Unicamp é admitida na Unai

Edição de imagem

A Unicamp acaba de ser admitida como a mais nova integrante da United Nations Academic Impact (Unai), iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) que reúne instituições de ensino superior de todo o mundo comprometidas com a promoção de dez princípios globais, entre eles a erradicação da pobreza, a proteção dos direitos humanos, o acesso à educação, a garantia da sustentabilidade e a resolução de conflitos. Atualmente, a Unai soma 1.300 associados, distribuídos por 130 países. Entre os seus membros estão, por exemplo, a Universidade de Coimbra, Universidade de Tóquio e Universidade Autônoma de Barcelona.

O comunicado sobre a admissão da Unicamp à Unai foi enviado nesta quarta-feira (30) pela direção do organismo ao reitor Marcelo Knobel. “Trata-se de um grupo organizado pelas Nações Unidas, comprometido com metas do milênio de sustentabilidade. É uma honra para a Unicamp participar deste seleto grupo. Vamos trabalhar incansavelmente para ajudar a construir um futuro melhor”, declarou o dirigente.

Foto Scarpa
O reitor Marcelo Knobel: trabalho incansável para a construção de um futuro melhor

Os membros da Unai são obrigados a realizar anualmente pelo menos uma atividade em apoio a um dos dez princípios estabelecidos pelo organismo. Além disso, a instituição associada também deve apresentar um relatório anual descrevendo as ações desenvolvidas. Desde a criação da Unai, em 2010, foram formadas cerca de 30 redes internacionais de universidades e institutos de ensino superior. “O trabalho dessas instituições é vital para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, pois elas servem como incubadoras de novas ideias, invenções e soluções para os muitos desafios globais que enfrentamos”, registra o organismo em seu site.

O ingresso da Unicamp na Unai é, em boa medida, um reconhecimento ao esforço que a Universidade tem feito, principalmente nos últimos dois anos, na defesa dos direitos humanos, no combate ao racismo, na promoção da diversidade e na luta contra a violência sexual praticada contra a mulher.

Os dez princípios da Unai

1 - O compromisso com os princípios fundamentais da Carta das Nações Unidas como valores que a educação procura promover e alcançar;

2 - O compromisso com os direitos humanos, entre eles a liberdade de pesquisa, de opinião e de expressão;

3- O compromisso de oferecer uma oportunidade educativa para todas as pessoas, a despeito de seu gênero, raça, religião ou etnia;

4- O compromisso de oferecer uma oportunidade para que cada indivíduo possa adquirir as habilidades e os conhecimentos necessários para alcançar a educação superior;

5- O compromisso de construir capacidade nos sistemas de educação superior de todo o mundo;

6- O compromisso de encorajar a cidadania global através da educação;

7- O compromisso de promover a paz e a resolução de conflitos pela educação;

8- O compromisso de enfrentar os problemas da pobreza pela educação;

9- O compromisso de promover a sustentabilidade pela educação;

10- O compromisso de promover o diálogo, o entendimento intercultural e o desaparecimento da intolerância através da educação.

Imagem de capa
Logomarca da Unai, que reúne 1.300 instituições de ensino superior de 130 países

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

O objetivo da reunião foi apresentar a experiência da Unicamp na aquisição de energia elétrica no Ambiente de Contratação Livre 

Modalidade oferecida pela Unicamp para financiamento de projetos de ensino, pesquisa e extensão completa 20 anos

Atualidades

Evento começou esta semana no Instituto de Computação e conta com aulas teóricas, simulados e palestras com patrocinadores

José Ricardo Teixeira Junior (IB) e Geovane Augusto Gaia Vieira (IG) vão para as universidades norte-americanas de Yale e UCLA, respectivamente

Artigo destaca a relevância das pesquisas acadêmicas sobre direitos humanos

Cultura & Sociedade

Instituto reúne grupos de pesquisa de 24 instituições e deve fortalecer os estudos de gênero no país; a coordenação é das docentes Viviane Resende, da Universidade de Brasília e Karla Bessa, do Núcleo de Estudos de Gênero (Pagu) da Unicamp

Atividade será uma das primeiras iniciativas a partir de parceria com a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de Campinas