Instituto de Química renova certificado internacional de qualidade

audiodescrição: fotografia colorida de prédio espelhado. em frente dele há uma placa com a identificação do instituto de química
Instituto de Química é acreditado desde 2014

Infraestrutura, matriz curricular e corpo docente estão entre os componentes que fizeram o Instituto de Química (IQ) da Unicamp obter a renovação da acreditação da Royal Society of Chemistry (RSC). Além do reconhecimento da excelência dos cursos de Química, o selo abre mais portas aos alunos do IQ, oportunizando possibilidades de intercâmbios e um certificado que atesta o alto nível de formação obtido na Unicamp.

audiodescrição; fotografia colorida do diretor do instituto de química, marco aurélio zezzi. na foto, ele está gesticulando, sentado em frente a uma mesa, enquanto concede entrevista
Para diretor do IQ, a certificação expressa reconhecimento à excelência dos cursos e abre maiores oportunidades para alunos

A acreditação, explica o diretor do IQ, Marco Aurélio Zezzi Arruda, oferece um certificado junto com os diplomas emitidos no Instituto. “A importância é fundamental tanto para os alunos como para a nossa comunidade. Os alunos têm duas coisas muito importantes: a qualidade do ensino, pois atingimos um patamar internacional, e abertura de possibilidades de trabalho não só no Brasil como no exterior”. 

Já para a comunidade acadêmica, o diretor salienta que a certificação chancela um reconhecimento importante para os docentes, pelo trabalho desenvolvido no ensino, e para a própria Unicamp, na medida em que se reconhece a excelência dos seus cursos. 

A primeira acreditação do IQ ocorreu em 2014. Como a certificação tem duração de cinco anos, em 2019 uma equipe da Royal Society of Chemistry se deslocou ao Instituto para revalidar o processo. No final do ano, foi renovada a certificação. “O parecer deles enaltece que nós temos uma infraestrutura fantástica, de altíssimo nível. O grande nível de envolvimento dos nossos alunos também chamou a atenção deles e os marcou muito positivamente essa interação do corpo discente”, observa o coordenador de graduação do IQ, Italo Odone Mazali.

Na América do Sul, apenas Unicamp e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) possuem a certificação. Segundo o Italo, mais que um selo, a certificação pela RSC mostra a vontade do IQ em estabelecer parcerias com interlocutores de alto nível. Com a acreditação, é facilitado aos alunos participar de programas da RSC, como intercâmbios em universidades do Reino Unido, através de bolsas de curta duração. Ele também conta que o IQ da Unicamp superou todos os componentes exigidos pela Royal com relativa facilidade. Elementos que em 2014 eram ainda incipientes, como a disponibilização de ementas e apostilas em língua inglesa, ao longo dos cinco anos já foram adotados pela unidade.

A indicação da RSC de que as avaliações não sejam exclusivas do professor que ministra a disciplina também serão consideradas. "Vamos implementar um modelo que talvez seja inédito no país. Todas as nossas provas de graduação, antes de serem aplicadas aos alunos, serão avaliadas pelos pares docentes. Isso busca assegurar uma uniformização do ensino. E para o aluno é bom porque significa que a instituição está preocupada com aquela avaliação que está chegando a ele. Isso visa transformar a avaliação em institucional e não numa avaliação do indivíduo", pontua Italo.

audiodescrição: fotografia colorida mostra coordenador de graduação do instituto de química, italo odone, no momento em que concede entrevista
Coordenador de graduação do IQ, Italo Odone, destaca que o instituto superou todos os requisitos para a certificação com facilidade

Royal Society of Chemistry

A Royal Society of Chemistry é uma associação internacional de pesquisadores da área de química, sem fins lucrativos, que impulsiona diversas atividades científicas no campo, além de ser uma editora que atualmente é responsável por 50 revistas científicas. Nasceu no Reino Unido, em 1841, e possui escritórios nos Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, Índia e Brasil. 

Para a representante da RSC no Brasil, Elizabeth Magalhães, o processo de acreditação oferece um reconhecimento diferencial na trajetória profissional e acadêmica dos graduandos. “Alunos vindo dessas universidades são mais considerados. Quando você mostra que o aluno passou por esse escrutínio todo, você mostra que ele é um aluno com uma base boa e que tem condições de corresponder às necessidades da pesquisa. É uma forma de reconhecimento”, aponta.

Segundo Elizabeth, que é ex-aluna da Unicamp, é gratificante acompanhar o IQ obtendo a acreditação e, ainda, poder promover a ciência que é realizada no Brasil. “Além de promover a RSC no Brasil, sou ex-aluna da Unicamp e é com muito orgulho que vejo a Unicamp ser alçada a esta posição, mostrando que o que se faz no Brasil tem uma qualidade tão boa quanto ao que se faz em qualquer outra parte do mundo”, afirma.

Ela também compartilha que chamou muito a atenção dos professores avaliadores da RSC a alta carga horária dos cursos do IQ, além da possibilidade dos alunos terem mais flexibilidade, ao fim da graduação, para cursarem disciplinas eletivas. Para Elizabeth, isso é positivo também por possibilitar que novidades na área de química sejam inseridas à grade curricular com maior facilidade. "Tanto o aluno pode optar quanto a própria estrutura do curso permite que alguns elementos do curso sejam elaborados de acordo com a necessidade. Alguns cursos ao redor do mundo são muito rígidos, e quando surge uma novidade que precisa ser contemplada às vezes demora muito o processo de inserção".

Aula magna celebra parceria

Com o objetivo de celebrar a renovação da acreditação e a parceria entre o Instituto de Química e a Royal Society of Chemistry, no dia 10 de março ocorre uma aula magna aberta ao público com o professor do Imperial College, Roberto Rinaldi. O pesquisador, formado e pós-graduado pelo IQ/Unicamp, irá compartilhar sua trajetória acadêmica.

A cerimônia, que tem início às 13h30 no Centro de Convenções da Unicamp, também contará com a representante da RSC no Brasil, Elizabeth Magalhães; o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Marco Antonio Zago; a pró-reitora de Graduação, Eliane Amaral, e outras representações de unidades acadêmicas da Universidade. 

O diretor e o coordenador de graduação do IQ salientam que, mais que comemorar a reacreditação, o evento visa dar visibilidade à parceria e à importância da internacionalização.

Imagem de capa

audiodescrição: fotografia colorida mostra prédio do instituto de química. estudantes estão caminhando em frente ao prédio.
IQ renova certificação internacional concedida pela Royal Society of Chemistry