Profissionalização no serviço público foi tema de debate na abertura do Simtec

Convidados discorreram sobre suas experiências e trouxeram contribuições ao debate
Convidados discorreram sobre suas experiências e trouxeram contribuições ao debate

A conferência de abertura da sétima edição do Simpósio dos Profissionais da Unicamp (Simtec), ocorrida na tarde de segunda-feira (9), no Centro de Convenções da Unicamp, trouxe para a mesa de debates a importância da profissionalização do servidor público. “É preciso trabalhar com metas e indicadores de desempenho. Realizar uma gestão baseada em resultados. Sair da zona de conforto para se obter um salto de qualidade”, defendeu o diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves Ramos. Em sua fala, o diretor mencionou o cenário de crise pelo qual passa as instituições públicas de ensino superior no Brasil. Para ele, é necessário “pensar fora da caixa” e evitar se lamentar com o problema. “Corte o s da crise e a palavra que se forma é crie. O momento é de buscar e encontrar alternativas”, argumentou.

Mozart Ramos foi reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) por duas gestões e secretário estadual de Educação no mesmo estado. No papel de gestor, segundo sua própria definição, precisou “trocar o pneu com o carro em movimento”. Por isso, ele defende que o gestor público deve se preparar e estudar. “É uma atividade difícil gerir uma universidade, um órgão. O tempo é curto para tomar decisões. Diretores, coordenadores e outros cargos de liderança tem que se profissionalizar, estudar e se preparar antes”, avaliou.

Outras duas recomendações deixada pelo ex-reitor da UFPE para a excelência na gestão das universidades públicas diz respeito à necessidade de se comunicar eficientemente com a sociedade para cumprir a sua missão e saber ouvir de tudo, inclusive as críticas. “Elogio não faz crescer”, alegou.             

O tema da profissionalização no serviço público também foi abordado pela assessora da Coordenadoria Geral da Universidade (CGU), professora Milena Serafim. Ela acredita que a busca pela excelência no desempenho do serviço público não é atual. “A busca é constante e cíclica”, analisou. A professora considera, no entanto, que seria preciso encontrar estratégias para a continuidade entre um projeto e outro e a perenidade nas propostas de inovações. “As motivações para a organização do Simtec são, justamente, criar mecanismos de perenidade”, destacou.

Segundo a assessora, também professora do curso de Administração Pública da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA), divulgar as experiências de cada servidor se torna urgente no cenário atual para que os ataques à categoria se enfraqueçam. “Ao ler os trabalhos que estão sendo apresentados observei que há uma riqueza e um conjunto de conhecimento técnico acumulado. Percebe-se o compromisso com a excelência”, afirmou.

Cerimônia de abertura da sétima edição do Simtec foi presidida pelo reitor Marcelo Knobel
Cerimônia de abertura da sétima edição do Simtec foi presidida pelo reitor Marcelo Knobel

O reitor Marcelo Knobel presidiu a cerimônia de abertura que contou com a presença do pró-reitor de Desenvolvimento Universitário, professor Francisco de Assis Magalhães Gomes Neto e da presidente da Comissão Organizadora do Simtec, Mônica Rovigatti. Durante a cerimônia foi exibido um vídeo de boas-vindas da coordenadora geral da Universidade e, também coordenadora do Simtec, professora Teresa Atvars, que não pode comparecer ao evento.

A sétima edição do Simtec prossegue até quarta-feira (11) e conta com quatro mesas-redondas, exposição de 300 trabalhos no formato pôster, além de 18 apresentações orais simultâneas e 101 apresentações em um minuto. Em três dias a expectativa é que em torno de 800 servidores participem do evento.

Governo digital – O diretor de Experiências de Usuário da Secretaria de Governo Digital, Joelson Vellozo Júnior, outro convidado da tarde, expôs o desafio do Governo Federal para unificação dos canais digitais em um portal de serviços. Atualmente, são oferecidos mais de três mil serviços em um total de mil e seiscentos sites.

A simplificação dos processos, salientou o diretor, passa pela importância de compreender que sempre há alguém do outro lado do balcão. “É preciso sair da sala e encontrar o usuário, pois a desconexão dos serviços públicos com a sociedade é o que gera a desconfiança da população”, afirmou.

Em julho último o Governo Federal lançou o portal gov.br e a expectativa é que, em 2020, seja o maior portal de serviços governamentais. Neste caso, o cidadão encontraria em um único lugar os sites e serviços e, até mesmo, conteúdo noticioso. Em uma iniciativa inédita, os mais de cem aplicativos do governo podem ser encontrados em uma loja no Google Play. “A ideia é oferecer uma experiência única, agradável e fácil para o cidadão brasileiro nos canais digitais do governo”, reafirmou.

Trezentos trabalhos estão expostos no formato de pôsteres. Grupo Naidí Latin Orchestra fez parte da programação cultural do Simtec
Grupo Naidí Latin Orchestra fez parte da programação cultural do Simtec. Trezentos trabalhos estão expostos no formato de pôster  

 

Imagem de capa

Organização estima um público de 800 servidores participantes nos três dias de evento
Organização estima um público de 800 servidores participantes nos três dias de evento