Morre aos 82 anos ex-professor do IEL Modesto Carone

O escritor, tradutor e ensaísta Modesto Carone Neto morreu aos 82 anos, em São Paulo. O velório está marcado para amanhã (17), das 8 às 20 horas, no salão nobre da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, na Rua do Lago, 717 - Cidade Universitária. O sepultamento será na quarta-feira (18), às 12h30, no Cemitério Jardim Horto Florestal (Rua Luiz Nunes, 111, Parque Ramos Freitas, São Paulo). Modesto Carone foi um dos fundadores do Departamento de Teoria Literária do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) e estava aposentado pela Unicamp.   

Paulista de Sorocaba, Modesto Carone nasceu em 1937. Escritor, ensaísta e crítico literário, ensinou literatura nas universidades de Viena, USP e Unicamp. Publicou ensaios, contos e uma novela. Entre os títulos mais conhecidos estão As marcas do real, Aos pés de Matilda e Dias melhores.

Começou a traduzir Kafka em 1983, diretamente do alemão. Dele, publicou obras como Um artista da fome/A construção, A metamorfose, O veredicto/ Na colônia penal, Carta ao pai, O processo, Um médico rural, Contemplação/ O foguista, O castelo e Narrativas do espólio. Recebeu o prêmio APCA 2009 de melhor livro de ensaio/crítica por Lição de Kafka. Seu livro Resumo de Ana foi ganhador do Prêmio Jabuti de 1999, na categoria romance.

Parte do acervo do professor está no Cedae - Centro de Documentação Alexandre Eulálio do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL). 

Leia matéria publicada na Folha de São Paulo sobre Modesto Carone. 

Leia nota divulgada pela direção do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL): 


À
Comunidade do IEL:

Com pesar registramos o falecimento do professor aposentado do IEL, escritor e tradutor, Modesto Carone (1937-2019), os 82 anos.

Modesto foi professor do Departamento de Teoria Literária de 01/08/1977 a 26/04/1991, quando se aposentou, tendo sido uma dos fundadores do Departamento.

Cabe destacar que parte substancial de sua história está depositada no Centro de Documentação Alexandre Eulalio, que recebeu o acervo pessoal de Modesto Carone, doado ao Cedae/IEL.

Sobre a trajetória acadêmica do saudoso colega, que não reflete obviamente sua importância para este Instituto.

Em suas aulas costumava apresentar aos alunos um vasto repertório da poesia e da prosa ocidentais de todas as épocas. Na área da crítica literária publicou os volumes Metáfora e Montagem (1974), A Poética do Silêncio (1978) e Lição de Kafka (2009), este último premiado pela Associação Paulista dos Críticos de Arte como melhor livro de crítica do
ano.

Como ficcionista publicou os livros de contos As marcas do real (1979), pelo qual recebeu o Prêmio Jabuti; Aos pés de Matilda 1980); Dias melhores (1984) e Por trás dos vidros (2007) e a novela Resumo de Ana 1998), pelo qual recebeu um segundo Prêmio Jabuti.

Mas foi sobretudo como tradutor da obra de Franz Kafka que Modesto se tornou conhecido de um público mais amplo. Suas traduções da obra de Kafka foram as primeiras no Brasil a serem feitas diretamente do original alemão, e os debates que suscitaram em torno dos problemas dessa arte difícil foram uma contribuição decisiva, juntamente com o trabalho desenvolvido no campo da literatura russa pelo Prof. Boris Schnaiderman e no da poesia pelos irmãos Haroldo e Augusto de Campos,para estabelecer um alto padrão de exigência no que se refere à tradução literária no Brasil.

Embora tenha também se dedicado a estudar outros autores, foi com a obra de Kafka que se ocupou mais extensamente. Em 2011 organizou e comentou para a Penguin Companhia "Franz Kafka Essencial", que representa uma síntese de sua longa dedicação ao autor tcheco de expressão alemã. Só o conhecimento em profundidade, adquirido pelos muitos anos de convivência, pelo estudo em profundidade e pelo trabalho minucioso de tradução lhe permitiria realizar a difícil tarefa de selecionar para um volume aparentemente tão despretensioso o essencial de um autor essencial.

A Direção do IEL registra condolescências aos familiares e amigos.