Como as universidades podem contribuir com a sociedade?

Quais desafios, de imediato, a sociedade necessita resolver? E como as universidades podem contribuir com a sua produção de conhecimento? Diversas propostas orientadas à intervenção sobre problemas socioambientais, econômicos, políticos e culturais deverão ser levantadas durante o I Encontro de Extensão da Unicamp
Em conjunto com representantes do poder público e da sociedade as universidades podem atuar, por exemplo, na busca de soluções para problemas como o desemprego, epidemias de dengue, mobilidade urbana, contaminação de mananciais, entre outros. 

O evento, organizado pela Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Preac), acontece nos dias 22 e 23 de fevereiro no Centro de Convenções da Unicamp.  As inscrições, gratuitas, podem ser feitas até o dia 20 de fevereiro. 

Além de uma oficina para elaboração de propostas de intervenção integrando extensão, ensino e pesquisa, o encontro contará com um dia de palestras e mesas-redondas. Haverá a participação de representantes de extensão da Unicamp, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) e Pontifícia Universidade Católica de Campinas (Puc-Campinas). 

“Já estamos com 160 inscritos. A expectativa é ultrapassar a marca dos 200. Além de promover o compartilhamento de experiências e levantar propostas de intervenção junto à sociedade, este evento irá discutir os próximos passos que a extensão da Unicamp vai dar. Na Unicamp, todos os órgãos e unidades fazem extensão, é uma atividade indissociável de ensino e pesquisa”, ressaltou o pró-reitor, João Frederico da Costa Azevedo Meyer. 

Equipe da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários
O pró-reitor de Extensão (centro), João Meyer, e os assessores, Rafael Dias e Marilisa Rossilho

Mão dupla
A própria universidade pode-se beneficiar do diálogo com a sociedade para incrementar o seu ensino e pesquisa. Conforme o professor Rafael Dias, assessor da Preac e um dos organizadores do evento, esta contribuição pode acontecer mais facilmente quando as atividades de extensão são trabalhadas na perspectiva do diálogo com a sociedade e no respeito a diferentes formas de saberes. 

“Esta é a concepção que temos seguido nas atividades de extensão da Unicamp. É preciso pensar a extensão como uma atividade fundamental também para a produção e circulação do conhecimento na Universidade.”