops ou celulares. Questionários estão sendo criados para identificar as demandas da comunidade ou mesmo saber se há possibilidades de empréstimo de equipamentos. A Unicamp também irá emprestar equipamentos para ensino não presencial. Uma conta bancária já foi criada para quem quiser ajudar financeiramente os que tiverem necessidade e, a partir de terça-feira, dia 24 de março, o Restaurante Universitário vai oferecer marmitex para funcionários em atividades essenciais, além dos alunos já cadastrados no Serviço de Apoio ao Estudante (SAE).

Há ainda, de acordo com a professora, muitas pessoas querendo ajudar no próprio Hospital de Clínicas. “Isso exige uma organização junto ao Recursos Humanos do HC que será verificada”. Outra ação seria a utilização de impressoras 3D para impressão de itens que vierem a faltar no mercado.

Uma sugestão que também está ganhando força partiu da professora Silvia Gatti, vice-presidente da Adunicamp. Os voluntários poderiam ligar ou receber chamadas de servidores docentes ou não docentes em situação de isolamento. “O objetivo não é repassar orientações e informações técnicas, mas apenas conversar. Seria algo mais humanitário, uma escuta para que as pessoas se sintam afagadas”, afirmou. Silvia mesmo conta que tem 65 anos e está em casa, porém cercada de tecnologia. “Acredito que muita gente ainda não tem acesso à internet ou às tecnologias para essa comunicação. Professores e funcionários mais idosos podem se interessar em receber uma ligação. Estaríamos fazendo algo mais carinhoso com as pessoas”, ressaltou.

O reitor Marcelo Knobel disse que é reconfortante ver como “nestes momentos difíceis a solidariedade surge”. Ele destacou que a Unicamp tem uma comunidade muito ativa e disposta a ajudar o próximo. “Esta rede de voluntariado vai ser fundamental para enfrentarmos este momento tão difícil. Contamos com colaboração de todos”, afirmou.

Foi criada uma conta bancária para contribuição de recursos para a compra de equipamentos para ensino não presencial ou outros insumos para alunos. O crédito pode ser feito no Banco do Brasil, 001, agência 4203-X, conta 44.426-X, UEC/Conta movimento. Identificar no depósito: GR/voluntariadoUNICAMP.

 

Imagem de capa

Vários alunos caminhando pelo campus
Reunião, não-presencial e via Google meet, foi realizada contando com cerca de 100 pessoas