Unicamp cria comissão para planejamento econômico no longo prazo

Uma comissão recém-instituída pelo reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, fará, por meio de estudos e reflexões, o planejamento econômico e financeiro da Universidade no longo prazo. A Comissão de Planejamento e Acompanhamento Econômico (CPLAE) será coordenada pelo docente Miguel Juan Bacic, do Instituto de Economica (IE) da Unicamp, e estará vinculada à Pró-Reitoria de Desenvolvimento Universitário (PRDU).

Segundo Miguel Bacic, a Comissão irá traçar cenários futuros de modo a assegurar o cumprimento da missão da Unicamp junto à sociedade, tanto em contextos econômicos favoráveis como nos momentos de crise. O coordenador ressaltou que a CPLAE atuará em colaboração com a
Assessoria de Economia e Planejamento (Aeplan), órgão responsável pelo planejamento orçamentário atual da instituição.

“Vamos olhar além da atual crise econômica, procurando refletir, por exemplo, como a Universidade pode continuar crescendo no longo prazo. É evidente que discutiremos as restrições orçamentárias e como elas podem afetar a Unicamp”, explicou o coordenador.

O docente do IE revelou que entre as competências da Comissão está a de acompanhar, no longo prazo, o comportamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), principal fonte de recursos orçamentários das universidades estaduais paulistas. “Estudaremos as perspectivas e a solidez dessa fonte de recursos para a Universidade, acompanhando também outros indicadores econômicos e financeiros que interferem no nosso orçamento.”

A pró-reitora de desenvolvimento universitário e o docente Miguel Basic
A pró-reitora de desenvolvimento universitário e o docente Miguel Basic

A pró-reitora de desenvolvimento universitário, Marisa Beppu, adiantou que caberá à Comissão a implementação de um Fundo de Pesquisa da Unicamp, cuja política de uso deverá ser submetida ao Conselho Universitário (Consu). Segundo ela, o Fundo de Pesquisa regulará e administrará o recebimento de doações de pessoas físicas e jurídicas à Unicamp, respeitando a autonomia e o princípio da universidade pública, gratuita e de qualidade.

“Importante ressaltar a disposição da Administração Central em disponibilizar uma equipe dentro da PRDU dedicada a pensar a Universidade em sua perspectiva futura. Além da questão imediata, é de fundamental importância que a Unicamp reflita sobre o seu futuro econômico e financeiro e, avalie, por exemplo, como se relacionará com os seus diferentes financiadores e com a sociedade. Neste ponto saliento que a Comissão atuará em sintonia com as políticas de Planejamento Estratégico (Planes) da instituição, defendendo a universidade pública, gratuita e de qualidade.”