Extensão é a novidade dos Prêmios Institucionais 2019 da Unicamp

Ensino, pesquisa e, pela primeira vez, extensão foram premiados na manhã dessa sexta-feira (13), no auditório do Centro de Convenções da Unicamp. A cerimônia, que acontece anualmente, reconhece o desempenho docente em suas diversas atuações. Conduzida pelo reitor, Marcelo Knobel, a entrega dos Prêmios Institucionais 2019 da Unicamp contou com a presença da coordenadora geral, Teresa Atvars; da pró-reitora de Graduação (PRG), Eliana Amaral; do pró-reitor de Extensão e Cultura (Proec), Fernando Hashimoto; da pró-reitora de pós-graduação (PRPG), Nancy Garcia; do assessor da pró-reitoria de pesquisa (PRP), Daniel de Souza; da coordenadora da coordenadoria de centros e núcleos (Cocen), Ana Carolina Maciel, e o diretor da agencia de inovação (Inova), Newton Frateschi. “É sempre uma alegria poder reconhecer o trabalho e a dedicação das pessoas. É muito importante e é sempre um incentivador”, afirmou o reitor.

O prêmio de extensão, em sua primeira edição, trouxe para o palco docentes que, além do ensino e da pesquisa, dedicaram sua carreira a estreitar os laços entre universidade e sociedade. Para o pró-reitor de Extensão e Cultura, Fernando Hashimoto, o prêmio traduz um o movimento de valorização da extensão como parte importante da atuação da Universidade Brasileira. “É um passo à frente que a Universidade dá na valorização das ações de extensão e no sentido da inserção da extensão nos currículos de graduação, ao lado do ensino e da pesquisa. Esse é o desafio que nós temos agora”, ressaltou.

Veja os depoimentos de alguns dos contemplados pelo prêmio de extensão:

Prêmio de Reconhecimento Acadêmico “Zeferino Vaz”

O mais antigo dos prêmios, o “Zeferino Vaz”, visa reconhecer a dedicação do docente em todas as áreas da vida universitária. “Sempre procurei entender o funcionamento da instituição e contribuir, além das atividades fundamentais, aquelas que trazem e transmitem conhecimento, também na administração”, relatou Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira, diretor do Instituto de Biologia (IB) entre 2014-2018, que recebeu o prêmio das mãos do reitor.

Contudo, segundo Oliveira, seu maior orgulho é a criação do Laboratório de Regeneração Nervosa, que coordena desde 2009. “Estudo regeneração do sistema nervoso, em particular de neurônios motores medulares, que afligem muitas pessoas com lesões do sistema nervoso e perda de movimento. É um campo que tem necessidade de conhecimento básico de biologia, mas também com vistas a aplicação. Trabalhamos com células-tronco e terapias avançadas que, eu espero, tenham translação para a clínica e beneficiem pacientes futuramente”, explicou. 

professor recebe premio
Alexandre Leite Rodrigues de Oliveira, do Instituto de Biologia (IB), que recebeu o Prêmio de Reconhecimento Acadêmico “Zeferino Vaz”

 

Prêmio pela Dedicação ao Ensino de Graduação

A articulação dos departamentos responsáveis pelo curso de Ciências Sociais em torno de renovações curriculares e pedagógicas foi o principal desafio de Susana Durão, uma das agraciadas com o Prêmio pela Dedicação ao Ensino de Graduação, durante sua gestão como Coordenadora de Graduação do Curso de Ciências Sociais, entre 2014 e 2017. “Essa escolha se traduz numa aposta política de renovação dos próprios do curso de graduação e licenciatura no Ifch”, afirmou.  De acordo com ela, o Curso tem uma “morfologia muito específica”, envolvendo quatro departamentos em sua constituição.

“Não é fácil convencer os colegas e envolvê-los nas mudanças. Quando fizemos a proposta de renovação, fomos a cada reunião departamental fazer a apresentação da nova proposta. Fizemos muita discussão, muito debate com os alunos e com os professores”, contou. Entre as mudanças a criação de novas disciplinas sofreu resistência. “Ninguém gosta de criar disciplina, porque nós já temos um déficit de docentes”, explicou. As renovações, contudo, visavam atender a demandas do Conselho Estadual de Educação e dos próprios estudantes.

 

professora
Legenda: “O primo não é não é para mim. É um prêmio para o IFCH”, Suzana Durão, premiada pela Dedicação ao Ensino de Graduação

 

Prêmio Pesquisador Carreira PQ

Na diversidade de Centros e Núcleos de Pesquisa que compõem a Cocem, a premiada foi Ana Cristina Colla, do Lume Teatro, Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais fundado em 1985. Para pesquisadora, além do reconhecimento do trabalho individual e do grupo, o prêmio indica a compreensão de que as artes demandam parâmetros diferentes de avaliação. “O parecer de reconhecimento estava muito ligado a essa dificuldade que foi para banca avaliar uma pesquisadora em artes dentro de parâmetros que normalmente são muito ligados as ciências exatas e tecnológicas”, relatou. Para ela, é equivocada a distinção entre produção acadêmica e uma produção artística. “Nossa prática é a nossa pesquisa. Entendemos que a produção de conhecimento está sendo construída na produção artística”, enfatizou.

pesquisadora recebe prêmio
Ana Cristina Colla, do Lume Teatro, recebeu o prêmio da Coordenado da Cocen, Ana Carolina Maciel.

Mérito Científico e menção honrosa Pibic e Pibic-EM

“Protótipos experimentais para realização de feiras de tecnologia e escolas públicas da região de Campinas” é o título do projeto pelo qual o professor Flávio Vasconcelos da Silva, da Faculdade de Engenharia Química (FEQ) e os estudantes de ensino médio Lucas Seccon Vignatti, Lucas Becheli Rosales e Vinicius Augusto Beneti receberam menção honrosa. O projeto foi desenvolvido no âmbito do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para o Ensino Médio (Pibic-EM), promovido pela Pró-reitoria de Pesquisa em parceria com o Cnpq.

Para o professor, o prêmio tem um papel motivacional importante. “Tem um fator de contribuir para que os alunos se sintam mais motivados se engajarem em projetos de pesquisa. Faz com que eles vejam que o que fizeram tem relevância e é reconhecido pela comunidade acadêmica da Unicamp”, explicou.

 “A parte mais interessante do projeto foi que a gente pegou três protótipos e apresentou nas escolas. Foi extremamente gratificante ver como os alunos ficaram maravilhados”, contou Lucas de Becheli Rosales, que curso ao 2º ano na Escola Estadual Orosimbo Maia. Para seu colega de equipe, Lucas Seccon Vignatti, do 3º ano da Escola Estadual Maria do Carmo Ricc Von Zuben (Vinhedo),  o projeto superou todas as expectativas. “São coisas que a gente não aprende na escola normalmente. A gente teve experiências que não teria em qualquer outro lugar. Só a Unicamp e o PIB que poderiam proporcionar”, afirmou.

estudantes e professor recebem premio
Lucas Seccon Vignatti, Lucas Becheli Rosales e Flávio Vasconcelos da Silva receberam o prêmio das mãos da pró-reitora de pós-graduação (PRPG), Nancy Garcia.


Leia também:

Professores do IFCH são homenageados nos Prêmios Institucionais 2019

Imagem de capa

Prêmios Institucionais Unicamp 2019
Prêmios Institucionais Unicamp 2019