‘A vida pede equilíbrio’ é o tema da campanha Janeiro Branco

Edição de imagem

A cada Ano Novo as pessoas se sentem inspiradas a refletir sobre como foi o ano anterior e pensar naquilo que desejam de melhor para o ano que se inicia. Para alguns, esse processo é fácil e prazeroso, mas, para outros, olhar o passado pode trazer recordações nem sempre agradáveis e gerar ansiedade e depressão. A campanha Janeiro Branco, sobre saúde mental, deste ano traz como tema A vida pede equilíbrio.

“O tema deste ano nos convida a refletir sobre a necessidade e a importância do equilíbrio em nossas vidas, após vivermos, principalmente na área de saúde, momentos turbulentos com a pandemia. O equilíbrio promove qualidade de vida, em todos os contextos da nossa existência”, diz Nádia Zamariola Milani, psicóloga do Serviço de Desenvolvimento de Pessoal da Divisão de Recursos Humanos do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp.

Por isso, a área de RH do HC preparou uma programação especial para os colaboradores do hospital e da Unicamp a partir do dia 12 de janeiro, com fôlderes informativos, atividades como alongamento, exercícios respiratórios, automassagem, ioga, reflexologia e relaxamento e também palestras com dicas para favorecer o equilíbrio no dia a dia e o cuidado com a saúde mental.

Para ver a programação da campanha, horários e locais das atividades e se inscrever nas atividades e palestras, acesse o link do formulário:

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicados em 2022, quase 1 bilhão de pessoas vivem com algum tipo de transtorno mental atualmente, situação agravada pela pandemia de covid-19 e por antigos tabus, preconceitos e desconhecimento a respeito dos múltiplos universos da saúde mental.

De acordo com Eloisa Helena Rubello Valler Celeri, médica psiquiatra do HC e professora do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, os transtornos mentais mais frequentes são os depressivos e os ansiosos.

“A saúde mental é um componente integral e essencial da saúde. Um ambiente que respeita e protege a saúde, a educação, o trabalho, a moradia e o bem-estar dos indivíduos nos vários momentos de seu desenvolvimento é a base da promoção da saúde mental”, diz a psiquiatra.

Campanha Janeiro Branco

A campanha Janeiro Branco acontece desde 2014 para estimular a sociedade a debater a importância da saúde mental nas relações humanas. Ela foi criada pelo psicólogo e palestrante mineiro Leonardo Abrahão.

Em 2023, o movimento completa dez edições. O objetivo é alimentar uma cultura de Saúde Mental na humanidade, trabalhando pela psicoeducação dos indivíduos e pela criação de políticas públicas dedicadas às necessidades psicossociais da Saúde Mental.

“Muitos sofrimentos humanos, com ou sem transtornos mentais, podem ser prevenidos ou mais bem conduzidos se as pessoas aprenderem estratégias verdadeiramente simples para cuidar da Saúde Mental”, diz Leonardo Abrahão.

Quem quiser saber mais sobre o Janeiro Branco ou aderir ao movimento pode acessar o site oficial da Campanha.

Matéria originalmente publicada no site do HC da Unicamp.

Imagem de capa
Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) publicados em 2022, quase 1 bilhão de pessoas vivem com algum tipo de transtorno mental atualmente

twitter_icofacebook_ico

Comunidade Interna

O objetivo da reunião foi apresentar a experiência da Unicamp na aquisição de energia elétrica no Ambiente de Contratação Livre 

Modalidade oferecida pela Unicamp para financiamento de projetos de ensino, pesquisa e extensão completa 20 anos

Atualidades

Evento começou esta semana no Instituto de Computação e conta com aulas teóricas, simulados e palestras com patrocinadores

José Ricardo Teixeira Junior (IB) e Geovane Augusto Gaia Vieira (IG) vão para as universidades norte-americanas de Yale e UCLA, respectivamente

Artigo destaca a relevância das pesquisas acadêmicas sobre direitos humanos

Cultura & Sociedade

Instituto reúne grupos de pesquisa de 24 instituições e deve fortalecer os estudos de gênero no país; a coordenação é das docentes Viviane Resende, da Universidade de Brasília e Karla Bessa, do Núcleo de Estudos de Gênero (Pagu) da Unicamp

Atividade será uma das primeiras iniciativas a partir de parceria com a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer de Campinas