Grupo de pesquisas usa animação para falar da física de partículas

Quarks e Léptons são partículas que constituem toda a matéria que existe no universo. Este também é o nome de um curta-metragem de animação que está sendo produzido por pesquisadores da Unicamp em parceria com o animador Maurício Squarisi, do Núcleo de Cinema de Animação (NCA) de Campinas. O filme está previsto para estrear em setembro e deve ser o primeiro de uma série com o objetivo de divulgar a física de partículas para estudantes adolescentes. O projeto ganhou o nome de “Anima Física”.

Desenho da adolescente personagem do filme andando de skate
Uma das cenas de Quarks e Léptons
O professor Marcelo aparece à direita falando enquanto Maurício Squarisi ocupa o lado esquerdo do quadro e parece acompanhar o que o professor está dizendo
O animador Maurício Squarisi e o professor Marcelo Guzzo: parceria entre arte e física

Os pesquisadores envolvidos fazem parte do Projeto Temático Fapesp “Desafios para o Século XXI em Física e Astrofísica de Neutrinos”. Segundo o responsável, professor Marcelo Guzzo, a divulgação científica é uma das exigências da Fapesp. Mas nem precisava. O grupo já é bem atuante na área e tem integrantes ativistas da comunicação com o público em geral. O doutorando Eduardo Sato por exemplo, tem o podcast “Fisicast”, disponível em várias plataformas, e também é autor de um blog chamado “Torta de Maçã Primordial”.

Foi Eduardo quem apresentou o projeto no 6º Encontro de Divulgação de Ciência e Cultura (Edicc) realizado na Unicamp no início do mês de junho. No filme, uma adolescente precisa descobrir o que há dentro de um baú para ganhar do pai dinheiro suficiente para ir a um show de rock. “Ela responde ‘quark’ e está certa porque independente do que tiver lá dentro vai ter quark, o constituinte primário da matéria”, explica Eduardo. A partir daí a história se desenvolve.

“Nosso filme fala sobre do que as coisas são feitas. É um complemento para o conteúdo do ensino médio”, destaca o doutorando. Para Eduardo, o tema do filme pode provocar um encantamento nas pessoas. “Todo mundo tem direito ao encanto. Nós estamos fazendo pesquisas fantásticas na universidade e com investimento público. De repente alguém se encanta com o tema e vai ser nosso colega de trabalho no futuro”.

Eduardo fala sobre o filme em encontro de Divulgação
"Quarks e Léptons" na programação do Edicc

A participação de Maurício Squarisi foi ideia do professor Marcelo Guzzo, fã do longa-metragem “Café, um dedo de prosa”, realizado pelo animador em 2014. De acordo com o professor, a animação é uma forma muito atraente e eficaz para se transmitir os conceitos da física. “Nós já apresentamos uma prévia do filme em duas escolas e a experiência foi muito positiva. Conseguimos passar a mensagem de que a matéria é formada de partículas elementares que são compostas por quarks e léptons”, destacou.

O animador Maurício Squarisi falou sobre o desafio de transpor a linguagem científica para o roteiro de animação. O Núcleo de Cinema de Animação já produziu mais de trezentos curtas de animação voltados para a área da educação. “Acho que a animação tem muito a contribuir e vem sendo subaproveitada na educação. Há temas complexos que podem ser tratados de forma bem simples, como é objetivo do grupo Anima Física”, ressaltou. O próximo filme idealizado pelo Anima Física será sobre raios cósmicos.

Grupo de estudantes e professores envolvidos no projeto posam para foto. Há  nove pessoas enfileiradas
Grupo de estudantes, pesquisadores e professores envolvidos no Anima Física
Cena do filme onde aparecem dois personagens fazendo ioga enquanto são observados pela filha
O que tem dentro do baú? Quark!

Imagem de capa

Desenho de um trio de rock tocando em cena do filme de animação
Cena do filme Quarks e Léptons