Ingressantes indígenas promovem a 1ª Semana Acadêmica Indígena da Unicamp

Autoria
Edição de imagem

Proporcionalmente ao número de ingressantes na Unicamp este ano, eles representam 2%, mas se depender da determinação, o grupo garante que se fará ouvir dentro e fora do ambiente acadêmico. Eles são os 66 estudantes indígenas aprovados para diversos cursos de graduação da Unicamp. Há dois meses na Universidade, o grupo já se mobilizou e conseguiu organizar uma atividade inédita por aqui: a 1ª Semana dos Acadêmicos Indígenas da Unicamp. Aberto oficialmente na noite desta segunda-feira (15/4), em cerimônia no Centro de Convenções, o evento foi pensado e organizado pelos próprios estudantes.

Mostrar a diversidade dos diferentes povos indígenas representados pelos ingressantes na Unicamp, bem como sua riqueza cultural, está entre os objetivos da Semana, que no primeiro dia já teve o auditório Marielle Franco, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), lotado. As atividades vão desde apresentações culturais, com música, rituais e danças tradicionais das várias etnias, passando por conversas até debates sobre pautas relacionadas a questões indígenas atuais no Brasil.

No âmbito acadêmico, um importante debate colocado pelos estudantes para reflexão da comunidade interna é a permanência dos alunos indígenas na Unicamp. Tema, aliás, que dá nome a I Semana dos Estudantes Indígenas: "Acadêmicos Indígenas e a permanência na Universidade".

O estudante de Filosofia Anderson Siribi, da etnia Tukano, afirmou que o evento é uma maneira de dar visibilidade à presença de alunos indígenas na Unicamp. “Esse é um momento de troca de saberes, mas também de refletir sobre as questões indígenas e questionar sobre como podemos avançar dentro do funcionamento da instituição”, disse Siribi.

Uma das demandas que os estudantes querem trazer para o centro do debate, além da permanência, é a ampliação do Vestibular Indígena, aplicado pela primeira vez no ano passado, pela Unicamp, em cinco cidades do país. O estudante de Engenharia Elétrica, Arlindo Gregório, da etnia Baré, lembrou que na primeira edição do vestibular, 34 cursos ofereceram vagas. “Será importante lutar para inserir mais estudantes indígenas na Unicamp. Vamos trabalhar para que mais cursos abram vagas no Vestibular Indígena”, afirmou Arlindo. Nesse sentido, um dos objetivos da Semana é sensibilizar a comunidade interna, por meio de vivências que recriam a ancestralidade e reafirmam a sabedoria indígena, de acordo com os organizadores.

No primeiro dia do evento, um grupo de estudantes apresentou, no Pavilhão Básico, um ritual de pajelança, tradicional na cultura de vários povos indígenas. Os estudantes encenaram o momento em que uma família recorre a espíritos da natureza, por meio do pajé, para salvar a vida de uma moça doente (veja trechos no vídeo).

“Por meio das apresentações, queremos mostrar a diversidade das culturas indígenas agora presentes na Universidade, que cada etnia tem suas características, como qualquer povo, para não estigmatizarmos os indígenas como sendo todos iguais”, afirmou Marinaldo Costa, da etnia Tukano, estudante de Linguística.

A programação segue até quarta-feira (17/4) e pode ser conferida aqui.

O encontro mostra a diversidade dos povos indígenas representados pelos ingressantes na Unicamp em 2019
O encontro mostra a diversidade dos povos indígenas representados pelos ingressantes na Unicamp em 2019
O encontro mostra a diversidade dos povos indígenas representados pelos ingressantes na Unicamp em 2019
O encontro mostra a diversidade dos povos indígenas representados pelos ingressantes na Unicamp em 2019
O encontro mostra a diversidade dos povos indígenas representados pelos ingressantes na Unicamp em 2019
O encontro mostra a diversidade dos povos indígenas representados pelos ingressantes na Unicamp em 2019
O encontro mostra a diversidade dos povos indígenas representados pelos ingressantes na Unicamp em 2019
Imagem de capa
Ingressantes indígenas promovem a 1ª Semana Acadêmica Indígena da Unicamp

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

Uallace Moreira Lima reafirmou o compromisso do atual governo em apoiar ações e projetos responsáveis por contribuir para o crescimento econômico e sustentável do país

A publicação apresenta um panorama das pesquisas desenvolvidas por estudantes e pesquisadores indígenas nas diferentes regiões do país, em todas as áreas do conhecimento

O grupo é composto por 65 intercambistas de graduação, que farão disciplinas isoladas em diferentes cursos, e 70 alunos regulares de pós-graduação

Atualidades

O encontro reuniu estudiosos do Brasil e do mundo para discutir a forma como as duas áreas devem se preparar a fim de enfrentar os grandes desafios contemporâneos no campo da saúde mental

O projeto “Reator sustentável: constituído por eletrodos de óxidos metálicos e células solares, para aplicações na descontaminação de água ou conversão de CO2 utilizando energia solar” é desenvolvido no âmbito do Centro de Inovação em Novas Energias 

Professor do Instituto de Geociências e autor do livro “Africano: uma introdução ao continente”, Kauê Lopes dos Santos comenta aproximação com países como Egito e Etiópia

Cultura & Sociedade

Escritor e articulista, o sociólogo foi presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais no biênio 2003-2004

O evento acontecerá entre os dias 29 de fevereiro e 10 de março; a obra ESTAFA ou sobre os sonhos não dormidos foi selecionada na categoria de peças internacionais