O assédio moral no trabalho pressupõe o desrespeito aos limites subjetivos de cada trabalhador

O respeito aos limites subjetivos de cada trabalhador é condição fundamental na luta contra o assédio moral no âmbito das organizações, sejam elas públicas ou privadas. Esse foi o alerta dado pela psicoterapeuta e perita judicial da PUC São Paulo, Renata Paparelli, durante a palestra “A falta de voz: assédio moral e trabalho”, realizada no mês de novembro, na Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp a convite do Centro de Estudos e Pesquisas em Reabilitação “Prof. Dr. Gabriel de O.S. Porto” (Cepre) e do curso de Graduação em Fonoaudiologia da FCM, onde Renata atua como professora visitante.

Mais na página da FCM