Unicamp perde o professor Yong Kun Park

A Unicamp perdeu na segunda-feira (21) o professor Yong Kun Park, aos 92 anos. Ele era docente aposentado e colaborador do Departamento de Ciência de Alimentos da Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). O sepultamento ocorreu às 16 horas, no cemitério Flamboyant, em Campinas.

Yong Kun Park
Yong Kun Park

Nascido na então Coreia unificada, em território hoje administrado pela Coreia do Norte, Youg Kun Park se formou em medicina na Universidade Nacional de Seul em 1957, tendo concluído o mestrado em bioquímica em 1960 na mesma instituição. Durante a Guerra da Coreia, Yong Kun Park trabalhou como patologista das Forças Armadas norte-americanas. Após se afastar do conflito, foi se especializar em bioquímica na Universidade de Minessota (EUA) e Universidade de Tóquio (Japão).

No começo da década de 1970, Yong Kun Park recebeu um convite do professor André Tosello para trabalhar no Brasil. Com a oportunidade de desenvolver suas pesquisas sobre enzimas, e sem falar ainda o português, ele contribuiu para montar o primeiro grupo de pesquisadores em engenharia de alimentos da Unicamp. Em 1972 apresentou sua tese de doutorado em ciência de alimentos na Universidade.

Yong Kun Park se tornou um dos pioneiros na área de bioquímica dos alimentos no Brasil. Em seus estudos descobriu que a própolis das abelhas contém elementos que podem ajudar a combater alguns tipos de células cancerígenas.

Ele também ajudou a desenvolver um produto constituído de isoflavonas agliconas de soja (daidzeina, gliciteina e genisteina), patenteado com ajuda da Agência Inovação da Unicamp (Inova), que substitui a atividade do hormônio feminino estrogênio.

A segunda edição da revista Unicamp Pesquisa, publicada em setembro de 2016 pela Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP), trouxe um perfil de Yong Kun Park.