Marinha busca aproximação com instituições de pesquisa

Autoria
Edição de imagem

O reitor da Unicamp, professor Antonio José de Almeida Meirelles, participou, na tarde desta quarta-feira (6), da abertura de um evento de prospecção de parcerias e ações colaborativas envolvendo instituições de pesquisa instaladas na região de Campinas e a Marinha do Brasil.

“Nós estamos, hoje, como instituição, extremamente abertos para intensificar a colaboração com o conjunto das instituições do país. E, sem dúvida, estreitar essa relação com a Marinha é algo que nos toca bastante”, disse o reitor, na abertura do workshop Prospecção de Parcerias com a Marinha do Brasil, organizado pela Diretoria-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha (DGDNTM), pela Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. (Amazul) e pela Fundação Parque de Alta Tecnologia da Região de Iperó e Adjacências (Fundação Patria).

Segundo o reitor, fazer pesquisas em conjunto é importante “pela tradição da Marinha do Brasil e pelo que ela reúne de conhecimentos”. “Esperamos gerar um grande espectro de possibilidades e que elas possam se transformar em ações e dar muitos frutos. E esse processo de prospecção começa justamente agora, neste encontro”, afirmou Meirelles.

Além da Unicamp, também participaram do encontro representantes da Prefeitura de Campinas, da divisão Campinas do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), de instituições de pesquisa como o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais e o Instituto Eldorado e de empresas como a Embraer e a Samsung.

A Marinha considera o encontro um marco na busca por parcerias entre a academia e setores estratégicos. O objetivo, diz a Força, é dar impulso a iniciativas conjuntas que possam potencializar o desenvolvimento científico e tecnológico do país.

“Realmente estamos muito felizes por estarmos aqui e por podermos prosseguir nessa parceria. E que ela seja sólida e duradoura”, disse o almirante Alfredo Martins Muradas, assessor de Ciência, Tecnologia e Inovação da DGDNTM. “Nós temos um sistema de ciência e tecnologia que só consegue avançar em sua plenitude com colaboração”, alertou.

“A Amazul precisa muito das universidades, e a gente não pode deixar escapar essa oportunidade de estreitar cada vez mais os laços com essas instituições”, reforçou o presidente da Amazul, almirante Newton de Almeida Costa Neto.

##
A Marinha considera o encontro um marco na busca por parcerias entre a academia e setores estratégicos. 

Parcerias entre Universidade e Marinha

Em 1º de novembro deste ano, o reitor da Unicamp se encontrou com o almirante de esquadra Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, marcando o início de um processo de negociação para promover parcerias entre a Universidade e a Marinha do Brasil.

De acordo com o almirante, a Marinha tem interesse na criação de um programa de intercâmbio para a realização de pesquisas em diversos setores, como na área de reatores e na de radares e sistemas a laser.

Aguiar afirmou que a Marinha também gostaria de selar parcerias em áreas como a de inteligência artificial, além de realizar programas de intercâmbio envolvendo professores e especialistas, entre os quais engenheiros ou físicos. E lembrou que esse braço das Forças Armadas conta com pesquisas e projetos avançados no setor nuclear.

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

No espaço, o cliente escolhe o produto, faz o pagamento e prepara sua refeição nos equipamentos de apoio disponíveis no local;  a loja funciona 24 horas por dia, ininterruptamente

Atualidades

Professor do Instituto de Geociências e autor do livro “Africano: uma introdução ao continente”, Kauê Lopes dos Santos comenta aproximação com países como Egito e Etiópia

Estudos anteriores já apontavam a proteína MKK3 como um fator importante na sobrevivência e proliferação de células tumorais

Diversas iniciativas são realizadas nos meses de janeiro e fevereiro com o intuito de fomentar a formação continuada dos estudantes universitários

Cultura & Sociedade

O evento acontecerá entre os dias 29 de fevereiro e 10 de março; a obra ESTAFA ou sobre os sonhos não dormidos foi selecionada na categoria de peças internacionais

Estudo pioneiro foi realizado no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás; o papel da biodiversidade é fundamental no aumento da resistência à invasão biológica