Ator Sérgio Mamberti retoma ciclo de conferências com “A Crise da Cultura”

#

O atual momento de ataques à cultura e de enfraquecimento do setor dentro do governo federal demanda uma maior mobilização da classe artística e o fortalecimento das políticas culturais nos governos estaduais e municipais, defende o ator, diretor, produtor e dramaturgo Sérgio Mamberti. Em 11 de março, Mamberti fará a abertura da programação de 2020 do ciclo “A Crise Brasileira” com uma conferência sobre A Crise da Cultura, organizada pelo Instituto de Estudos Avançados (IdEA), no Centro de Convenções da Unicamp. As inscrições podem ser feitas no site do IdEA

Mamberti vai debater o atual cenário da cultura no Brasil a partir de sua longa carreira na dramaturgia e de sua experiência como gestor no Ministério da Cultura (MinC) durante os dois mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2007 e 2007-2011) e na primeira gestão de Dilma Rousseff (2011-2014). Nessa fase ele ocupou os cargos de secretário de Música e Artes Cênicas, secretário da Identidade e da Diversidade Cultural, presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte) e secretário de Políticas Culturais do MinC.

O ator lamenta a perda de protagonismo da pasta, que agora se restringe a uma Secretaria Especial na estrutura do Ministério do Turismo, e se mostra reticente sobre a perspectiva de melhoras sob o comando da atriz Regina Duarte, atribuindo sua escolha a uma estratégia de marketing do Executivo. Segundo o ex-presidente da Funarte, com menos recursos, a área da cultura e das artes está limitada a políticas esparsas e poucos editais.

“Eu não vejo saída dentro desse governo. Acho que temos que nos mobilizar, nos fortalecendo nas políticas estaduais e municipais”, afirmou Mamberti, citando, entre outros pontos, a redução dos repasses para o Fundo Nacional de Cultura (FNC) e a Lei Rouanet, que cumpre um papel de fomento voltado ao mercado. “Não podemos ficar de braços cruzados, sempre que pudermos, temos que nos mobilizar.” Nascido em Santos (SP), em 1939, Mamberti é formado pela Escola de Artes Dramáticas (EAD) de São Paulo e tem seis décadas de carreira no teatro, cinema e televisão.

“A Crise Brasileira” é uma iniciativa que visa a trazer nomes importantes de distintas áreas do conhecimento para a Unicamp como forma de estimular a discussão de temas atuais em busca de diagnósticos e soluções para as diversas crises que afligem a vida do país. Mensalmente, o evento conta com a palestra de um ou dois especialistas, que abordam temas relevantes com espaço para o debate com o público.

Entre setembro e novembro de 2019, o ciclo trouxe para a Unicamp conferências do economista Luiz Gonzaga Belluzzo (Economia), do filósofo João Carlos Salles (Universidade), do educador Mozart Neves Ramos (Educação), do diplomata Rubens Ricupero (Relações Internacionais) e do ex-ministro Ciro Gomes (Política).

 

Ciclo de Conferências “A Crise Brasileira”

Conferencista: Sergio Mamberti

Tema: “A Crise da Cultura”

Data: 11 de março de 2020

Horário: 10h

Local: Centro de Convenções da Unicamp

Endereço: Avenida Érico Veríssimo, 500, Cidade Universitária “Zeferino Vaz”, Barão Geraldo, Campinas

Realização: Instituto de Estudos Avançados (IdEA) da Unicamp

Inscrições: Site do IdEA 

 

Imagem de capa

Audescrição: Ator Sérgio Mamberti sorri para as câmeras
Sérgio Mamberti abre a programação de 2020 do ciclo “A Crise Brasileira” com uma conferência sobre “A Crise da Cultura”