Moção e programação do ato são definidos em consenso com entidades acadêmicas

Em reunião realizada nesta quinta-feira (10), os organizadores da assembleia universitária extraordinária, marcada para o dia 15 na Unicamp, aprovaram o texto da moção que será apresentada ao público e a programação do ato, que tem como objetivo a defesa da ciência e da educação. O texto da moção é resultado de um consenso entre representantes da Reitoria, Associação dos Docentes da Unicamp (Adunicamp), Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp (STU), Diretório Central dos Estudantes (DCE) e Associação de Pós-Graduandos da Unicamp (APG).

“A participação das entidades acadêmicas na definição do texto expressa a união de todos em torno de uma causa comum”, disse o reitor Marcelo Knobel. Segundo ele, a moção contempla a preocupação da comunidade com os recentes ataques sofridos pelas universidades públicas, caracterizados principalmente pelos cortes a auxílios à pesquisa e ao financiamento de bolsas, essenciais para a implementação do sistema nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação e a sustentação financeira de milhares de estudantes envolvidos em pesquisa. “Nesse cenário preocupante para o país, também precisamos nos unir para a preservação da autonomia universitária como princípio constitucional”, completou.

Os organizadores também definiram a hashtag #AssembleiaUnicamp para a divulgação, nas redes sociais institucionais, de informações relacionadas ao ato, que acontecerá das 12 às 14 horas, no Ciclo Básico do Campus de Campinas. Um grande público é esperado e, para que todos possam acompanhar a assembleia, um telão também será montado do lado de fora do Ciclo Básico. Quem não puder participar no local poderá acompanhar a assembleia pela transmissão da Rádio e TV Unicamp.

Para atender alunos, professores e funcionários que participarem da assembleia, o horário do Restaurante Universitário (RU) será estendido até às 14h30. Também haverá um reforço no número de ônibus que fazem o transporte entre as unidades de Limeira e Piracicaba para o campus de Campinas. O carro extra sairá dos dois campi com destino a Campinas às 9h. Para organizar a circulação de pedestres no local, a rua Sérgio Buarque de Holanda será bloqueada entre as ruas Josué de Castro e Lev Landau (entre o IQ e o IFGW) das 11h às 15h. Já a Rua Mendelev estará interditada desde o início do dia. Agentes da vigilância interna vão orientar o público quanto à circulação no local e também sobre onde será possível se sentar para acompanhar a assembleia dentro do prédio. Haverá, ainda, o apoio das ambulâncias do Serviço VIDAS.

#